CHAT _
EletrônicaBR.com
Josean Lima
um dia atrás por Josean Lima
Visualizações: 30 | Comentários: 0

Acer Predator 21 X: O 1º notebook com tela curva do mundo - CES

Acer Predator 21X é um notebook monstruoso de tela curva por US$ 9 mil

Acer Predator 21X
Tela: 21" curva IPS 2560x1080
Processador: Intel Core Kaby Lake i7-7820HK
Placa de vídeo: 2x placas de vídeo NVIDIA GeForce 1080 X SLI
Memória RAM: quatro slots DDR4 64 GB
Armazenamento interno: quatro SSD's de 512 GB (2 TB HD na versão padrão)
Peso: 7,9 quilos
Preço: US$ 8.999


O Predator 21 X é um notebook gamer robusto. Tem um design bem arrojado e, talvez, até militar. A tela IPS também chama atenção: 21 polegadas com resolução 2560x1080, além de ser curva — uns acreditam que aumenta a imersão em jogo, outros não.
Dentro do chassi bacanudo, como citamos você encontra um processador Intel Core Kaby Lake i7-7820HK, até quatro slots DDR4 para memória RAM de até 64 GB, até quatro SSD's de 512 GB (na configuração padrão, ele vem com disco rígido de 2 TB) e duas placas de vídeo NVIDIA GeForce 1080 X SLI. Saiba mais: Placa de Vídeo - Preços a Partir de R$ 169,45 Patrocinado
O "resto" dessa criança ainda traz rastreador ocular Tobii integrado, um teclado mecânico customizável e retroiluminado, teclado numérico que se transforma em touchpad, quatro alto-falantes, dois subwoofers e cinco ventoinhas. Saiba mais: Área 42: Como fazer um teclado iluminado para o seu PC [vídeo]
Se estiver nos EUA e quiser carregar o Predator 21 X — que não é nada leve com seus poucos 8 quilos — terá que desembolsar a quantia de US$ 8.999, exatamente R$ 29.361, sem taxas ou impostos. Está bom para você? Se quiser chorar mais um poquinho, veja mais fotos aqui embaixo, junto com as especificações técnicas.
O Acer Predator 21 X teve o preço revelado na CES 2017, e você pode conferir nossa página especial sobre a feira.

*** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
Josean Lima
um dia atrás por Josean Lima
Visualizações: 12 | Comentários: 0

Razer lança Blade Pro, o primeiro laptop para games certificado pela THX


A Razer acaba de anunciar a nova versão do Razer Blade Pro, o primeiro laptop a receber a certificação THX Mobile, dada exclusivamente a headphones, tablets e computadores portáteis de alta performance. O certificado THX vale tanto para o monitor quanto para a saída de áudio do principal laptop gamer da Razer.


Para receber o selo da THX, a tela do Razer Blade Pro foi calibrada e passou por testes de resolução, precisão de cores e reprodução de vídeos. O procedimento foi parecido em relação às saídas de som, que atingiram as exigências tanto de tensão, quanto de resposta de frequência, distorção, relação sinal-ruído e interferência.
“O Razer Blade Pro é um laptop de alto nível que oferece excelente experiência de áudio e vídeo, comprovadas pela THX”, disse Ty Ahmad-Taylor, CEO da THX. “Ele suporta com facilidade jogos pesados e programas de criação e edição, com excepcional desempenho”.

Interior poderoso
O novo Razer Blade Pro tem um processador quadcore Intel Core i7 da sétima geração para melhorar o desempenho do sistema na hora de usar acessórios de realidade virtual e recursos mais pesados. Para isso, é possível acionar o modo overclock e obter maior performance. O novo laptop gamer da Razer também tem um kit de memórias RAM DDR4 de 32GB com velocidade de 2667MHz.
Cada aprimoramento do Razer Blade Pro nos coloca mais próximos do substituto final dos desktops para jogos
O Razer Blade Pro é equipado com uma placa de vídeo NVIDIA GeForce GTX 1080, com suporte para resolução 4K. “Recentemente, o Blade Pro foi escolhido como o melhor laptop com sistema Windows. Agora, elevamos ainda mais seu nível com a certificação da THX”, disse Min-Liang Tan, CEO e cofundador da Razer. “Cada aprimoramento do Razer Blade Pro nos coloca mais próximos do substituto final dos desktops para jogos”.


Tela e teclado
O Razer Blade Pro tem um monitor IGZO 4K de 17,3 polegadas, equipado com a tecnologia NVIDIA G-SYNC, que proporciona um framerate mais suave durante as partidas de games e as reproduções de vídeos. Também possui armazenamento de até 2 TB pelos SSDs PCIe M.2 configurados em RAID 0, o leitor de cartões SD embutido e as opções de conectividade por meio de três portas USB 3.0 e uma entrada Thunderbolt 3.
Tanto o teclado como o trackpad possuem a tecnologia Razer Chroma, que oferece efeitos de luz customizáveis e sincronizados com as atividades que acontecem durante os jogos
Já o teclado do Razer Blade Pro conta com switches mecânicos de perfil ultrabaixo e pontos reais de ativação e reset. Os cliques são computados com apenas 65 gramas de força, dando a sensação de um teclado com teclas de altura comum. Tanto o keyboard como o trackpad possuem a tecnologia Razer Chroma, que oferece efeitos de luz customizáveis e sincronizados com as atividades que acontecem durante os jogos.
O novo Blade Pro possui um chassi de alumínio CNC com espessura de 2 cm e pesa 3,49 kg. Sua fonte de energia de 250W foi projetada para dar maior mobilidade. O dispositivo chega ao mercado dos Estados Unidos e Europa em abril pelo site Razerzone.com e em alguns varejistas selecionados pelo valor estimado de US$ 3,999.99, cerca de R$ 12.530. Não há previsão para a chegada do produto ao Brasil.



Especificações técnicas
Processador: Intel Core i7 7820HK Quad-Core (2.9 GHz / 3.9 GHz)
Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 1080 (8GB GDDR5X VRAM)
Monitor: 17,3 polegadas IGZO UHD G-SYNC, 16:9, 3840 x 2160, com backlight em LED e multitouch capacitativo
Sistema: Windows 10 64-bit
Armazenamento: SSD de 512GB em RAID 0 (2x 256 GB PCIe M.2)/ SSD de 1TB em RAID 0 (2x 512 GB PCIe M.2)/ SSD de 2TB em RAID 0 (2x 1 TB PCIe M.2)
Memória RAM: DDR4 de 32GB e 2667MHz
Webcam: 2.0 MP
Fonte de alimentação: 250W
Bateria: 99Wh lítio-ion recarregável
Dimensões: 42,4 cm x 28,1 cm x 2,25 cm
Peso aproximado: 3,49 kg
Portas: Thunderbold 3 (USB-C) / HDMI 2.0


*** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
Roselio Jantara
3 dias atrás por Roselio Jantara
Visualizações: 41 | Comentários: 0

25/03/2017

A humanidade está encarando agora o despontar de uma nova tecnologia envolvendo a mecânica quântica em quase todos os aspectos da vida social, desde a computação até a comunicação.

Poderia ser natural perguntar se não deveríamos considerar a procura por mensagens quânticas vindas da inteligência extraterrestre.

A China lançou o primeiro satélite de comunicação quântica no ano passado, trazendo a humanidade para a borda de um enorme salto em tecnologia da comunicação.



Considerando-se a luz como um condutor de informação quântica, o satélite chinês é primariamente projetado para testar a robustez do emaranhamento quântico, uma bizarra propriedade dos sistemas quânticos responsáveis pela computação e comunicação quânticas.  Além disso, este primeiro satélite quântico não somente irá sondar a alta codificação de dados de segurança, mas também uma nova forma de transferir dados como informações quânticas codificadas em propriedades de partículas de luz (fótons).

A revolução da comunicação quântica pode provar a importância da transferência de dados em distancias mais longas, e assim na comunicação com a própria vida inteligente no Universo.

Seria a comunicação quântica através da luz a resposta para nossa longa procura por sinais de inteligência extraterrestre? Processamento de informação quântica na natureza

Tão estranho quanto isto possa soar, considerando nossa tecnologia atual de exploração da realidade física, a comunicação quântica pode ser o meio primário de transferência de informação no Universo, como um recente artigo sugere.

De acordo com o artigo, a luz que viaja num espaço-tempo deformado próxima de um buraco negro que está girando é compelida a codificar e processar a informação quântica, e também a informação é manipulada em nossos computadores quânticos reais de laboratórios.

Seguindo-se as linhas curvas e deformadas dos fótons de espaço-tempo distorcidos codifica-se os ‘bits’ quânticos de informação em sequências definidas que poderiam fazer alguém pensar em linhas de computador de um código. Quando finalmente escapam a influência de um buraco negro, os fótons nos fachos de luz são favorecidos com códigos quânticos simples para podermos interpretar e avaliar a informação neles contida.

Já que a computação e a comunicação quânticas parecem ser fenômenos naturais que ocorrem no Universo, pode parecer genuíno considerar a comunicação quântica com a luz como uma forma apropriada de trocar informações com civilizações avançadas.

 
Procurando por mensagens quânticas extraterrestres


Já temos a capacidade tecnológica de detectar e mensurar a informação quântica codificada na luz. Consequentemente, muitos laboratórios de universidades e empresas privadas ao redor do mundo estão testando a tecnologia quântica em todos os aspectos de sua aplicabilidade, desde a codificação quântica de algoritmos em fótons, até a transferência de ‘bits’ quânticos para grandes distâncias e para o armazenamento de informação quântica.

Comunicação quântica com a inteligência extraterrestre

O equipamento tecnológico que os pesquisadores estão usando agora nos laboratórios pode muito bem servir para analisar a luz vinda do espaço que é capturada pelos telescópios e medir a informação quântica armazenada em todos os fótons. Além disso, ao apontar um telescópio na direção certa do espaço, considerando-se todos os exoplanetas similares à Terra descobertos recentemente pela NASA, nossas chances de detectarmos sinais quânticos aumentam.

Inicialmente, podemos somente detectar e mensurar estados quânticos elementares que exibem uma certa quantidade de emaranhado quântico…

Embora possamos detectar e codificar fragmentos de informação quântica armazenada na luz astronômica, para identificarmos apropriadamente a mensagem codificada precisamos de algumas ferramentas especiais.

Computação quântica

A detecção de informação quântica codificada na luz poderia ser a premissa da comunicação quântica com a inteligência extraterrestre, mas ainda não resolve o problema da interpretação do conteúdo da mensagem.  O instrumento requerido que hipoteticamente pode organizar os estados quânticos detectados na sequência correta para decifrar a mensagem quântica é o computador quântico.

Os esforços para criar um computador quântico funcional estão agora nos estágios finais para a remoção do produto final do laboratório e sua implementação a nível industrial.  Num futuro não muito distante, a computação quântica será parte de nossas rotinas diárias.

Todavia, o fato de que não sermos capazes de interpretar as mensagens quânticas que poderemos detectar, vindas da vida inteligente do espaço, não deveria afetar nossa procura quântica pela inteligência extraterrestre; mesmo se o programa SETI um dia detectar sinais extraterrestres, muito provavelmente não serão capazes de imediatamente decifrar seu conteúdo.

Alerta instantâneo

Outro ingrediente chave na tentativa de usar a comunicação quântica com outras formas de vida inteligentes no Universo é um meio de decifrar as mensagens quânticas. Precisaremos de uma chave.

A chave quântica assegura a segurança da comunicação e dá ao receptor a ferramenta necessária para avaliar apropriadamente o conteúdo da mensagem. Na ausência da chave quântica não poderemos ser capazes de decifrar de forma apropriada uma mensagem quântica hipotética que a inteligência extraterrestre possa ter enviado.

Embora a chave quântica esteja faltando, deveríamos enfatizar aqui uma propriedade notável do emaranhamento quântico. Assim, a mensuração do estado quântico de um fóton, de um par emaranhado, instantaneamente decai o estado do outro.  Falando de forma simples, quando primeiramente detectarmos e mensurarmos uma informação quântica codificada nos fótons pela inteligência extraterrestre, o remetente da mensagem será intencionalmente avisado.

Nossa primeira mensuração quântica age como um “botão de alerta”, instantaneamente alertando a inteligência extraterrestre remetente de que outra civilização tecnológica superior no Universo está se levantando.

Em conclusão, tudo que temos que fazer é mensurar a informação quântica armazenada em um pequeno fóton para nos conectarmos com a “Internet quântica universal”.

Fonte: *** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login


salina
uma semana atrás por salina
Visualizações: 62 | Comentários: 0



Imagine se sua carteira pudesse latir para chamar sua atenção quando você a esquecesse em algum lugar? Pois é, isso já existe e se chama Woolet. Depois de um bem-sucedido financiamento coletivo, o produto entra em sua edição 2.0 e está à venda com visual elegante em revestimento de couro, conexão a Bluetooth, bateria de seis meses de duração, recarga Qi sem fio e alto-falante embutido com capacidade de 90 decibéis.


Versão básica Woolet Black 2.0

O gadget vem em duas versões básicas, a Woolet 2.0 e a Woolet Travel XL 2.0, ambas com as opções em preto e marrom e pin de segurança revestido por ouro 24 quilates — com certificado e tudo. O primeiro modelo sai por US$ 129 (quase R$ 400, sem taxas, na cotação desta sexta-feira) e o segundo a US$ 149 (R$ 461).

Funcionamento

Depois de pareada com seu dispositivo móvel, a carteira envia notificações: a partir de uma certa distância ela alerta que você a deixou para trás e emite sons, que não precisam ser exatamente de latidos de cachorros — essa opção inicial foi a maneira carismática que a companhia encontrou para associar funções à identidade visual e ao próprio nome do produto, que lembram os caninos.

Fonte: *** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
Josean Lima
uma semana atrás por Josean Lima
Visualizações: 63 | Comentários: 0

Games de PS4 poderão ser jogados no PC sem a necessidade do console


O Serviço de streaming de jogos PlayStation Now receberá games de PS4 até o final do ano, conforme anúncio da Sony. A ferramenta já possibilita rodar games de PS3 no PS4 e PC e, em breve, permitirá jogar os títulos mais recentes nas duas plataformas. Isso significa que será possível jogar títulos de PS4 no computador sem nem mesmo ter o console, sendo necessário apenas uma conexão via Internet.
PlayStation Now: saiba o que é e como irá funcionar o 'Netflix' dos jogos
Não há uma espécie de download. Basta escolher o jogo e começar a aproveitar de forma quase imediata, com seu controle DualShock ligado ao aparelho de escolha. Os testes com a biblioteca de games de PS4, começam na próxima semana e, quando for lançada, ficará disponível para todos os assinantes, sem a necessidade de pagar mais nada adicional por isso.



Atualmente, há mais de 400 títulos de PS3 no PS Now e o número deve praticamente dobrar com a chegada de jogos do PS4. Alguns dos games de maior sucesso atual por lá incluem Red Dead Redemption, Tekken Tag Tournament 2, Mortal Kombat 9, Injustice: Gods Among Us, NBA 2K14, Mafia 2, The Last of Us e Sid Meier's Civilizatio Revolution.
Vale lembrar que o serviço PS Now é pago, com planos que permitem alugar jogos por um período limitado de tempo ou “comprar” o streaming por tempo indefinido, e exige pelo menos 5MB de velocidade na conexão de Internet. Contudo, mesmo com estes requisitos, ele ainda não está disponível oficialmente no Brasil. Se um usuário brasileiro tenta baixar o aplicativo, ele recebe o aviso de bloqueio de região.

*** Você não tem permissão para ver links. Registre-se ou Login
Páginas: [1] 2 3 ... 143