Jump to content
djsync

notícia Mais poderoso Raspberry Pi 4 agora possui 8GB de RAM

Rate this topic

Recommended Posts

raspberry-pi-4-8gb-de-memoria-ram.thumb.png.efe1544d0f50991e5531a3258f7e082f.png

 

A Raspberry Pi Foundation dobrou a quantidade máxima de RAM disponível no Raspberry Pi 4 para 8GB com um novo dispositivo que está sendo vendido por US $ 75. Para aproveitar o aumento da RAM, a fundação também está lançando uma nova versão de 64 bits de seu sistema operacional no início da versão beta. O novo Raspberry Pi 4 é idêntico ao dispositivo que foi anunciado em junho do ano passado, o que significa que ele possui a mesma CPU baseada em ARM e portas HDMI, USB 3 e Ethernet.

 

8GB é muita RAM, considerando o tamanho e o preço do Raspberry Pi 4. É o mesmo que muitos smartphones emblemáticos lançados este ano e o suficiente para um PC Gamer de nível básico. A Raspberry Pi Foundation diz que a memória adicional no Raspberry Pi 4 8GB deve ser útil para compilar grandes softwares, executar cargas de trabalho pesadas ou talvez apenas ter mais guias de navegador abertas ao mesmo tempo. Temos certeza de que não demorará muito para a comunidade apresentar muitos usos interessantes.

 

Para tirar o máximo proveito do aumento da quantidade de RAM, a fundação também está lançando uma versão de 64 bits do seu sistema operacional Raspbian no início da versão beta, renomeada para Raspberry Pi OS. O sistema operacional baseado no Linux atualmente usa um kernel de 32 bits, o que significa que ele não pode usar totalmente 8 GB de RAM. Se você preferir não executar o software beta, existem outros sistemas operacionais de 64 bits disponíveis para o Pi 4, como o Ubuntu e o Gentoo .

 

Assim como o novo modelo de 8 GB, o Raspberry Pi 4 está disponível com 4 GB e 2 GB de RAM por US $ 55 e US $ 35, respectivamente.

 

fonte: topgadget

  • Like 2
  • Nice 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By 14bis
      Guia com mais de 500 comandos do Linux (Explicados)
       
      Olá
       
      Os créditos vão para Bruno Andrade (GNU/Linux - Brasil). A página do Facebook da GNU/Linux - Brasil é:
       
      Útil para distribuições baseadas em GNU/Linux como Debian, Ubuntu em Debian e Linx Mint
      Uploader Enviado 15-01-2022 Categoria You are not allowed to view links. Sign in or sign up.  
    • By 14bis
      Olá
       
      Os créditos vão para Bruno Andrade (GNU/Linux - Brasil). A página do Facebook da GNU/Linux - Brasil é: https://www.facebook.com/gnulinuxbr
       
      Útil para distribuições baseadas em GNU/Linux como Debian, Ubuntu em Debian e Linx Mint
    • By Elifaz
      Bom dia a todos, gostaria de compartilhar com vcs sobre esse museu. 
      You are not allowed to view links. Sign in or sign up. Esse museu é uma iniciativa de um velho amigo Antonio Pereira.
      Que desde meados de 2006-2007 tem esse projeto pessoal em mente, a ideia é basicamente criar um acervo de equipamentos eletrônicos, dos mais variados tipos, desde telefones, fitas K7 a osciloscópios e equipamentos industrias e outras coisa relativas a eletrônica,  tudo isso baseado em doações, pra se ter uma ideia o museu ja conta com mais de 7 mil itens catalogados, clicando na pagina vcs poderão saber um pouco mais desse bela iniciativa do Antonio Pereira, um mestre e amigo que a vida me deu. 
      Desde já agradeço a tenção de todos. 
    • By Douglas Grillo
      Bom dia prezados,
       
      Estou com uma HP1212nf na bancada que apresenta mensagem de erro no painel de atolamento de papel, porém não há nenhum atolamento. Já inspecionei a parte mecânica em busca de peças quebradas ou desencaixadas e nada foi percebido. O mecanismo do sensor de papel está íntegro.
      Já restaurei os padrões de fábrica da impressor, já reparei a solenoide, já limpei tudo e a mensagem continua. Alguém já pego esse defeito e pode me ajudar ?
    • By elias.girardi
      Esquema básico de um transístor topológico.
      [Imagem: Michael S. Fuhrer et al. (2021)]
       
      Isolantes topológicos
       
      O que todos esperavam, um tanto ansiosamente, acaba de acontecer.
       
      Pesquisadores australianos conseguiram demonstrar o funcionamento de um transístor - o componente fundamental da eletrônica e da computação - usando a promissora classe de materiais conhecidos como isolantes topológicos, materiais que apresentam várias características interessantes porque suas propriedades eletroeletrônicas são diferentes em sua superfície e em seu interior.
       
      Os ganhos não são pequenos: As primeiras estimativas dão conta de que um transístor topológico apresenta perdas de energia que são, no mínimo, 10 vezes menores do que as perdas dos mais modernos transistores de silício.
       
      Isso significa um alento para o mundo da computação, que já é responsável pelo consumo de cerca de 8% da energia produzida em todo o mundo.
       
      E a equipe já deu um passo adicional, projetando uma versão ainda mais avançada, em que seu transístor topológico tira proveito de um fenômeno só recentemente demonstrado, conhecido como capacitância negativa.
       
      Transístor básico
       
      Um transístor é uma chave eletrônica. Ele tem três terminais: Uma tensão aplicada ao terminal da base controla a corrente que pode fluir entre os outros dois terminais (chamados de coletor e emissor). Nos chips, os transistores podem estar "ligados" (ou seja, a corrente pode fluir) ou "desligados" (a corrente está bloqueada), representando os 1s e 0s necessários para as operações lógicas binárias.
       
      Assim, ligar e desligar um transístor - gravar ou alterar seu dado - requer uma pequena quantidade de energia elétrica a cada vez. Então some os milhões, ou mesmo bilhões, de transistores nos chip e processadores mais modernos, e a conta de energia sobe rapidamente.
       
      Os transistores de hoje são todos feitos de silício, que é um semicondutor. Ocorre que os semicondutores são isolantes, exigindo uma dopagem com átomos de outros elementos e a aplicação de uma carga elétrica extra para tornar-se condutor. Esse é o princípio do tão conhecido transístor de efeito de campo (FET): A base é conectada por um capacitor a uma fatia do semicondutor que passa entre os terminais coletor e emissor. Uma tensão aplicada na base carrega o capacitor, e sua carga extra em contato com o semicondutor permite que a corrente flua, ligando o transístor, ou passando-o de "0" para "1".
       

      O professor Michael Fuhrer na apresentação online em que a equipe descreveu seus resultados com o uso de isolantes topológicos para construir transistores.
      [Imagem: Michael S. Fuhrer et al. (2021)]
       
      Transístor topológico
       
      Um material isolante topológico é mais interessante porque, embora ele também não conduza eletricidade em seu interior, como o silício, ele conduz naturalmente em sua superfície, sem qualquer dopagem.
       
      Se ele for fabricado em uma forma tridimensional, ele irá conduzir eletricidade em suas superfícies bidimensionais; se ele for fabricado em camadas muito finas, monoatômicas, ou bidimensionais, ele irá conduzir ao longo de suas bordas unidimensionais.
       
      Michael Fuhrer e seus colegas do Instituto Fleet, na Austrália, conseguiram finalmente tirar proveito dessas características para construir transistores funcionais e com um consumo de energia muito baixo.
       
      Fuhrer descobriu como usar um campo elétrico para transicionar um material isolante topológico (que conduz eletricidade ao longo de suas bordas) em um isolante normal (que não conduz de forma alguma), o que permite que um material topológico seja usado como um transístor. Ele batizou seu novo transístor de TQFET, ou transístor de efeito de campo quântico topológico.
       
      O TQFET pode alternar seus estados com uma tensão mais baixa do que um FET convencional, superando a chamada "tirania de Boltzmann", que define o limite inferior para a tensão necessária para alternar uma corrente em temperatura ambiente. "A comutação de baixa tensão ocorre devido a um efeito chamado acoplamento spin-órbita, que é mais forte em elementos mais pesados como o bismuto. Descobrimos que os TQFETs baseados em bismuto poderiam alternar na metade da voltagem e um quarto da energia dos FETs convencionais de tamanho semelhante," contou o pesquisador Muhammad Nadeem, da Universidade de Wollongong e membro da equipe.
       

      O plano agora é passar dos TQFETs para os NC-TQFETs.
      [Imagem: Michael S. Fuhrer et al. (2021)]
       
      Transístor com capacitância negativa
       
      Como se não fosse bom o suficiente, a equipe ainda descobriu como tirar proveito de uma outra propriedade inusitada, descoberta recentemente, a capacitância negativa, e usá-la no capacitor do seu transístor TQFET.
       
      Um capacitor consiste em dois condutores separados por um isolador. O componente apresenta uma capacitância C, que expressa a quantidade de carga elétrica Q nos metais quando uma tensão V é aplicada entre eles: C = Q/V. Normalmente, este é um número positivo, mas, se ele for negativo, o capacitor ficaria instável e poderia carregar sem a aplicação de nenhuma tensão externa.
       
      Mas isso é exatamente o que um material ferroelétrico faz: Ele tem uma polarização espontânea, que carrega suas superfícies. Portanto, um material ferroelétrico pode ser considerado como tendo uma capacitância negativa em um determinado regime, embora esse regime não seja normalmente acessível porque é instável.
       
      Já existem várias tentativas de explorar os capacitores negativos na eletrônica, incluindo um transístor com capacitância negativa, mas ninguém conseguiu tirar proveito do fenômeno nos FETs tradicionais porque a queda de tensão necessária para carregar o capacitor devida à capacitância negativa simplesmente desaparece pelo próprio projeto muito aprimorado de construção dos transistores FET atuais.
       
      Mas as coisas são diferentes no TQFET. A adição de uma capacitância negativa, na forma de um material ferroelétrico, para fabricar um TQFET de capacitância negativa (NC-TQFET) na verdade amplifica o campo elétrico, o que permite a comutação em tensões e energias muito mais baixas. "O TQFET usa o campo elétrico para chavear, então pode se beneficiar diretamente da amplificação do campo elétrico que é fornecida pela capacitância negativa," disse o professor Jared Cole, da Universidade RMIT.
       
      A equipe calculou que um NC-TQFET feito com bismuto e usando háfnio (HfO2) dopado com lantânio (La), um material ferroelétrico que já foi integrado com sucesso ao silício, poderá chavear de ligado para desligado com uma energia 10 vezes menor do que um FET de silício de última geração. "Há ainda mais espaço para melhorias," disse Fuhrer. "Ferroelétricos mais avançados com polarizações remanescentes maiores poderiam permitir a troca em energias ainda mais baixas."
       
      Mais do que Moore
       
      No entanto, se o progresso está firme nos TQFET, vários desafios ainda terão que ser vencidos para fabricar um NC-TQFET funcional. Isolantes topológicos baseados em bismuto com a estrutura adequada ainda precisarão ser fabricados e testados, e integrar esses materiais com camadas ferroelétricas representa outro desafio nada desprezível.
       
      Ainda assim, o NC-TQFET fornece um plano claro para reduzir a energia em futuros transistores.
       
      Não por acaso, os transistores topológicos foram adicionados no ano passado ao IEEE International Roadmap for Devices and Systems, o plano internacionalmente acordado que orienta os avanços na tecnologia de semicondutores, conforme mapeado pela famosa Lei de Moore - o roteiro agora já inclui planos delineados como "Mais Moore", "Mais do que Moore" e "Além das tecnologias CMOS".
       
      Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=transistor-topologico&id=010110211231
       

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...