Jump to content
Kerbergabriel

notícia Criados átomos gêmeos, unidos até o fim do Universo

Rate this topic

Recommended Posts

Criados átomos gêmeos, unidos até o fim do Universo

 

image.png.972762cfa440c5ad0c88fbbfac754b4a.png

Este é o chip que sacramenta o casamento dos átomos, que se tornam intrinsecamente interligados, qualquer que seja a distância que os separe.

 

Entrelaçamento de átomos

Se jogarmos duas moedas, o resultado de um lançamento não tem nada a ver com o resultado do outro: As chances são de 50% de tirar cara ou coroa mas, se você tirar cara, não significa que agora haverá 100% de chance de tirar coroa; as moedas são objetos independentes.

No mundo da física quântica, as coisas são diferentes: as partículas quânticas podem ser entrelaçadas e, nesse caso, não podem mais ser consideradas como objetos individuais independentes, só podendo ser descritas como um sistema conjunto.

Durante anos, foi possível produzir fótons entrelaçados - pares de partículas de luz que se movem em direções completamente diferentes, mas ainda estão associados um ao outro. Têm havido resultados espetaculares, por exemplo, no campo do teletransporte quântico e da criptografia quântica.

Agora, Filippo Borselli e seus colegas da Universidade Tecnológica de Viena, na Áustria, conseguiram produzir pares de átomos entrelaçados - e não apenas átomos que são emitidos em todas as direções, mas feixes bem definidos de átomos.

 

Átomos gêmeos

Existem diferentes métodos de criação de entrelaçamento quântico. Por exemplo, cristais especiais podem ser usados para criar pares de fótons entrelaçados: Um fóton com alta energia é convertido pelo cristal em dois fótons de baixa energia - isso é chamado de "conversão descendente" e permite que um grande número de pares de fótons entrelaçados seja produzido de forma rápida e fácil.

Entrelaçar átomos, no entanto, é muito mais difícil. Átomos individuais podem ser entrelaçados usando operações de laser complicadas, ou você pode esperar para produzi-los por processos aleatórios, o que não é prático.

A nova técnica permite que, a partir de agora, pares de átomos gêmeos sejam produzidos de maneira controlada. Para isso, uma nuvem de átomos ultrafria é contida por forças eletromagnéticas dentro de um minúsculo chip. "Nós manipulamos esses átomos para que eles não acabem no estado com a energia mais baixa possível, mas em um estado de energia mais alta," conta o professor Jörg Schmiedmayer.

A partir desse estado excitado, os átomos retornam espontaneamente ao estado fundamental com a energia mais baixa.

No entanto, a armadilha eletromagnética é construída de tal forma que esse retorno ao estado fundamental é fisicamente impossível para um único átomo - isso violaria a conservação do momento.

Os átomos, portanto, só podem decair para o estado fundamental como pares e voar em direções opostas, de modo que seu momento total permaneça zero. Isso cria átomos gêmeos que se movem exatamente na direção especificada pela geometria da armadilha eletromagnética no chip.

image.png.4d26f90c4a16d4a25ddcd463aaecdb82.png

Não é possível mexer com um dos átomos entrelaçados sem afetar imediatamente o outro.
 

 

Experimento da dupla fenda

A armadilha magnética consiste em dois guias de ondas paralelos. O par de átomos gêmeos pode ter sido criado no guia de onda esquerdo ou direito - ou, como a física quântica permite, em ambos simultaneamente.

"É como o conhecido experimento da dupla fenda, em que você atira uma partícula em uma parede com duas fendas," explica Schmiedmayer. "A partícula pode passar pela fenda esquerda e direita ao mesmo tempo, atrás da qual interfere em si mesma, e isso cria padrões de onda que podem ser medidos."

O mesmo princípio pode ser usado para provar que os átomos gêmeos são de fato partículas entrelaçadas: Somente se você medir todo o sistema - ou seja, os dois átomos ao mesmo tempo - você pode detectar as superposições em forma de onda típicas dos fenômenos quânticos. Se, por outro lado, você se restringe a uma única partícula, a superposição de onda desaparece completamente.

Agora que foi provado que nuvens de átomos ultrafrias podem de fato ser usadas para produzir átomos gêmeos entrelaçados de maneira confiável, o caminho se abre para outros experimentos quânticos usando esses pares de átomos - semelhantes aos que já foram possíveis com pares de fótons.

Se isso vai nos permitir fazer coisas novas ou melhorar o que já fazemos com fótons? Teremos que esperar os resultados para saber.

Link: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=entrelacamento-atomos-emaranhamento-atomos&id=010110210319#.YFXo9dLivcc

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By elias.girardi
      Esta imagem ampliada mostra o alumínio depositado nas fibras de carbono em um eletrodo da bateria. A ligação química torna o eletrodo mais espesso e sua cinética mais rápida, resultando em uma bateria recarregável que é mais segura, mais barata e mais sustentável do que as baterias de íons de lítio. [Imagem: Jingxu Zheng et al. - 10.1038/s41560-021-00797-7]
       
      Ciclos de carga e descarga
       
      Existe um "número mágico" no campo das baterias que estabelece que é necessário que uma bateria suporte 1.000 ciclos de carga e descarga para que ela seja comercialmente viável.
       
      É claro que existem no mercado muitas baterias de baixa qualidade, que não chegam nem perto disso, mas uma vida útil de 1.000 ciclos é a qualidade mínima exigida para que marcas reconhecidas se decidam a colocar seu logo sobre um produto.
       
      Brevemente, no entanto, toda essa discussão deverá ser feita em um outro patamar, uma vez que Jingxu Zheng e seus colegas da Universidade de Cornell, nos EUA, fizeram uma verdadeira mágica nesse número mágico.
       
      Zheng construiu uma bateria à base de alumínio e zinco que alcançou 10.000 ciclos de carga e descarga sem perder capacidade.
       
      Esse novo tipo de bateria pode ser uma alternativa mais segura e mais ecologicamente correta às baterias de íons de lítio, que atualmente dominam o mercado.
       
      Bateria de alumínio
       
      Entre as vantagens de usar o alumínio para fabricar baterias está o fato de que ele é um elemento muito mais abundante na crosta terrestre do que o lítio, o que o torna mais barato.
       
      E, sendo trivalente e leve, ele tem capacidade de armazenar mais energia do que muitos outros metais.
       
      No entanto, tem-se mostrado difícil integrar o alumínio nos eletrodos das baterias porque ele reage quimicamente com o separador de fibra de vidro, que divide fisicamente os polos positivo e negativo, fazendo com que a bateria entre em curto-circuito e pife.
       
      A solução encontrada por Zheng foi projetar um substrato de fibras de carbono entrelaçadas que formam uma ligação química ainda mais forte com o alumínio. Quando a bateria é carregada, o alumínio é depositado na estrutura de carbono por meio de ligações covalentes muito fortes, com um compartilhamento de pares de elétrons entre os átomos de alumínio e os átomos de carbono.
       
      Enquanto os eletrodos das baterias recarregáveis convencionais são apenas bidimensionais, esta técnica usa uma arquitetura tridimensional - ou não-planar - e cria uma camada de alumínio mais consistente e mais profunda, que pode ser controlada com precisão, segundo os pesquisadores.
       
      Os protótipos de baterias com o anodo de alumínio construídos pela equipe puderam ser carregadas e descarregadas - em condições práticas - mais de dez vezes mais do que outras baterias similares.
       
      Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=bateria-aluminio-recarregada-10-000-vezes&id=010115210409
       
       
    • By elias.girardi
      Depois de muitas especulações, a LG confirmou oficialmente nesta segunda-feira (5) que vai mesmo abandonar o setor de celulares.
       
      Em um comunicado oficial, a marca afirma que a decisão de deixar o "setor incrivelmente competitivo de telefonia móvel" vai permitir que ela foque em outros segmentos, como componentes para veículos elétricos, dispositivos conectados IoT, casas inteligentes, robótica e inteligência artificial, além de plataformas e serviços para empresas (B2B).
       
      Atividades como suporte ao consumidor e atualizações de software vão permanecer "por um determinado período" que varia de acordo com a região, sendo que comunicados específicos devem ser realizados com o tempo.
       

      O protótipo do LG Rollable.
       
      Com a saída, é possível que o projeto de smartphone de tela "enrolável" da empresa, o LG Rollable, não passe mais da fase de protótipo. Ele foi mostrado pela primeira vez em janeiro de 2021 e tinha previsão de lançamento para este ano.
       
      Já os últimos modelos lançados de fato pela sul-coreana foram o experimental LG Wing, o elegante LG Velvet e os intermediários LG K52, K62 e K62+.
       
      Longa novela
       
      Os rumores sobre a saída da LG do mercado foram reforçados a partir de 2021, quando uma reportagem afirmou que o LG Rollable, projeto de smartphone enrolável da empresa, teria sido paralisado porque o segmento inteiro seria abandonado.
       
      Em um primeiro momento, executivos da marca negaram que a informação fosse verdadeira, mas cada vez mais fontes surgiam com novos detalhes. No fim do ano passado, ela já havia terceirizado a produção de smartphones intermediários.
       

      LG Velvet.
       
      Um dos motivos que atrasou a saída foi a tentativa de vender a divisão para alguma interessada, mas nenhum comprador foi encontrado. A Xiaomi é uma das empresas que, segundo a imprensa local, vai tentar absorver a fatia de mercado em regiões onde a marca ainda era forte.
       
      A divisão mobile da marca apresentava prejuízos há anos, mas a companhia estava otimista com uma virada.
       
      E agora?
       
      A divisão será desativada em definitivo em 31 de julho de 2021, mas nem todas as perguntas já foram respondidas pela empresa.
       
      As fábricas destinadas à produção de smartphones no Vietnã e no Brasil estão com futuro "incerto" — elas podem ser fechadas em definitivo ou transformadas para a produção de outros itens. Novos comunicados devem ser realizados nas próximas semanas.
       
      Comunicado oficial
       
      Em contato com o TecMundo, a LG explicou suas razões para abandonar o mercado de celulares, indicando principalmente prejuízos. Confira:
       
      Desde o segundo semestre de 2015, o nosso negócio global de celulares tem sofrido uma perda operacional por 23 trimestres consecutivos, resultando em um acumulado de aproximadamente US$ 4,1 bilhões até o final de 2020. Depois de avaliar todas as possibilidades para o futuro do nosso negócio de celulares, o Headquarter Global decidiu por fechar esta divisão a fim de fortalecer sua competitividade futura por meio de seleção e foco estratégico. Como uma companhia que valoriza profundamente a contribuição de cada funcionário, cliente e parceiro LG, nós comunicaremos de forma aberta e transparente durante este processo, buscando uma abordagem justa e pragmática, enquanto atendemos as obrigações jurídicas. É com tristeza que compartilhamos esta notícia com os nossos clientes e parceiros que ao longo de todos estes anos nos demonstraram confiança e nos deram apoio.
       
      Fonte: https://www.tecmundo.com.br/mercado/214963-oficial-lg-deixar-mercado-celulares-2021.htm
    • By elias.girardi
      A equipe agora pretende miniaturizar o equipamento, para aproveitar o calor de fontes residuais. [Imagem: Shunmin Zhu et al. - 10.1063/5.0041415]
       
      Gerador sem partes móveis
       
      Engenheiros chineses criaram um gerador termoelétrico que converte calor residual em eletricidade sem usar nenhuma peça móvel.
       
      Isso significa que o gerador é silencioso, robusto e praticamente não exigirá manutenção ou troca de peças por desgaste.
       
      A ideia é que o gerador seja usado para produzir eletricidade a partir da radiação solar, do calor residual de máquinas e equipamentos e caldeiras industriais, da combustão de biomassa ou mesmo da energia geotérmica.
       
      A equipe pretende também miniaturizar o equipamento, criando nanogeradores sem partes móveis que possam ser usados em veículos, aplicações espaciais e até em sistemas microeletromecânicos.
       
      "Este gerador também promete uma eficiência teoricamente alta de conversão de calor em eletricidade. E nós projetamos e construímos um protótipo conceitual para validar a viabilidade do nosso conceito. Em experimentos preliminares, alcançamos 15 volts na maior amplitude de tensão em circuito aberto, o que implica que nosso conceito foi bem demonstrado," disse o professor Guoyao Yu, do Instituto Técnico de Física e Química, na China.
       

      Esquema de funcionamento do gerador termoacústico. [Imagem: Shunmin Zhu et al. - 10.1063/5.0041415]
       
      Ciclo duplo
       
      O gerador consiste em duas partes: um motor termoacústico, que transforma o calor em vibrações, e um gerador triboelétrico feito com metal líquido, que usa as vibrações para produzir eletricidade.
       
      Primeiro, o motor termoacústico converte a energia térmica em energia acústica por meio da expansão térmica oscilatória e da contração de um gás.
       
      Em seguida, o material piezoelétrico converte a energia acústica em energia elétrica por meio do efeito de acoplamento da eletrificação de contato e da indução eletrostática.
       
      Quando a primeira parte - essencialmente um trocador de calor, ou radiador - recebe a energia, o gás em seu interior inicia uma oscilação espontânea.
       
      "O movimento oscilatório do gás empurra uma coluna de metal líquido [fazendo-a] fluir para frente e para trás dentro de um tubo em forma de U. Isso faz com que o metal líquido periodicamente mergulhe e se separe de um filme de poli-imida, gerando uma voltagem alternada nos eletrodos. Isso extrai energia elétrica do gerador triboelétrico," explicou Yu.
       
      A corrente gerada ainda é pequena, como na maioria dos geradores triboelétricos, mas a característica central do equipamento é a ausência de quaisquer peças móveis sólidas que possam quebrar, o que garantirá que o gerador seja mais confiável e com uma longa vida útil.
       
      Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=gerador-sem-partes-moveis-transforma-calor-eletricidade&id=010115210406
    • By Jose Copetti
      Olá a todos, estou desenvolvendo um novo kit para arduino e preciso de sua ajuda sendo doando um valor ou repassando a mensagem para tornar conhecida a ideia. Segue o link da vakinha

      You are not allowed to view links. Sign in or sign up.
    • By Kerbergabriel
      Windows 95: software de e-mail tinha easter egg escondido há 25 anos
       
      Um segredo escondido há 25 anos no Windows 95 foi revelado por um desenvolvedor de software. O easter egg estava oculto no Internet Mail, cliente de e-mails nativo do sistema operacional, e, quando ativado, exibe os créditos relacionados aos responsáveis pela aplicação, ao estilo das rolagens vistas no cinema e semelhante a outra brincadeira do tipo, que já havia sido descoberta na plataforma.
      A descoberta foi do especialista em engenharia reversa Albacore, que acredita que esta é a primeira vez que o easter egg é exibido na prática. Para acessar a lista de créditos, basta acessar o menu de Ajuda do programa nativo de e-mail e, depois, selecionar a opção “Sobre”. Na sequência, bastava selecionar o primeiro arquivo DLL exibido em uma lista e digitar a palavra “mortimer” no teclado para que a janela secreta fosse aberta para exibir os nomes dos responsáveis pelo software.
      Além dos responsáveis em si, o easter egg revela nomes preliminares do programa de correio eletrônico, que internamente parecia ser chamado de Athena ou Thor. A janela com os nomes se fecha após o final da rolagem dos créditos, que exibe não apenas os desenvolvedores, mas também os responsáveis pelos testes do Internet Mail e aqueles que prestaram apoio ou assistência à solução que, para muita gente, representou o primeiro contato com a comunicação por e-mail.
       
      Vale a pena citar, também, que essa é uma versão semelhante a um easter egg que exibe os créditos gerais do Windows 95. A ativação, neste caso, é mais longa, exigindo a criação de uma pasta que deve ser renomeada três vezes com os seguintes títulos, na sequência: "and now, the moment you've all been waiting for", "we proudly present for your viewing pleasure" e "The Microsoft Windows 95 Product Team!" O resultado é uma janela secreta com direito a trilha sonora e os nomes de todos os envolvidos na criação da plataforma.
      De acordo com Albacore, a descoberta desse tipo de segredo é parte do trabalho de engenharia reversa, jamais sendo obtida por acaso. De acordo com ele, a pista que indicou a presença da tela de créditos foi obtida a partir de um arquivo DLL do sistema, que, quando analisado, indicou que o programa responderia à digitação da palavra mágica.
      Em sua conta no Twitter, o desenvolvedor também tem publicado outras descobertas relacionadas não apenas ao Windows 95, mas também outras versões do sistema operacional. As análises envolvem versões antigas de ícones que ainda estão presentes em meio aos códigos da plataforma, indicações de recursos não implementados e demais itens ocultos.
       
      Link: https://canaltech.com.br/windows/windows-95-software-de-e-mail-tinha-easter-egg-escondido-ha-25-anos-181640/

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...