Jump to content
Miguel Marshal

notícia Windows 11 torna computadores antigos obsoletos

Rate this topic

Recommended Posts

Posted (edited)

O Windows 11 está já apresentado, lançado e as novidades são muitas e interessantes. A Microsoft subiu a fasquia nos requisitos para que a experiência de utilização seja rica, segura e duradoura. Contudo, os requisitos de instalação atuais impossibilitarão instalar a nova versão do Windows, mesmo em PCs vendidos apenas há dois anos.

À primeira vista, não há muita diferença entre os requisitos mínimos do Windows 11 e o Windows 10 atual. Esta nova versão do Windows requer no mínimo um processador de 1 GHz de 64 bits, 4 GB de RAM e 64 GB de espaço em disco. No entanto, há um senão!

Windows 11 é como o sol, quando nasce não é para todos

Há muitos utilizadores com computadores que parecem atender a estas especificações. No entanto, estes poderão ter uma desagradável surpresa, pois os a atualização gratuita do Windows 10 para o Windows 11 poderá não acontecer, mesmo em máquinas potentes.

O problema afeta até muitos PCs da linha Surface, fabricados pela própria Microsoft e lançados há apenas dois ou três anos.

É o caso de um dos modelos mais ambiciosos do catálogo da Microsoft, o enorme Surface Studio 2. Esta máquina destina-se a designers e criativos, com um enorme ecrã táctil de 28 polegadas e onde pode desenhar com precisão graças à ajuda da caneta digital Surface Pen.

Esta poderosa máquina foi colocada à venda em 2018 a um preço que rondava os 3.500 dólares. Os seus utilizadores, no entanto, terão de viver no limbo do Windows 10 (que continuará a receber atualizações e suporte até 2025), apesar do facto da máquina ter poder mais do que suficiente para instalar a nova versão do sistema operativo.

TPM está a deixar as máquinas com os nervos em franja

Então, está o problema? Para atualizar para o Windows 11, os computadores não precisam apenas atender aos requisitos listados acima. Devem também estar equipados com um módulo TPM (Trusted Platform Module), um pequeno coprocessador de criptografia projetado para proteger o hardware do computador e que está presente há alguns anos em muitos PCs à venda, embora não em todos.

Normalmente é embutido na motherboard (placa-mãe) da máquina e separado da CPU. Este módulo armazena chaves de criptografia, identidades de utilizadores e é de certa forma uma primeira linha de defesa contra muitos ataques, principalmente aqueles que visam modificar o firmware dos diferentes componentes do equipamento. O Windows 11 requer a versão mais avançada deste módulo, TPM 2.0.

Desde há vários anos que a Microsoft pede aos fabricantes de PC que incluam este componente em todos os computadores que acompanham o Windows 10, mas nem todos estão em conformidade com esse padrão. Além das empresas, os utilizadores mais afoitos na montagem “faça você mesmo”, os que montaram os seus PCs peça a peça, também podem não ter este requisito. Isto porque algumas motherboards são vendidas com suporte para estes tipos de

módulos, mas não incluem um de fábrica.

Aliás, mesmo se o fizessem, o módulo pode não ser ativado por predefinição e fazer essa ativação agora requer modificações no BIOS do sistema, uma etapa que nem todos os utilizadores sabem realizar.

Tudo isso fez com que muitos utilizadores que possuíam um PC aparentemente compatível com as novas especificações, encontrassem um aviso de incompatibilidade ao usar a ferramenta que a Microsoft disponibilizou ao público para verificar se um PC receberá a atualização, conforme mostramos aqui.

 

Nalguns casos, a solução é simplesmente ativar o módulo TPM se ele estiver desabilitado. Noutros, entretanto, nem mesmo isso aliviará o problema.

O motivo é que a Microsoft também exige que os processadores Intel sejam de 8.ª geração (lançados em 2017) ou mais recentes. Isso poderia deixar de fora muitas máquinas com apenas dois ou três anos, como o já mencionado Surface Studio 2 ou o tablet Surface Pro 4, também relativamente recentes.

 

Windows 11: A Microsoft avisou e quem avisa…

Coincidindo com o lançamento da primeira versão beta para programadores do Windows 11, a empresa publicou um artigo no seu site a explicar detalhadamente os motivos destes requisitos e a esclarecer possíveis dúvidas a esse respeito. A empresa espera com o Windows 11 melhorar significativamente a segurança do computador e, para isso, requer certos elementos de hardware que não estavam presentes nos processadores e placas apenas à alguns anos atrás.

Neste momento, a exigência de processadores de 8.ª geração da Intel (ou Zen 2 no caso da AMD) mantém-se, mas a empresa permitirá que algumas máquinas com processadores de uma geração anterior instalem versões beta do Windows 11 para estudar a possibilidade de baixar os requisitos na versão final.

O Windows 11 eleva a fasquia da segurança ao exigir hardware que pode permitir protecções tais como Windows Hello, Device Encryption, Virtualization Based Security (VBS), Hypervisor Protected Code Integrity (HVCI) e Secure Boot. A combinação destas características demonstrou reduzir o malware em 60%. Para cumprir estas medidas, todas as CPUs compatíveis com o Windows 11 devem ter um TPM integrado, suportar arranque seguro e ter capacidades VBS específicas.

Explica a empresa.

É uma boa ideia em teoria, mas o timing para exigir estas características não poderia ser pior. A indústria informática enfrenta sérios problemas de fornecimento de chips, com numerosos atrasos em componentes-chave e um stock esgotado de motherboards e processadores.

 

Especulação no mercado dos chips já se fez sentir

Após o anúncio da exigência de um módulo TPM 2.0, por exemplo, o preço das boards equipadas com um ou os módulos TPM separados para ligação às placas já instaladas subiu em flecha. Shen Ye, gestor de produto da HTC, relatou isto no final da semana passada no Twitter.

No eBay, os módulos TPM 2.0 quadruplicaram de preço no prazo de 12 horas após o anúncio da nova versão do Windows. O Windows 11 ficou disponível para programadores que estejam inscritos no programa Windows Insider.

 

 

 

 

windows11_red000-720x405.jpg

windows11_red01-720x480.jpg

 

Fonte https://pplware.sapo.pt/microsoft/windows/o-grande-problema-do-novo-windows-11-e-que-tornara-milhoes-de-computadores-obsoletos/

Edited by Miguel Marshal
  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

Vai chegar um ponto em que adaptações de hardware e/ou software serão comuns, para neutralizar o "autoritarismo" embutido em invencionices tais como TPM e DRM.

 

A democratização da tecnologia promove hacks e cracks. Foi o caso dos destravamentos de consoles, impressoras e smartphones. Não será diferente com PCs.

 

Engenharia reversa...

Edited by alexandre-mbm
  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A proliferação das alternativas só acontecerá mediante politização, "evangelismo", como fez Richard Stallman frente à ameaça do DRM. Que tenha sido a FSF, a cara que esteve à tapa foi notoriamente a dele. Somente usando o recurso democrático do lobby vai se conseguir instrumentação efetiva contra TPM, tal como é a GPLv3 para o DRM. Sem movimentação política, discurso de confronto, a escravização terá seguimento.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

para quem tem pc fraco a melhor opção é o window 8.0  estou usando para jogos e esta rodando liso ,enquantos as versoes  7 ,8.1 , 10  e essas versoes de windows lite   nenhuma funcionou estrava tranvando  nos jogos ,por exemplo jogo left 4 dead e só o 8.0  conseguiu fafer o jogo rodar liso sem travas .essas versoes  lite é so nome de lite não tem nada.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By Gabriel da Silva Frazão
      As paredes da Sage não poderá mais ficar em cima dos objetos arremessável, como por exemplo, a granada da Killjoy e nem a orbe de veneno da Viper
    • By Cyro Corte Real
      Ola pessoal estou com esse laptop na bancada e diagnostiquei problema na memoria RAM bga ou no processador pois as telas azuis sao aleatorias, e agora ta travado sem imagem.

      Minha ideia e desabilitar a memoria RAM onboard desse aparelho, desde ja disponibilizo o esquema eletrico e o boardview na sessao de downloads aqui do forum.

      Preciso de ajuda pois n estou sabendo como desabilitar a memoria onboard na placa desse aparelho.

      obrigado.
    • By elias.girardi
      O Windows 10 oferece aos seus usuários a opção de iniciar determinados softwares junto com o sistema operacional quando você liga o PC. Embora o recurso possa parecer bastante interessante, é possível que esta prática acabe gastando processamento para iniciar programas que não são utilizados com tanta frequência, deixando a máquina lenta desnecessariamente.
       
      Porém, se é do seu interesse impedir que os programas iniciem junto com o Windows 10, saiba que este procedimento pode ser realizado de maneira rápida e prática através do Gerenciador de Tarefas. Confira abaixo o passo a passo!
       
      Como impedir que programas iniciem com o Windows 10
       
      Passo 1: clique com o botão direito do mouse sobre a “Barra de Tarefas” do Windows 10 e selecione “Gerenciador de Tarefas”. Outra opção é utilizar o atalho “Ctrl + Alt + Del” e selecionar “Gerenciador de Tarefas”.
       

      Clique com o botão direito do mouse sobre a Barra de Tarefas e selecione "Gerenciador de Tarefas" (Captura de tela: Matheus Bigogno)
       
      Passo 2: em seguida, acesse a aba “Inicializar” no menu superior.
       

      Em seguida, acesse a aba "Inicializar" no menu superior (Captura de tela: Matheus Bigogno)
       
      Passo 3: localize e selecione quais programas estão sendo iniciados junto com o sistema, mas que não sejam estritamente necessários. Para este exemplo, selecionamos o “Spotify”.
       

      Localize quais programas você quer impedir de iniciar junto com o Windows 10 (Captura de tela: Matheus Bigogno)
       
      Passo 4: em seguida, clique em “Desabilitar”. Caso você queira ativar um programa para ser iniciado junto com o sistema operacional, basta apenas clicar em “Habilitar”.
       

      Em seguida, clique em "Desabilitar" (Captura de tela: Matheus Bigogno)
       
      Pronto! Agora você pode impedir que programas iniciem com o Windows 10.
       
      Fonte: 
      You are not allowed to view links. Sign in or sign up.
    • By elias.girardi
      Imagem: Divulgação/Lansweeper
       
      Lançada na metade de julho, a última grande atualização de segurança do Windows 10 protegeu os usuários contra o temido PrintNightmare e 117 brechas que colocam em risco a defesa do sistema. No entanto, nem tudo ocorreu conforme o planejado pela Microsoft, e suas correções acabaram fazendo com que muitas impressoras deixassem de funcionar corretamente como consequência.
       
      Ciente do ocorrido, a empresa lançou nesta terça-feira (27) o pacote de atualização KB5005394, destinado a corrigir o problema causado pela atualização. Segundo a companhia, a solução deve assegurar que impressoras, scanners e outros dispositivos multifuncionais voltarão a operar normalmente.
       
      Anteriormente, a Microsoft orientou os usuários afetados a instalar drivers e firmwares mais recentes dos aparelhos afetados e a consultar as fabricantes caso eles continuassem sem funcionar corretamente. Para instalar manualmente a atualização — disponível neste link — é preciso ter ao menos o update de maio do Windows 10 (KLB5003243) presente em seu sistema.
       
      Segundo a Microsoft, a atualização já está disponível através do Windows Update para aqueles que desejam realizar o processo de forma automatizada. No entanto, a opção não exista para clientes corporativos, que vão ter que recorrer ao Catálogo do Windows Update para baixá-la no momento.
       
      Vale notar que a atualização é opcional e só deve ser realmente aplicada por aqueles que viram suas impressoras deixando de funcionar após instalar as versões mais recentes do Windows 10. Segundo a Microsoft, um número baixo de usuários foi afetado pela questão, que afeta somente dispositivos que usam a autenticação smart card.
       
      Fonte: https://br.yahoo.com/finance/news/windows-10-ganha-atualização-para-002000802.html

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...