Jump to content

notícia Nova enzima que decompõe plásticos em horas pode limpar lixões

Rate this topic


djsync
 Share

Recommended Posts

543b9a8ca5a6b7e5f3763fa09611dfde.thumb.png.247ff3470dd0ff87607165d42637c46e.png

 

Um novo tipo de enzima criada por engenheiros e cientistas da Universidade do Texas em Austin (Estados Unidos) mostrou-se capaz de quebrar os componentes químicos de plásticos em horas ou dias, representando a resolução de um importante desafio ecológico para o meio ambiente, que levaria normalmente séculos para fazer esse tipo de degradação sob condições naturais.

 

Chamada pela equipe de pesquisadores de FAST-PETase, a nova enzima tem potencial para solucionar um dos maiores problemas ambientais do planeta: o que fazer com os bilhões de toneladas de resíduos plásticos empilhados em milhares de aterros sanitários através do mundo, que poluem o solo e ameaçam os lençóis freáticos?

 

Concentrando seus esforços no conhecido tereftalato de polietileno – o popular PET –, presente em garrafas de refrigerante e embalagens de biscoitos, a equipe foi capaz de completar um "processo circular". Primeiro, quebrou o plástico em partes menores (despolimerização) e depois juntou-o quimicamente de novo (repolimerização). Em alguns casos, diz o estudo, o plástico se decompôs em monômeros em menos de 24 horas.

 

Como os cientistas produziram enzimas para degradar o plástico rapidamente?

 

 

De acordo com o estudo publicado em 27 de abril na revista Nature, os cientistas utilizaram hidrolases, enzimas que promovem a cisão de materiais orgânicos através do emprego da água. No entanto, introduziram um algoritmo de aprendizado de máquina para gerar mutações em uma enzima natural chamada PETase, que facilita a degradação de plásticos PET por bactérias.

O experimento envolveu o estudo de 51 embalagens plásticas termoformadas e descartadas, cinco tecidos e fibras de poliéster diferentes e garrafas de água, todas feitas de PET. Aplicada a FAST-PETase, os materiais foram quase completamente degradados em uma semana. Outro feito inédito foi acelerar a degradação dos plásticos em baixas temperaturas, o que foi obtido em processos abaixo dos 50º C.

A introdução da FAST-PETase pode representar um diferencial relativamente barato, portátil e escalável para os níveis industriais necessários.

 

fonte: tecmundo

Link to comment
Share on other sites

  • djsync featured this topic
  • 2 weeks later...

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...