Jump to content
elias.girardi

notícia Robôs de silício ou chips que ganharam vida?

Rate this topic

Recommended Posts

010180200901-robos-laser-paramecio.jpg.be3a87a369d14bfc97bad213368f2a56.jpg

Chips robotizados: Quatro atuadores eletroquímicos funcionam como pernas - mas totalmente integradas à placa de silício. [Imagem: Cornell]

 

Chips robotizados

 

Construir robôs em escala micrométrica e nanométrica é complicado, especialmente quando se trata de projetar "atuadores" em pequena escala - os motores que permitem que os robôs se movam.

 

Os atuadores convencionais não funcionam em uma escala tão pequena, e versões mais recentes que funcionam usam mecanismos como o magnetismo, o que torna difícil integrá-las com os circuitos eletrônicos necessários para controlar o robô.

 

Agora, uma equipe de pesquisadores das universidades Cornell e Pensilvânia, nos EUA, desenvolveu um novo tipo de atuador que opera eletronicamente, podendo ser instalado diretamente no circuito eletrônico que o controla.

 

Se parece pouco, isso abre as portas para incorporar em robôs tão pequenos que não podem ser vistos pelo olho humano todo o desenvolvimento da eletrônica dos últimos 50 anos.

 

Você pode vê-los como robôs que incorporam a eletrônica em si mesmos, mas também pode ver por outro lado: Eles não são mais do que chips de silício que ganharam mobilidade.

 

Aproximadamente do tamanho de um paramécio, esses robôs fornecem um modelo para a construção de versões ainda mais complexas, que possam utilizar "inteligência" baseada em silício, podem ser produzidos em massa e, quem sabe, possam um dia viajar pelo sangue através do nosso corpo para realizar tarefas médicas.

 

010180200901-robos-laser-paramecio-1.jpg.87267b60f171e37a2a3f1f3ae227d14c.jpg

Se você visse esses robôs a olho nu, certamente os confundiria com poeira. [Imagem: Marc Z. Miskin et al. - 10.1038/s41586-020-2626-9]

 

Microrrobôs eletrônicos

Os microrrobôs têm cerca de 5 micrômetros de espessura (um micrômetros equivale a um milionésimo de metro), 40 micrômetros de largura e variam de 40 a 70 micrômetros de comprimento. Cada bot consiste em um circuito simples, feito de silício, incluindo células solares - esse bloco funciona como o tronco e o cérebro da máquina - e quatro atuadores eletroquímicos, que funcionam como pernas.

 

Os robôs são controlados emitindo pulsos de laser em diferentes células fotovoltaicas, cada uma delas acionando um conjunto separado de pernas. O movimento de caminhar é obtido alternando o laser para frente e para trás, entre as células solares frontais e traseiras.

 

Outra vantagem é que os microrrobôs exigem baixa tensão (200 milivolts) e baixa potência (10 nanowatts), e têm uma força significativa para seu tamanho. Por serem feitos com processos litográficos padrão, eles podem ser fabricados em larga escala: cerca de 1 milhão de microrrobôs cabem em uma pastilha de silício de 4 polegadas (10 centímetros).

 

Comprovado que o conceito funciona, a equipe pretende agora incorporar circuitos eletrônicos mais complicados e processadores. O próximo passo será fazer os robôs funcionarem como enxames, imitando o comportamento de peixes, pássaros e insetos.

 

Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=robos-silicio-ou-chips-ganharam-vida&id=010180200901#.X1EnAvlKgdU

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Rods
      Esse é um chamado técnico bom de resolver!!
       
      https://www.techtudo.com.br/google/amp/noticias/2020/09/tv-antiga-deixou-cidade-inteira-sem-internet-pela-manha-por-18-meses.ghtml
    • By jojomanjo58
      💥Essa daqui vai para os fãs de um futebol! 💥

      Quando virar pai, se eu puder dizer uma coisa ao meu filho sobre essa quarentena, com certeza será: foi o ano em que joguei tudo que tinha para jogar em relação a futebol. Eu não estou brincando.
      .
       Segue a lista dos jogados até agora: Brasfoot, Sokker, FIFA , PES... Enjooei tanto desses que fui procurar por novos, e deu vontade de compartilhar esse com vcs!
      (afinal, jogo bom merece ser promovido)
      .
      Estou falando desse cara aqui:  br.footballteamgame.com/join
      .
      Simplismente é o browser game que mais estou ansioso para jogar nesse ano, e acho q vcs vão gostar. Digo ansioso pq ele está para lançar mês que vem. Nele, a ideia é que criemos um jogador, gerenciemos um time e treinemos as habilidades do jogadores, entre outras coisas. Achei ele genial pq me pareceu q eles conseguiram misturar elementos de outros clássicos dessa pegada, sem deixar de lado o moderno e atual - dá até para montarmos um time com outras pessoas!
      .
      Bom, é isso, espero que curtam essa recomendação! Para desktop,  tbm ando jogando TF2, Foundation e Fall Guys, hehehhee.
      .
      Mas quem pilhar de se resgistrar nele, deixe o nick nos comentários, vai ser um prazer montar um time com vcs futuramente!
    • By elias.girardi
      Novo projetor pode ser colocado perto da parede para projeção — Foto: Divulgação/Epson
       
      O projetor Epson EpiqVision Ultra LS500 é o modelo mais recente da marca no mercado. Anunciado na última quarta-feira (16), o modelo chega para concorrer diretamente com o The Premiere, da Samsung, que foi revelado às vésperas da IFA 2020, em evento próprio. O modelo da Epson fica próximo à parede na qual vai exibir as imagens, que podem chegar a até 120 polegadas e têm resolução 4K.
       
      Com Android TV, o produto promete substituir uma smart TV, oferecendo os principais apps de streaming do mercado, como Netflix, Amazon Prime Vídeo, entre outros. Ainda sem previsão de chegada ao Brasil, o produto já está à venda nos Estados Unidos por US$ 4.999, cerca de R$ 26.200 na cotação atual, sem frete e possíveis impostos.
       
      O grande diferencial do EpiqVision é poder ser montado muito perto da área de projeção, o que dispensa a instalação de suportes adicionais e impede que pessoas atrapalhem a exibição passando na frente, por exemplo. A distância adequada para projetar em 120” é de cerca de 85 cm.
       
      Ao todo, o projetor tem medidas de 45,72 x 37,33 x 20,82 cm e pesa, ao todo, 9,29 kg. O produto pode transmitir em até 4K com brilho de 4.000 lumens, além de contraste em 2.000.000:1. O modelo também promete imagens em 3D através de óculos especializados.
       

      Projetor da Epson funciona "colado" à parede e tem design premium — Foto: Divulgação/Epson
       
      A TV possui ainda processamento HDR avançado de 10 bits e três chips 3LCD, sendo capaz de exibir todo o espectro de cores no padrão Rec. 709. A imagem também terá a capacidade de processar vídeos do analógico para digital em tempo real.
       
      A compatibilidade com Android TV é outro diferencial do modelo. Isto permite ao projetor rodar diversos tipos de apps, seja para assistir a filmes e séries via streaming ou ouvir músicas em serviços como Spotify e Deezer, entre outros. O projetor também conta com um controle remoto que permite acessar o Google Assistente para comandos de voz, entre outras possibilidades.
       
      O produto também traz alto-falantes em estéreo com 10 Watts RMS de potência. O número fica na média de televisores de entrada, mas deve ser suficiente para ambientes menores. Apesar disso, para compensar as 120 polegadas, deve ser mais interessante conectar uma caixa de som via cabo P2, ou até uma soundbar via HDMI.
       
      Vale ressaltar que a fabricante não fala sobre conectividades Bluetooth e Wi-Fi, trazendo como interfaces apenas uma porta LAN, três HDMI 2.0 de até 18 Gb/s e duas entradas USB tipo A.
       
      Fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2020/09/projetor-epson-promete-substituir-tv-com-imagens-de-ate-120-polegadas.ghtml
    • By barbudoj
      Top de linha da Nvidia chega com nova arquitetura Ampere e impressiona com especificações
       
      GeForce RTX 3090 é a placa de vídeo top de linha da nova geração da Nvidia. Em torno de 2,5 vezes mais rápida do que a RTX 2080 Ti, a placa usa a nova arquitetura Ampere e, segundo a fabricante, tem poderio suficiente para encarar jogos em 8K a 60 fps. O modelo traz ainda reforços significativos em termos de rendimento na aceleração de Ray Tracing e na oferta de recursos exclusivos da Nvidia, como o DLSS 2.0.
       
      O preço, por sua vez, pode assustar: são US$ 1.499 (aproximadamente R$ 8.040), e o produto começa a ser vendido no próximo dia 24 de setembro. Confira a seguir mais detalhes a respeito da ficha técnica poderosa da RTX 3090 e saiba porque o lançamento da Nvidia é tão importante.
       

      GeForce RTX 3090 é a placa top de linha da nova geração da Nvidia — Foto: Reprodução/Nvidia
       
      Ficha técnica Nvidia GeForce RTX 3090:
       
      Lançamento: Setembro de 2020 Preço: US$ 1.499 (R$ 8.040) GPU: GA102 com 10.496 núcleos CUDA, 82 núcleos RT e 328 núcleos Tensor Velocidades: 1.400 MHz em clock base, turbo de até 1.700 MHz Memória RAM: 24 GB de GDDR6X a 19,5 Gb/s Interface de memória: 384 bits Largura de banda: 936 GB/s TBP: 350 Watts, requer fonte de 750 Watts  
      Especificações
      A GeForce RTX 3090 é a top de linha da nova família de placas da Nvidia, trazendo números que impressionam. No interior do processador gráfico há 10.496 núcleos CUDA de processamento, por exemplo.
       
      São esses que realizam o trabalho pesado da placa de vídeo e, quanto mais estiverem disponíveis, melhor: a GPU vai conseguir realizar mais trabalho ao mesmo tempo. As velocidades em que esse processador trabalha também impressionam. Segundo a Nvidia, a RTX 3090 de referência terá clocks de 1,4 GHz e que podem subir até 1,7 GHz com o turbo acionado.
       
      Outro item interessante é a memória, com 24 GB de RAM dedicada, em padrão GDDR6X, mais recente. Além disso, a interface utilizada é de 384 bits, ou seja, tem uma boa largura para mais transferir dados em menos tempo. A Nvidia fala em velocidades em torno de 936 GB/s entre os componentes.
       

      RTX 3090 chama atenção pela ficha técnica poderosa; novo design das placas Ampere também é destaque — Foto: Divulgação/Nvidia
       
      Outros números da top de linha também subiram em relação à geração anterior. O número de Tensor cores, os núcleos de inteligência artificial usados no DLSS – tecnologia revolucionária da Nvidia – subiu para 328. Esse recurso reconstrói uma imagem de menor resolução em alta a partir de inteligência artificial. Jogos que exploram a tecnologia podem rodar em Full HD internamente, mas visualizar o conteúdo em 4K – o que deve ficar mais fácil para a GPU com os núcleos específicos.
       
      Já o Ray Tracing também vai reforçado, com 82 núcleos RT. Com o poderio da placa em si e a possibilidade do DLSS 2.0, a RTX 3090 deve ter capacidade para rodar games em alta, mesmo mantendo uma boa resolução e fps elevado.
       
      Desempenho
       

      Placa aprimora o suporte ao DLSS 2.0 e Ray Tracing — Foto: Divulgação/Nvidia
       
      Todos os números anteriores indicam uma placa de vídeo poderosa. Segundo a Nvidia, a RTX 3090 deve entregar uma performance computacional bruta de 35 teraflops (TFLOPS), ou seja, 2,5 vezes mais performance em relação à RTX 2080 Ti, top de linha anterior da Nvidia. A nova placa também chega com desempenho 150% maior, algo interessante para rodar games com DLSS ativado.
       
      Já os ganhos de VRAM também são grandes, e a fabricante promete performance 52% superior em relação à opção premium anterior. As melhorias podem ser vistas ainda no Ray Tracing, que ganha com o número maior de núcleos RT: são 69 TFLOPS contra 34 TFLOPS na opção de arquitetura Turing.
       
      Consumo

      Segundo a Nvidia, seu PC precisa de fonte de 750 Watts para dar conta da RTX 3090 — Foto: Reprodução/Nvidia
       
      O custo de um hardware de alta capacidade e tantos componentes especializados está no consumo elétrico. A Nvidia aponta que para usar a RTX 3090 com segurança um computador deve contar com fonte de energia de 750 Watts.
       
      Em termos de consumo de energia, a Nvidia define o chamado TBP (sigla, em inglês, para “Energia Total da Placa”) em 350 Watts. Esse valor não é diretamente relacionado com o quanto a placa vai criar de despesa na sua conta de luz, já que o consumo é medido ao longo do tempo. Além disso, esse máximo reflete o pior cenário possível, ou seja, ter a placa sob um regime de alta demanda por um período prolongado de tempo.
       
      Tipos de uso
      A GeForce RTX 3090 é a placa gráfica mais poderosa do mundo na atualidade e seu principal cenário de uso é o gamer. O hardware de ponta da Nvidia deve funcionar como referência para quem deseja extrair o máximo dos grandes lançamentos de agora, assim como os títulos que chegarão nos próximos anos. A GPU deve ser suficiente para jogar em 4K sem problemas, além de encarar gráficos de realidade virtual ou até chegar aos 8K a 60 fps, pelo que promete a Nvidia.
       
      Além do uso em games, a placa se apresenta ainda como uma ferramenta poderosa nas mãos de profissionais de áreas de criação e de computação intensiva. Editores de vídeo, de imagens, quem faz modelagem em 3D, entre outros profissionais, podem tirar proveito do hardware poderoso da RTX top de linha para acelerar fluxos de trabalho e ganhar em produtividade.
       

      Placa da Nvidia é opção gamer para quem quer ter o melhor da tecnologia na atualidade, como ray tracing (RTX) e gráficos em 8K — Foto: Divulgação/Nvidia
       
      Outro cenário em que a RTX 3090 pode se sobressair é em aplicações de Inteligência Artificial. Equipada com hardware específico – os chamados Tensor cores – a placa conta ainda com a mesma arquitetura CUDA em que grande parte das ferramentas de processamento de IA são construídas na última década.
       
      Preço e concorrentes
      Ainda sem data e preço de lançamento no Brasil, a GeForce RTX 3090 estreia com preço sugerido de US$ 1.499 a unidade, valor que se traduz em R$ 8.040 na cotação atual. A placa chega ao mercado internacional no dia 24 de setembro.
       
      Em termos de concorrentes, é preciso considerar que a RTX 3090 não tem rival direta no mercado. As alternativas mais próximas são suas irmãs de arquitetura Ampere, como as RTX 3070 e RTX 3080. Outras alternativas são as RTX 2080 Ti, que podem inclusive ficar mais baratas nos próximos meses em virtude da nova geração. No Brasil, as opções mais em conta partem dos R$ 9.299 no momento. Já as RTX 2080 Super, um pouco abaixo em preço e hardware, aparece por cerca de R$ 6 mil no varejo nacional.
       
      Fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2020/09/tudo-sobre-rtx-3090-conheca-a-placa-da-nvidia-que-roda-jogos-em-ate-8k.ghtml
       
       
       
       

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...