Jump to content
djsync

notícia Telas OLEDs finalmente ganham um píxel azul puro e eficiente

Rate this topic

Recommended Posts

Píxel azul

Pode ter sido vencido o último grande desafio para dar eficiência máxima aos monitores e telas que usam OLEDs, ou diodos emissores de luz orgânicos: Uma fonte de luz azul que alcança o mesmo desempenho das cores vermelha e verde.

010150210111-oled-azul-puro-2.jpg.9a5a0db417421f3341df1f0eb279a8ce.jpg

 

Chin-Yiu Chan e seus colegas da Universidade Kyushu, no Japão, sintetizaram OLEDs que produzem emissão de azul puro com alta eficiência, mantêm o brilho por tempos relativamente longos e não têm nenhum átomo de metal caro - um conjunto de propriedades nunca alcançado até agora.

 

A inovação foi obtida quando Chan dividiu os processos de conversão e emissão de energia entre duas substâncias orgânicas diferentes.

Ao contrário das tecnologias de LCD - o que inclui as telas de LEDs inorgânicos tradicionais -, que empregam cristais líquidos para bloquear seletivamente a emissão de uma luz de fundo filtrada cobrindo muitos píxeis, uma tela OLED usa píxeis separados de vermelho, verde e azul.

 

Cada píxel pode ser completamente ligado e desligado individualmente, reduzindo o consumo de energia e produzindo pretos mais profundos, o que ajuda a melhorar a qualidade da imagem.

 

Embora as telas de OLEDs disponíveis no mercado usem emissores azuis estáveis, baseados em um processo conhecido como fluorescência, eles apresentam uma eficiência máxima baixa. Os chamados emissores fosforescentes podem alcançar uma eficiência quântica ideal de 100%, mas geralmente apresentam tempos de vida operacionais mais curtos e requerem metais caros, como irídio ou platina.

 

Hiperfluorescência

O que Chan e seus colegas fizeram foi desenvolver duas moléculas orgânicas que emitem luz com base em um processo que a equipe chama de "fluorescência retardada termicamente ativada", que dispensa os átomos metálicos.

 

Adotando uma estrutura que basicamente empilha dois componentes um em cima do outro, um feito de cada uma das moléculas, a emissão de luz praticamente dobra para a mesma corrente elétrica, um patamar de eficiência que a equipe chama de "hiperfluorescência".

 

Além disso, a vida útil quase dobrou, com a equipe estimando que os dispositivos poderiam manter 50% de seu brilho por mais de 10.000 horas.

 

"Embora isso ainda seja muito curto para aplicações práticas, o controle mais rígido das condições de fabricação geralmente leva a vidas úteis ainda mais longas. Portanto, esses resultados iniciais apontam para um futuro muito promissor para esta abordagem para finalmente obter um OLED azul puro eficiente e estável," disse o professor Chihaya Adachi, cuja equipe já havia desenvolvido os primeiros materiais orgânicos que brilham no escuro e um laser orgânico, ou O-Laser.

Bibliografia:

 

fonte: inovacaotecnologica.com.br

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Luiz Fernando Peres Amorim
      Bom dia.
      Estou com dois nobreaks aqui com o seguinte problema (exatamente o mesmo DEFEITO, deve ser um defeito comum deste modelo):
      Veio com as baterias ruins (instalei baterias novas), porém acende o LED na cor AZUL e fica piscando (apagando) com intervalos.
      Aparentemente tudo funcionando normal, mas quando retiro da tomada (simulando que de energia) não tem tensão nas saídas, como se o inverter (que excita as saídas) não está sendo habilitado.
      Alguém pode me ajudar ?
      Analises feita:
      - tem tensão de recarga
      -  tensão em cima de Q15 (23.2v) (15.0v ) (14.5v)
      - IC 12 (5v)
      Obrigado.
    • By elias.girardi
      Após sete meses de viagem no espaço e "sete minutos de terror" durante o pouso em Marte, o rover Perseverance e o helicóptero Ingenuity pousaram em segurança na cratera Jezero. A manobra aconteceu no final da tarde desta quinta-feira (18), com transmissão ao vivo da NASA, que exibiu também a primeira imagem de Marte capturada pelo “olho”, quer dizer, pela câmera do robozinho explorador.
       
      Muito mais do que apenas mais um rover em Marte, o Perseverance é o maior e mais completo equipamento científico já enviado ao Planeta Vermelho, além de possuir o maior número de câmeras. Seu sistema de armazenamento de amostra requintadamente é complexo e inovador, desenvolvido para analisar o solo de Jezero em busca de potenciais sinais de vida microscópica antiga, que podem estar fossilizados na cratera, onde bilhões de anos atrás havia um lago.
       
      Após os momentos de tensão entre a manobra de pouso e os envios dos sinais indicando que tudo estava bem com o Perseverance, a equipe da missão na sala de controle recebeu as primeiras imagens, capturada pelas câmeras de navegação que ficam na parte da frente e de trás de seu corpo. Ter essas imagens na tela de controle da missão é mais ou menos como abrir os olhos após uma cirurgia e perceber que tudo correu bem, considerando todo o nervosismo nessa etapa crucial.
       

      A primeira imagem do novo lar do Perseverance, capturada pela câmera de navegação frontal (Imagem: Reprodução/NASA/JPL)
       
      Se a primeira foto parece um tanto decepcionante — afinal, todos querem ver a paisagem marciana em seu esplendor —, não se preocupe. Há bastante poeira agitada pelo pouso do rover, então as imagens devem melhorar consideravelmente quando tudo estiver mais calmo. Além disso, as câmeras de navegação servem apenas para orientar o veículo robótico, enquanto as imagens de alta resolução ficarão a cargo das câmeras mais robustas.
       
      Deve levar algum tempo para que o Perseverance verifique que todos os seus instrumentos e sistemas estão funcionando de acordo com o planejado e, depois, a NASA poderá começar a explorar a cratera Jezero. Ah! O robozinho também já enviou uma segunda foto, que foi capturada pela câmera de orientação traseira. São essas duas visões que os controladores da missão utilizarão daqui a diante para controlar o rover, quando necessário.
       

      (Imagem: Reprodução/NASA/JPL)
       
      São muitos cientistas e engenheiros envolvidos em cada um dos instrumentos do Perseverance, e todos eles deverão averiguar cada componente, subsistema e sub-rotina nas próximas semanas, o que também inclui o helicóptero Ingenuity. Só então a NASA colocará o equipamento para trabalhar. De qualquer forma, as duas primeiras imagens podem entrar para a história caso o Perseverance seja o rover que descobrirá a primeira assinatura de vida fora da Terra!
       
      Abaixo, você confere exatamente onde o Perseverance pousou e, acessando https://mars.nasa.gov/maps/location/?mission=M20, você abre o mapa pela ferramenta da NASA, que permite até dar um zoom para ver o local com ainda mais detalhes:
       

      (Imagem: Reprodução/NASA)
       
      Fonte: https://canaltech.com.br/espaco/veja-as-primeiras-fotos-tiradas-pelo-perseverance-logo-apos-o-pouso-em-marte-179177/
    • By elias.girardi
      Tesla Roadster, o esportivo da Tesla, pode ganhar propulsores espaciais/ Imagem: Tesla
       
      O sempre polêmico e espitiruoso CEO da Tesla, Elon Musk, segue dando pitacos do que sua empresa pretende fazer, mesmo que isso, em um primeiro momento, soe bem futurista e irreal. De acordo com o executivo, há a possibilidade de que o carro elétrico esportivo Tesla Roadster ganhe propulsores em suas rodas que sejam capazes de mante-lo no ar, uma espécie de "pacote SpaceX".
       
      Em entrevista para o podcast de Joe Rogan, um dos mais acessados dos Estados Unidos, Musk disse que pretende que o Tesla Roadster seja capaz de permanecer um metro no ar e se locomover pelas ruas, a questão, no entanto, é como fazer isso e manter a segurança dos passageiros e de quem está fora do veículo. “Eu quero que ele fique pairando, e eu tentei descobrir como fazer essa coisa pairar sem matar pessoas, sabe? Talvez ele possa pairar um metro acima do solo, ou algo parecido. Se você despencar, vai arrebentar a suspensão, mas você não vai morrer", explicou Musk.
       
      Tecnicamente, o Roadster teria que ganhar propulsores espaciais com força gravitacional superior, algo que a SpaceX, outra de suas empresas, poderia fazer para o carro elétrico. Ele sugere que essa adaptação pode fazer com que o veículo ganhe aceleração gravitacional de nível 3, sendo que com o nível 2 já seria possível ao menos levitar.
       
      Tudo ainda não está sequer no papel, mas Musk não terá dificuldades apenas para projetar esse carro voador. Será necessário, também, convencer as autoridades de que esse veículo pode ser seguro, confiável e utilizável.
       
      Você teria coragem de andar (ou voar) em um carro desses? Diga aí embaixo, nos comentários!
       
      Fonte: https://canaltech.com.br/carros/elon-musk-quer-fazer-tesla-roadster-levitar-a-1-metro-do-chao-com-propulsores-179013/
    • By elias.girardi
      Já faz algum tempo que a Google não nomeava novas versões do Android com nomes de doces. Mas ao que tudo indica, a empresa manteve a tradição viva entre os colaboradores, e o codinome do Android 12 foi revelado: Snow Cone, uma sobremesa de gelo ralado e xarope, que pode vir em diversas cores e sabores.
       
      A descoberta foi feita pela equipe do XDA Developers, que já começou a encontrar referências ao doce Snow Cone. Essas referências são feitas por meio de abreviações "sc" no repositório do sistema, semelhante ao que fizeram com o Android 11, que ganhou o nome interno de Red Velvet Cake (“rvc”). Inclusive, a empresa lançou junto com o Android 11, uma experiência em realidade aumentada que ensinava a receita do bolo vermelho. Não se sabe quais surpresas acompanharão o Snow Cone.
       
      A Google ainda não confirmou a novidade, mas o XDA Developers já é conhecido por acertar em seus vazamentos.
       
      Tradição
       
      Desde o lançamento do Android 1.5 Cupcake, a Google contava com codinomes de doces para nomear seus produtos. A partir do Android 10 Q, a empresa decidiu abolir a prática, como uma forma de simplificar seu trabalho. Confira a lista de sobremesas utilizadas pelo Google em seus sistemas Android:
       
      Android 1.0 – Alpha
      Android 1.1 – Beta
      Android 1.5 – Cupcake
      Android 1.6 – Donut
      Android 2.0/2.1 – Eclair
      Android 2.2 – Froyo
      Android 2.3 – Gingerbread
      Android 3.0/3.1/3.2 – Honeycomb
      Android 4.0 – Ice Cream Sandwich
      Android 4.1/4.2/4.3 – Jelly Bean
      Android 4.4 – KitKat
      Android 5.0/5.1 – Lollipop
      Android 6.0 – Marshmallow
      Android 7.0/7.1 – Nougat
      Android 8.0/8.1 – Oreo
      Android 9.0 – Pie
      Android 10
      Android 11
       
      Fonte: https://www.tecmundo.com.br/software/211103-android-12-google-nomeia-sistema-snow-cone.htm
       
    • By Juninho Rocha
      olá , estou com essa tv , mencionada acima , a mesma liga aparece logo da aoc , em seguida fica tudo preta ( porém ligada ainda ) , detalhe os botões de comando da tv não respondem , obs : liga apenas o led azul 

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...