CHAT _
EletrônicaBR.com
collapse collapse
Patrocinador

KLV Notebooks
Troca, Venda e Promoes
eletronicabr
Top Joinhas
infosquad infosquad
Joinhas: +1684\-3
hds-tec hds-tec
Joinhas: +1465\-2
DSystem DSystem
Joinhas: +1268\-7
vlad_itj vlad_itj
Joinhas: +1178\-1
Gilson Macedo Gilson Macedo
Joinhas: +1144\-4
Perciva Perciva
Joinhas: +1106\-2
kotnatan kotnatan
Joinhas: +938\-0
Cassio Almeida Cassio Almeida
Joinhas: +595\-2
edsonninja edsonninja
Joinhas: +591\-0
K0rTy K0rTy
Joinhas: +600\-16
CJ CJ
Joinhas: +555\-6
William_R William_R
Joinhas: +544\-0
Darlanz bruffati Darlanz bruffati
Joinhas: +542\-4
curtolo curtolo
Joinhas: +527\-2
FLAVIOTECH FLAVIOTECH
Joinhas: +484\-0
Celulares EletrncaBR
Arduino EletrncaBR
t-info
3 horas atrás por t-info
Visualizações: 8 | Comentários: 0


A Corsair apresentou algumas novidades interessantes durante a Computex 2016. Entre elas, a Vengeance LED e a Dominator Platinum Special Edition são as novas ofertas de memórias DDR4. Já a ML Pro e a ML PRO LED entram como ventoinhas "top de linha".

A Vengeance é uma memória com um design agressivo e certificação XMP 2.0. Ela utiliza ICs Samsung selecionados e pode alcançar até 4.333 MHz de velocidade — isso a torna a memória DDR4 mais rápida da Corsair.

Do outro lado, a Dominator chega com dois acabamentos: alumínio escuro e cromado. Ela também roda com ICs Samsung e dá espaço para overclocking com as plataformas X100 e X99. Abaixo, veja as fotos das memórias RAM.

Vengeance LED e a Dominator Platinum Special Edition

Refrescando

As ofertas de ventoinhas, para deixar a sua máquina rodando em uma temperatura mais tranquila, tiveram uma repaginação estética e tecnológica. Na ML PRO, a Corsair utilizou a patente Magnetic Levitation, que oferecer mais pressão estática, aumentando o desempenho e diminuindo o barulho — ela atinge até 2 mil rotações por minuto. Já a PRO LED traz como diferença a iluminação LED, que dá pode deixar o seu gabinete com uma cor mais bacana.

Preços e disponibilidade ainda não foram revelados pela Corsair.

ML Pro e a ML PRO LED

fonte: *** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
t-info
3 horas atrás por t-info
Visualizações: 10 | Comentários: 0


Um dos grandes anúncios desta segunda-feira (30) veio da Intel, com o novo modelo de CPU Core i7 com nada menos que 10 núcleos. E o destaque dessa geração, a "Extreme Edition", recebeu alguns detalhes adicionais durante a Computex 2016.

Para começar, uma má notícia: o preço do modelo mais poderoso, o 6950X, acabou encarecido em relação às informações originalmente divulgadas no TecMundo. De US$ 1.569, ele passou para US$ 1.723 (cerca de R$ 6.140)

Os outros modelos também ficaram mais caros no preço final, com aumentos menos consideráveis:
i7-6900K - de US$ 999 para US$ 1.089 (R$ 3.882)
i7-6850K - de US$ 587 para US$ 617 (R$ 2.199)
i7-6800K - de US$ 412 para US$ 434 (R$ 1.547)

Só que também tem uma boa notícia: segundo o site The Verge, está confirmada a manutenção de compatibilidade dessa geração de chips (Broadwell-E) em relação ao chipset X99 chipset da anterior (Haswell-E). Assim, se você é cliente fiel da marca, não precisará trocar de placa-mãe na hora do upgrade, sendo necessário apenas a atualização da própria unidade de processamento.

Relembrando o monstro

Fabricadas em uma arquitetura de 14 nm, as novas CPUs da Intel já vêm desbloqueados e otimizados para overclocking e personalizações. Eles são ideais para praticamente qualquer coisa que você fizer na máquina, mas ganham destaques especiais algumas funções que estão na moda: para multitarefas pesadas, realidade virtual (VR), criação de vídeo em 360º e reprodução ou edição de conteúdos em 4K.
O grande destaque dessa nova geração, o i7-6950X CPU, é o tal "monstro" de 10 núcleos e 3 GHz (com Turbo Boost de 3,5 GHz). Ele ainda conta com 25MB de cache onboard e, assim como o resto da linha, apresenta a tecnologia Turbo Boost Max 3.0. Com ela o desempenho melhora no geral em 15%, seja para arquiteturas de comandos únicos ou múltiplos.

fonte: *** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
FLAVIOTECH
19 horas atrás por FLAVIOTECH
Visualizações: 8 | Comentários: 0



Por trás das gigantes de processadores móveis – como Qualcomm, Apple e Samsung – está a ARM. A empresa britânica criou uma nova microarquitetura para smartphones e tablets que é ainda mais rápida e mais eficiente.

O Cortex-A73 promete desempenho 30% maior e eficiência energética 30% maior se comparado à geração anterior – núcleos Cortex-A72 são usados no Snapdragon 652; no veloz HiSilicon Kirin 950, da Huawei; e no MediaTek Helio X20 com dez núcleos.

Segundo o Ars Technica, a parte mais interessante do novo Cortex-A73 é sua promessa de atingir um desempenho elevado e de manter essa performance por mais tempo.

É um problema que afetou o Snapdragon 810, por exemplo: ele deveria ser mais rápido que a concorrência, mas na prática, precisava rodar em um clock mais baixo para evitar superaquecimento.

Enquanto isso, chips com Cortex-A73 podem manter um desempenho bastante próximo ao limite máximo sem superaquecer. Isso significa o dobro da performance contínua em relação a processadores como o Snapdragon 810 e o Samsung Exynos 7, presente no Galaxy Note 5 e Galaxy S6.



Isso é bem importante para jogos e especialmente para a realidade virtual, que exigirá mais dos processadores – e por mais tempo. Se a taxa de quadros diminui, o usuário percebe rapidamente e perde a imersão.

A performance contínua é maior graças a mudanças na arquitetura, e também graças a processos de fabricação mais compactos de 10nm, que deixam os transistores mais próximos entre si, fazendo-os consumir menos energia.

A ARM também preparou o chip gráfico Mali-G71 e a nova arquitetura Bitfrost, que tem suporte a algo chamado “computação heterogênea”. Basicamente, o chip gráfico pode ser usado como um processador comum.

A HSA (Arquitetura de Sistemas Heterogêneos) permite que o chip gráfico e o processador compartilhem memória entre si, acelerando algumas tarefas. AMD e ARM estão unidas desde 2012 para promover esta arquitetura.

Processadores com Cortex-A73 e Mali-G71 começarão a ser produzidos no final do ano, e chegarão a dispositivos no início de 2017.

Fonte: *** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login

j+ se gostou!  8)
camilapit
2 dias atrás por camilapit
Visualizações: 35 | Comentários: 0

Como o código-fonte aberto de hardware aplica-se a eletrônica e a Comunidade Open Source

Estamos todos familiarizados com o software de código aberto por agora com programas como o controle de versão / gerenciador de backup Git, o navegador web Firefox, e, claro, quase todas as distribuições do sistema operacional Linux. Mas o que exatamente faz hardware open source diferente?

Hardware de código-fonte aberto pode ser um objeto físico, como as placas Arduíno sempre populares, ou algo um pouco mais intangível, como uma CPU softcore. Mesmo a companhia de carro Tesla contribuiu em grande quantidade para a comunidade hardware de código aberto, como têm feito um todos os seus feitos patentes públicas, e podem ser pesquisados ​​online. Para o objeto físico, os esquemas estão disponíveis ao público, que é semelhante ao código-fonte estar disponível para editar e fazer o download. É completamente possível criar sua própria placa Arduino, pois há inúmeros clones disponíveis. O distribuidor de peças Mouser tem uma lista de placas de hardware de código aberto disponíveis para compra, ou aprender sobre.



A placa de desenvolvimento microcontrolador Arduino Uno R3. Uma das muitas placas Open Source hardware disponível.

Atualmente, existem dois tipos de licenças para hardware de código aberto: copyleft e permissiva . Quando a idéia de hardware livre surgiu, ele estava indo para cobrir os dispositivos eletrônicos e projetos mecânicos, mas se espalhou para cobrir muito mais do que apenas isso. Como citado no site da Associação Hardware Open Source,

"Hardware de código aberto tem sido aplicada a moda, móveis, instrumentos musicais, máquinas agrícolas, bio-engenharia e muito mais."
Onde é que a Imaterial Side of Electronics Fit in?
Como FPGAs pode implementar uma quantidade aparentemente infinita de dispositivos diferentes, é bastante possível criar CPUs personalizadas e programá-los para um tal dispositivo. Esta área combina os limites entre hardware e software, uma vez que estes processadores são escritos em descrição de hardware línguas, e depois compilado para ser colocado sobre um FPGA. Um exemplo do uso de uma linguagem de descrição de hardware para implementar hardware é descrito neste artigo: Implementar uma máquina de estados finitos em VHDL

Um dos principais fabricantes de FPGA, Altera, tem sua própria CPU softcore chamado o NIOS II. No entanto, não é aberto. Um site, OpenCores, tem uma grande quantidade de projetos para dispositivos de hardware de código aberto, como processadores, núcleos de criptografia, núcleos aritméticos, controladores de vídeo, etc. seria possível aprender com estes exemplos e criar uma arquitetura totalmente nova para ser usado, ou usar uma arquitetura aberta como OpenRISC .

Porque é que a comunidade de fonte aberta tão importante?
Open Source Hardware pode trazer muito mais para a mesa com a inovação, uma vez que não se limita a um único meio; praticamente qualquer item físico que pode ser criado pode ser parte da Comunidade Hardware Open Source. Com esta visão diferente do que anteriormente feito com itens físicos, as pessoas podem estudar como as coisas funcionam para um nível mais exato em vez de tentar fazer engenharia reversa. Também seria mais fácil de modificar o respectivo objeto para sua preferência, como é mais fácil de descobrir como adicionar ou subtrair diferentes partes com a documentação adequada. A Associação Open Source Hardware explica como o código-fonte aberto de hardware funciona e sua importância no vídeo abaixo.


Acima de tudo, como vimos com a comunidade Arduino, um dispositivo pode expandir-se para um grande número de dispositivos diferentes para as pessoas criarem seus próprios dispositivos que constroem na iteração anterior, sem se preocupar com a entrar em problemas legais. Pode-se pesquisar um arquivo objeto 3D, melhorá-lo, fazer o upload e o ciclo pode repetir várias vezes que podem melhorar muito a qualidade do que uma única pessoa, ou empresa, ao longo de anos de pesquisa. A comunidade de código aberto deve acolher uma grande inclusão tal.

Você pode encontrar uma lista de plataformas de hardware fonte mais abertas sobre Wikipedia .

fonte: *** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
FLAVIOTECH
2 dias atrás por FLAVIOTECH
Visualizações: 14 | Comentários: 0

Corpo do 5s e desempenho do 6s.
Essa é a descrição perfeita pro iPhone SE, o novo smartphone da Apple para queles que estão cansados de uma tela grande.
Será que vale a pena apostar no iPhone SE?


Fonte: TecMundo - YouTube
Páginas: [1] 2 3 ... 92
Patrocinador

Eletrnica Castro

* Top Poster do Mês

hds-tec hds-tec
565 Mensagens
curtolo curtolo
517 Mensagens
Gilson Macedo Gilson Macedo
391 Mensagens
notebookgr notebookgr
309 Mensagens
FLAVIOTECH FLAVIOTECH
298 Mensagens
claudio cortez claudio cortez
221 Mensagens
K0rTy K0rTy
153 Mensagens
o__rionTG o__rionTG
147 Mensagens
msgrillo msgrillo
146 Mensagens
Kaio Macedo Kaio Macedo
145 Mensagens
Antonio vm Antonio vm
139 Mensagens
Gonçalo Costa Gonçalo Costa
131 Mensagens
nmercker nmercker
125 Mensagens
CATC MULTIMARCAS CATC MULTIMARCAS
115 Mensagens
SERGIO_372 SERGIO_372
108 Mensagens
rampa rampa
107 Mensagens
ElianLaptop ElianLaptop
104 Mensagens
William_R William_R
100 Mensagens
Jakers Binder Jakers Binder
94 Mensagens
CJ CJ
93 Mensagens
Patrocinador

ftec
Patrocinador

global
Patrocinador

GearBest
Midias EletrncaBR