Jump to content

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 10/29/2020 in all areas

  1. 7 points

    Version 1.0.0

    1,337 downloads

    Conhecendo PWM e o Circuito Regulador De Vcore 5610.pdf
  2. 7 points

    Version 1.0.0

    5,850 downloads

    Curso completo Eletronica - Centro Paula Souza 3042.pdf
  3. 6 points
    Antes de ter um microscópio, e de conhecer essa técnica que quem me apresentou dias atrás foi o @edsonninja a melhor maneira que eu conhecia para reparar pads e trilhas em placas, era remover as trilhas e ou pads de uma outra placa doadora usando objeto afiado e então inserir esta trilha e ou pad na placa a ser consertada utilizando algum tipo de cola instantânea, e nos casos onde a soldagem de novo componente sobre o reparo era feita com o ferro de solda obtive sucesso muitas vezes desta forma no passado. Tenho visto por aí vários vídeos mostrando a técnica do fio enroladinho pra fazer o pad, usando mascara de solda UV para fixar e dar acabamento, e embora não me tenha aparecido uma placa que necessitasse deste tipo de reparo nos últimos tempos, afim de praticar e estar pronto para eventualmente executar quando necessário for, eu repliquei está técnica com sucesso, acredito que funcionaria muito bem pra uso prático. Confesso que achei difícil e demorado, mas como qualquer coisa que se pratique com afinco, é algo que se pode aperfeiçoar tanto em qualidade quanto em velocidade, esta é uma técnica que traz sim um bom resultado, os que obtive podem ser vistos nas figuras 1 a 4 abaixo. Figuras 1 e 2. Figuras 3 e 4. Mostrando os resultados obtidos acima o Ninja sugeriu tentar essa outra técnica abaixo e pediu pra depois contar a ele os resultados e embora já o tenha feito estou compartilhando com vocês pois achei fantástica e muito mais fácil de executar do que esta do fio enroladinho. Figura 5 Para obter essas trilhas e pads redondos que podem ser visto na imagem acima, não tem mistério nenhum, para fazer este enorme no lado esquerdo da foto (que mede 3.5mm por 3.5mm aproximadamente) foi necessário utilizar um maçarico médio, mas para fazer o bem pequeno mais no centro da imagem tudo que se precisa é de um isqueiro comum, a esfera de solda que foi utilizada para comparação de tamanhos é uma 0.5. Basta pegar um fio de cobre fino e colocar a ponta dele na chama do isqueiro durante algum pouco tempo pra que se forme uma bolinha de cobre na ponta do fio, feita a bolinha de cobre na ponta do fio, macetas com um martelo contra algo duro, e pronto... Tens um pad redondinho na ponta de uma trilha achatada. Dependendo da quantidade de curvas necessárias na trilha pra ligar o novo pad ao local de origem pode ser interessante posicionar a bolinha de cobre sobre o local correto onde o novo pad vai ficar na placa, e moldar o fio no formato adequado do contorno da antiga trilha pra só então prensar ou macetar a trilha já no formato certo. Estes da Figura 5 acima, e da Figura 6 abaixo foram feitos sem qualquer critério, apenas para ilustrar a técnica utilizando diversas bitolas de fio, por isso não me preocupei de fazer qualquer tipo de acabamento. Figura 6 As primeiras vezes que tentei executar está técnica eu obtive alguns problemas, e o problema era a qualidade dos fios supostamente de cobre que eu estava utilizando, ao aplicar calor a bolinha se formava na ponta do fio mas ao prensar ou macetar ela esfarelava totalmente, então deixo aqui algumas sugestões de fios de cobre que encontrei com boa qualidade para a execução deste tipo de trabalho: 01 - Fio da bobina de relé (daqueles mais comuns utilizados em no-breaks). 02 - Filamentos de fio de cabos Rj11 de telefonia. 03 - Filamentos de malha dessoldadora ( dica do ninja ). 04 - Fios esmaltados para bobinamento de motores e transformadores no geral (cuidado pra não usar os de alumínio) 05 - Filamentos de fios flexíveis utilizados comumente para extensões elétricas funcionam bem também, no entanto os resultados que obtive foram melhores utilizando fios esmaltados do que aqueles obtidos com fios de cobre puro sem isolamento. Depois que se pega a manha da coisa leva-se segundos para confeccionar um pad com trilha e uns poucos minutos para soldar a nova trilha no local de origem e dar acabamento com a mascara de solda UV. As vantagens que vi neste método de trabalho são as seguintes: 01 - É muito mais rápido e fácil (depois que se pega a manha). 02 - Não exige tanta destreza. 03 - O acabamento ao final do serviço fica melhor e mais rente da placa, e dependendo de como for feito nem será possível distinguir de um pad original, para obter este resultado extremo de qualidade teria que raspar parcialmente a placa criando sulcos para encaixar o novo pad e a nova trilha em todo o percurso até o ponto onde será soldada na origem pois, pelo menos no meu caso eles ficaram pouco mais espessos que os originais (ainda assim muito menos espessos que o fio enroladinho ficaria), e utilizar para acabamento mascara de solda da mesma cor que vem originalmente na placa, nesta técnica para acabamento absolutamente perfeito talvez a mascara de solda convencional seja seja mais adequada visto que abaixo do cobre do pad e da nova trilha não será possível aplicar UV. Resumindo, recuperar pads desta maneira proposta pelo Ninja é mamão com açúcar, piece of cake, como diriam os gringos. Boa sorte na execução, e pratiquem em placas próprias de sucata antes de fazer em placas de clientes.
  4. 5 points
    Em pleno século 21, é quase que impossível um indivíduo ligado em tecnologia nunca ter ouvido falar e jamais ter sequer utilizado o Windows pelo menos uma vez. O sistema operacional da Microsoft, que completa 35 anos nesta sexta (20), está presente em todos os aspectos da nossa vida, seja trabalho, escola, em casa e em estabelecimentos que frequentamos. Apesar de ocupar posição de liderança no mercado nos desktops, a companhia deu início a uma nova era com o lançamento do Windows 10, que mudou a maneira como o software é distribuído, além de colocá-lo em par com as novas tecnologias e tendências do mercado — conectividade, mobilidade, nuvem, integração. Mas, para chegar até aqui, foi um longo caminho, iniciado em 1985, com o Windows 1.0. De lá para cá muita coisa (mesmo) mudou, e preparamos uma coletânea descrevendo essas três décadas e meia de transição. Windows 1.0 O Windows 1.0 foi onde tudo começou, lançado em 1985. Até sua chegada, os sistemas operacionais funcionavam apenas em modo texto e este foi o primeiro a oferecer uma interface gráfica em cima do modo texto (MS-DOS) de maneira que qualquer pessoa pudesse interagir com o sistema sem precisar digitar comandos no terminal. Para os padrões de hoje ele pode parecer feio, simples e antiquado, mas saiba que foi extremamente importante por introduzir ao mundo conceitos que hoje são completamente normais como menus que caem ao serem clicados, a utilização de uma seta para apontar e clicar em elementos, barras de rolagem e as janelas. O nome Windows significa janelas e, curiosamente, foi escolhido de última hora. O nome original era "Interface Manager" ou "Gerenciador de Interfaces", mas escolheu-se (sabiamente) o que já conhecemos porque soava melhor. Quer rir um pouco? Então veja o Steve Ballmer, ex-CEO da empresa, tentando vender o Windows 1.0. Windows 2.0 Se você reparar bem, as janelas da interface do Windows 1.0 não se sobrepunham. O Windows 2.0 chegou em 1987 trazendo essa funcionalidade, o que provocou um processo por parte da Apple alegando que a Microsoft havia copiado o sistema da empresa da Maçã - a Apple perdeu a briga. Capaz de rodar sem um disco rígido, o 2.0 se tornou mais popular do que o antecessor. Windows 3.0 Foi com o Windows 3 que o sistema realmente começou a decolar e ganhar espaço. Lançado em 1990, ele veio com uma interface reformulada, delineando o padrão visual que convivemos por muitos anos até a chegada do Windows 8. Além do visual renovado, ele trouxe diversas melhorias como suporte a drives de CD e placas de som, além de vir pré-instalado em discos rígidos, ocupando "monstruosos" 5 MB. Além disso, o Windows 3.0 introduziu softwares importantes como o Bloco de Notas, um editor de texto e o clássico Paciência. Windows 95 Lançado em 1995, o sistema foi um marco na história da Microsoft, do próprio Windows e, quem sabe, até da humanidade. A interface gráfica, mais refinada do que nunca, praticamente não mudou visualmente até a chegada do Windows XP e em comportamento até o Windows 8 em 2012. Nesta versão, a Microsoft introduziu o Windows Explorer e a barra de tarefas, presentes até os dias de hoje e que não devem desaparecer tão cedo. Importante notar o Internet Explorer na captura de tela. No entanto, ele não vinha instalado por padrão, mas era possível adquiri-lo em um pacote de atualização chamado Plus. Windows 98 O Windows 98 foi lançado em 1998, como o nome sugere, e trouxe vários avanços em relação ao 95, apesar de não ter sofrido mudanças visuais significativas. Importante mencionar o suporte a dispositivos USB e múltiplos monitores e a chegada do Internet Explorar já instalado por padrão - foi aí quando começou a derrocada do Netscape. No ano seguinte, a Microsoft lançou o Windows 98 Second Edition (SE), que corrigiu vários bugs da versão anterior. Windows ME Na virada do milênio a Microsoft introduziu o Windows Millenium Edition (ME). O software foi meio que um fiasco para a empresa e 1 ano depois foi substituído pelo Windows XP. O ME oferecia um boot mais rápido do que os anteriores, mas isso fazia com que programas mais antigos baseados em MS-DOS não funcionassem mais. O Windows ME era voltado para usuários domésticos e o Windows 2000 era a versão para negócios. Windows XP Sim, isso que você acabou de ver era uma propaganda da Microsoft com Steve Ballmer tentando vender o Windows XP. Lançado em outubro de 2001, o sistema fez história e ainda é um dos mais utilizados no mundo, atrás apenas do Windows 7 e Windows 8, e isso somente porque a empresa descontinuou o suporte técnico a essa versão recentemente. Sua característica mais marcante, à primeira vista, foi o visual caprichado, com cores vivas, a montanha verde com céu azulado, a barra de tarefas azul e os demais elementos que marcaram uma nova era no design do sistema. Além disso, unido aos avanços de hardware e softwares de terceiros, tornou-se uma versão extremamente confiável para as mais variadas atividades e, hoje, 14 anos após seu lançamento, ainda temos milhões de estabelecimentos rodando o XP em seus computadores. Windows Vista Lançado em 2007, o Windows Vista foi um dos maiores fiascos da empresa. Apesar de ter um visual bastante refinado, com transparências e efeitos especiais em 3D, o sistema não decolou por causa de inúmeros atrasos e problemas técnicos. Além disso, ele não oferecia nenhuma vantagem significativa sobre o Windows XP, que ainda era muito bom e confiável. Windows 7 Após o fracasso do Windows Vista, a empresa lançou o Windows 7, que veio para salvar a pátria. Depois do XP, o 7 foi o sistema da "zona de conforto" dos usuários, já que oferecia um visual bem agradável e desempenho e confiabilidade nos mesmos níveis do Windows XP. Com o encerramento do suporte à versão antiga, o Windows 7 passou a ser o sistema operacional mais utilizado do mundo e atualmente conta com pouco mais de 60% de participação no mercado. Windows 8 Tudo ia bem com o Windows 7, mas, em 2012, a Microsoft colocou os pés pelas mãos em uma aposta que não deu muito certo: eliminou o Menu Iniciar e empurrou goela abaixo dos usuários os "Live Tiles", quadrados vivos que continham programas e exibiam informações relevantes em tempo real, em uma interface voltada para dispositivos com tela sensível ao toque. O problema é que quase ninguém possui uma tela do tipo e a maioria já está acostumada a trabalhar bem com os bons e velhos teclado e mouse. Além disso, a falta do Menu Iniciar deixou muita gente perdida, o que contribuiu para a alta taxa de adoção do Windows 7. Resultado: o Windows 8 foi um fiasco. Windows 10 O Windows 10 chegou como a promessa da Microsoft para introduzir aos usuários o sistema operacional do futuro. Com ele, a empresa não apenas resolveu os problemas do Windows 8, mas criou uma nova rotina de atualizações e distribuições. Apresentado para ser o "Windows defintiivo", essa versão ganha novidades semestralmente e vem se tornando cada vez mais robusta. Fonte: https://canaltech.com.br/windows/do-windows-10-ao-windows-10-veja-como-o-sistema-mudou-nestes-30-anos-45911/
  5. 5 points
    @H3710 Seria interessante, como antigamente, até mesmo, se possível, as aulas sobre eletrônica, acredito que poderia auxiliar muito, principalmente os iniciantes na área. Sobre o dia, eu prefiro às 3as. Plataforma qualquer uma.
  6. 5 points
    TV não liga, ao acionar o botão power a TV acende o led vermelho, acionando novamente ele pisca 2x e volta ao standby acesso. Relé não aciona e só tem a tensão de 3,3 VSB. Motivo: Capacitor C1 (SMD - 1uf / 0805) , em curto, localizado na placa fonte na base do relé, remover ou substituir , problema resolvido.
  7. 4 points
    Tive problemas em gravar uma bios de 8.5MB em um CI WinBound W25Q128FV 16MB(128bit) na CH341a. Consegui apenas usando os Programas: NeoProgrammer_2.1.09 e AsProgrammer_v2.1.0.13 Espero que ajude mais alguém!
  8. 4 points
    Saudações... Segue observações do bate papo: - Observe que o sinal PACIN depende de uma tensão de referencia chamada RTCREF para ser liberado no CI PU1A, sendo assim, insira uma pilha CMOS nova. - Verifique se PQ20 está em bom estado (inclusive teste o circuito sem a sua presença) , para que a polarização de PQ18 e PQ16 funcione corretamente. - Verifique se PQ18 está em bom estado, para que o divisor resistivo de PR43 e PR60 funcione corretamente. - Verifique se PQ16 está em bom estado, para que PQ14 seja polarizado corretamente. Caso todas estas considerações não surtam efeito, avançaremos na análise na próxima oportunidade... Agradecimentos: @curtolo @R2-D2 @geek889 @Leonildo senti sua falta kkkkk
  9. 4 points
    Saudações pessoal... São 3 perguntas Simples: 01 - Gostaria de participar de Lives com pate papo relacionados a tópicos existentes no fórum? 02 - Em qual destes dias? (Terça a partir das 21:30 / Sexta a partir das 21:30 / Sábado a a partir das 21:30) 03 - Em Qual plataforma? (YouTube / Facebook / Twitch.Tv) Obrigado... OBS.: Seria mais fácil na Twitch.Tv pois já tenho canal configurado. (https://www.twitch.tv/H3ELETRONICA)
  10. 4 points
    Transístor de ponto quântico Os pontos quânticos que deram um impulso na qualidade da imagem das TVs prometem agora dar um impulso na capacidade e na velocidade de processamento dos computadores. Hyeong Yun e colegas do Laboratório Nacional Los Alamos e da Universidade da Califórnia criaram transistores de pontos quânticos totalmente funcionais e já demonstraram seu funcionamento em circuitos capazes de executar operações lógicas. Os primeiros transistores de pontos quânticos em materiais semicondutores foram construídos em 2004, mas até agora vinha sendo difícil produzir as duas versões desse componente necessárias para fazer computações: os transistores de tipo p (positivo) e de tipo n (negativo). Esses pares de transistores são complementares e são tão importantes que dão o nome à tecnologia mais tradicional da microeletrônica, a CMOS (sigla em inglês para semicondutor complementar de óxido metálico), que está na base dos processadores, chips de memória, sensores de imagem e demais dispositivos eletrônicos. Transistores do tipo p e n Hyeong Yun conseguiu justamente construir transistores p e n usando pontos quânticos de seleneto de índio-cobre (CuInSe2), livrando-se do problemático cádmio e outros metais pesados que normalmente entram na composição desses semicondutores, que funcionam como "poços de elétrons". A técnica permite definir transistores do tipo p e n aplicando dois tipos diferentes de contatos metálicos (ouro e índio, respectivamente) - na verdade, o transístor nasce quando uma camada de pontos quânticos comuns é aplicada no topo dos contatos pré-padronizados. "Esta abordagem permite a integração direta de um número arbitrário de transistores do tipo p e n complementares na mesma camada de pontos quânticos, preparada como um filme contínuo não padronizado por meio de espalhamento rotativo," contou o professor Victor Klimov. Como os dois tipos de transistores são construídos na mesma pastilha, isso permitiu à equipe usá-los para demonstrar circuitos eletrônicos totalmente funcionais. Eletrônica de pontos quânticos Desde seu nascimento, a microeletrônica tem-se baseado no silício de altíssima pureza, processado em ambientes de sala limpa especialmente criadas para isso. Recentemente, contudo, o silício tem sido desafiado por várias tecnologias alternativas - normalmente chamadas de tecnologias pós-silício - que permitem a fabricação de circuitos eletrônicos complexos fora de uma sala limpa, por meio de técnicas químicas mais baratas e acessíveis. Nanopartículas semicondutoras coloidais, produzidas com técnicas químicas em ambientes muito menos rigorosos são uma dessas tecnologias emergentes. Devido ao seu pequeno tamanho e propriedades exclusivas diretamente controladas pela mecânica quântica, essas partículas são chamadas de pontos quânticos. Um ponto quântico coloidal consiste em um núcleo semicondutor coberto por moléculas orgânicas. Como resultado dessa natureza híbrida, eles combinam as vantagens dos semicondutores tradicionais bem conhecidos com a versatilidade química dos sistemas moleculares. Essas propriedades são atraentes para a realização de novos tipos de circuitos eletrônicos flexíveis, que podem ser impressos em praticamente qualquer superfície, incluindo plástico, papel e até mesmo na pele humana. Essa capacidade pode beneficiar várias áreas, incluindo eletrônicos de consumo, segurança, sinalização digital e diagnósticos médicos. Bibliografia: Artigo: Solution-processable integrated CMOS circuits based on colloidal CuInSe2 quantum dots Autores: Hyeong Jin Yun, Jaehoon Lim, Jeongkyun Roh, Darren Chi Jin Neo, Matt Law, Victor I. Klimov Revista: Nature Communications Vol.: 11, Article number: 5280 DOI: 10.1038/s41467-020-18932-5 Fonte: Inovação Tecnológica https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=transistor-ponto-quantico&id=010110201113#.X6_KachKjcs
  11. 4 points
    Apple lança o macOS Big Sur, novo sistema com cara de IOS Na última segunda-feira (9), a Apple realizou o evento "One More Thing", e dentre algumas novidades que a empresa trouxe ocorreu o anúncio oficial do sistema macOS Big Sur. A partir de ontem, dia 12 de novembro, a versão do macOS Big Sur 11.0.1 (20B29) ficou disponível para download. A Apple confirma que os seus novos computadores de mesa foram otimizados especificamente para receberam o macOS Big Sur, já que esses possuem chip com arquitetura ARM. Uma novidade interessante dessa mudança, é que os chips das versões anteriores do Mac eram fornecidos pela Intel, e agora com a fabricação de processadores da própria Apple, esses computadores ganham a capacidade de executar o aplicativo iOS e iPadOS. Detalhes do macOS Big Sur A empresa de Cupertino confirma que o macOS Big Sur foi otimizado para trazer ao usuário a combinação perfeita de potência, força e aparência já conhecida devido ao padrão de qualidade dos produtos da empresa, mas agora esse a empresa afirmar atingir um novo nível de qualidade. O seu design cuidadosamente elaborado permite que você experimente 100% do que o macOS Big Sur coloca a sua disposição. Alguns aplicativos nativos do sistema, como o navegador Safari, sofreram grandes atualizações recebendo novos recursos para uso. No geral, parece que agora o sistema transmite a ideia de maior transparência e segurança. Também passaram por reformulação a barra de menu com informações relevantes do sistema, como Wi-Fi, Bluetooth e AirDrop. A central de notificação também foi redesenhada, tornando o acesso mais interativo, como os widgets no estilo do iOS, que inclusive podem passar por personalização do usuário. Dentre tantas novidades, podemos concluir que a Apple deu um passo gigantesco com essa atualização. Percebe-se que o chip M1 fabricado pela empresa foi feito exclusivamente para o macOS Big Sur e vice-versa. A sua forma de operar demonstra total performance do processador, que por sua vez, integra-se totalmente ao sistema. Especificações do Chip M1 que é tanto processador lógico quanto processador gráfico. 1°) 5nm. 2°) 16 bilhões de transistores. 3°) 8 núcleos(Quatro núcleos de alto desempenho e Quatro núcleos de alta eficiência)* - Irei explicar os detalhes depois. 4°) GPU de 8 núcleos. 5°) 11 trilhões de operações por segundo. 6°) 1.2GHz *Explicação a respeito do item 3: Quatro núcleos de alto desempenho M1 apresenta quatro núcleos de desempenho, cada um projetado para executar uma única tarefa da forma mais eficiente possível, maximizando o desempenho. Nosso núcleo de alto desempenho é o núcleo de CPU mais rápido do mundo quando se trata de silício de baixo consumo de energia. 3 E como M1 tem quatro deles, as cargas de trabalho multithread também apresentam um grande salto de desempenho. Quatro núcleos de alta eficiência M1 tem quatro núcleos de eficiência para lidar com cargas de trabalho mais leves. Eles usam um décimo da potência e, ao mesmo tempo, oferecem um desempenho excepcional. Esses e ‑ cores são o local mais eficiente para executar tarefas leves, permitindo que os núcleos de desempenho sejam usados para seus fluxos de trabalho mais exigentes. Fontes: Sistema Operacional Especificações da CPU
  12. 4 points
    Galera, para muitos técnicos não será novidade esta dica, mas sempre tem quem não conheça esta forma. Uma maneira fácil de detectar Motherboards de Desktops com curto circuito, é usando uma Fonte Assimétrica e uma gambiarra simples. De uma fonte velha, cortamos os dois conectores, o de 24 pinos e o de 12V. Cortamos rentes os fios pretos, deixando apenas 1 com um comprimentos de uns 5 cm. Cortamos todos os outros com o mesmo comprimentos. Juntamos e soldamos os fios da mesma cor (amarelos com amarelos, laranja com laranja, vermelhos com vermelhos) e passamos solda neles. Fazemos o mesmo com o conector de 12 v. Amarelo com amarelo e preto com preto. Agora para testar a MB na linha de 5V. Regulamos a fonte para uma saída de 4,5 V Conectamos a saída de massa ( - ) da fonte no fio preto. Conectamos a saída B+ ( + ) nos fios vermelhos Com essa tensão de 4,5 V, no Painel de Corrente, a corrente medida deverá ser extremamente baixa, na ordem de 0,XX Amps. Se a corrente for alta, por exemplo acima de 1 Amp, significa que existe curto-circuito na placa, na linha de 5 V. E fazemos o mesmo teste nos outros fios/linhas de tensão. Para testar a linha de 12V (fios amarelos) regulamos a Fonte Assimétrica para uns 11,5 V. Da mesma forma a corrente medida deverá ser baixa. Se apresenta alta, haverá curto nessa linha. O mesmo se faz no conector de 12V do VCore. (Sem processador instalado). O valor da corrente deverá ser baixo, caso não haja curto-circuito na alimentação do processador. Em qualquer dos casos que seja detectado um curto-circuito, a linha em causa deverá ser analisada, recorrendo ao esquema elétrico da placa, verificando cada componente dessa linha. Espero que esta dica seja útil para quem não conhecia este método simples mas eficaz. Aproveitem.
  13. 4 points

    Version 1.0.0

    1,589 downloads

    592d8ce468682 Manuteno em Celulares- SmartPhones e PDA - Tecnoponta 18975.pdf
  14. 4 points
    O protótipo já foi testado em corações humanos isolados e em animais. [Imagem: Northwestern/George Washington universities] Eletrônica médica A eletrônica flexível está prestes a fazer sua estreia em uma área crucial, onde ela pode servir não para entretenimento ou computação, mas para salvar vidas diretamente. A equipe do professor John Rogers, pioneira no campo dos eletrônicos flexíveis, desenvolveu um balão cirúrgico contendo eletrônica flexível avançada que pode melhorar o diagnóstico e o tratamento de doenças cardíacas. Os catéteres-balão são frequentemente usados durante cirurgias minimamente invasivas ou procedimentos de ablação, onde servem para realizar medições ou desempenhar funções terapêuticas, sendo inseridos por meio de pequenas incisões. Mas eles também podem ser inseridos no coração para tratar arritmias cardíacas, localizando e removendo a região do tecido que causa a arritmia. Atualmente, no entanto, a maioria dos catéteres-balão é rígida, o que significa que não se adaptam bem às superfícies moles do coração. Além disso, esses dispositivos podem desempenhar apenas uma função por vez, exigindo que os médicos usem vários catéteres durante o procedimento. Usando sua experiência em eletrônica flexível e elástica, Mengdi Han e seus colegas criaram um sistema elástico que se adapta às superfícies do tecido, o que o permite funcionar simultaneamente como um dispositivo de diagnóstico e terapêutico. Catéter-balão para diagnóstico e terapêutica O dispositivo é feito de interconexões de ouro extensíveis ensanduichadas entre uma folha de poli-imida flexível para formar uma superfície que se deforma sem perder a funcionalidade. O catéter pode esticar até 30% nas duas direções sem causar danos ao material ou aos circuitos eletrônicos e sensores. Esquema dos circuitos e sensores e foto no detalhe de um dos chips incorporados no cateter. [Imagem: Mengdi Han et al. - 10.1038/s41551-020-00604-w] A equipe testou o catéter usando modelos computacionais, modelos de coração de plástico e corações humanos e de animais reais. Eles confirmaram que o catéter eletrônico flexível tem vantagens sobre os dispositivos médicos atuais, tanto na forma física quanto na funcionalidade. "Nós pegamos novos materiais inovadores e técnicas de fabricação normalmente empregadas pela indústria de semicondutores e as aplicamos ao campo médico, neste caso à cardiologia, para promover uma nova classe de instrumentos médicos que irão melhorar os resultados cardíacos para os pacientes e permitir que os médicos ofereçam cuidados melhores, um atendimento mais seguro e específico para o paciente," disse o professor Igor Efimov, membro da equipe. Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=eletronica-flexivel-rumo-salas-cirurgia&id=010110201028#.X5lb__lKgdU
  15. 4 points
    Não é difícil conseguir joinhas. Basta participar ativamente do fórum, ajudando os colegas ou compartilhando dicas. Cada joinha recebido equivale a 10 Créditos. = 10 Créditos Aqui estão 5 dicas para ganhar muitos joinhas: 1-) Fique antenado nas últimas postagens no fórum e ajude a galera! Clique no menu superior “Atividades”. 2-) Não tenha medo/vergonha de sugerir algum teste por mais simples que possa ser, se ele não foi citado anteriormente nos testes feitos, pode ter passado desapercebido pelo autor do tópico e outros usuários. 3-) Sempre que possível crie tópicos com tutoriais e dicas, são sempre bem vindos. 4-) Crie tópicos de notícias! Tópicos bem feitos podem ser divulgados na página inicial do fórum e ganham muitos joinhas. Clique Aqui para mais informações. 5-) Uploads bios e esquemas geram muitos joinhas. Clique Aqui para mais informações. Notas: -> Naturalmente, para quem está começando agora, não é possível fazer downloads. Mas até pra isso tem solução. Abra um novo tópico na área correta, e receberá toda a ajuda que precisa. Se precisar de um arquivo, os próprios colegas que estarão ajudando no seu tópico poderão fornecer meios para obter este arquivo, de acordo com as regras do fórum. Se estiver nesta situação por favor leia este tópico: Preciso de um Arquivo mas não tenho Créditos... -> Evite pedir joinhas nos tópicos. Eles virão normalmente, de forma proporcional a ajuda que oferecer. Quem merece joinhas? Clique Aqui!
  16. 3 points
    DELL INSPIRION N4110 DAV02AMB8F0 VER F tá morto, deu vídeo uma vez e não mais - logo de cara eu faço esses teste na sequência: - tensão da cmos - OK - reset cmos - OK - curto nas bobinas - OK - tensão no start e zera quando pressiona - OK - tensão na bios pinos 1, 2, 3, 5, 6, 7, 8 no stand e depois do start - OK - tensão nas bobinas: - PL10 +5V_ALW - OK - PL11 +3.3V_ALW - OK - PL9 +1.5V_SUS - OK - PL8 +1.8V_RUN - OK - PL7 +VCC_GFX_CORE - PL6 +VCC_CORE - PL5 +VCC_CORE - PL4 +VCC_DGFX_CORE - PL1 +VCCSA_CORE - 0.910V - PL3 +VCHGR - 1.7V - não temos sequência de start no esquema, então vou verificar se tem sinal pgood(sinal que avisa que o ckt tá ok e pode seguir enfrente) no ckt +1.8V_RUN e +VCCSA_CORE: - +VCCSA_CORE - pino 16 PU8 VCCSA_PWRGD - 3.3V tá correto - +1.8V_RUN - PU3 não usa pgood pino 8, então vamos verificar aonde essa tensão vai parar: ela alimenta a CPU, PCH e para no PQ10 - acreditando que +1.8V_RUN está chegando e alimentando a CPU e PCH, vamos verificar se acontece a transferência de tensão de +1.8V_RUN pra +1.8V_GFX em PQ10 - não tá acontecendo essa transferência em PQ10 - esse ckt funciona assim: - o sinal GFX_+1.8V_EN chega no dreno de PQ11B, fazendo o mesmo saturar, assim aterra o dreno de PQ11A fazendo o mesmo cortar, assim os +15V_ALW passa pelo PR111 e chega no gate de PQ10, fazendo o mesmo saturar, assim liberando +1.8V_GFX - não tenho esse sinal GFX_+1.8V_EN chegando no PQ11B - verificar de onde vem GFX_+1.8V_EN - vem do PU6, verificar tensões nos pinos: - 01 GFX_+1.8V_EN - não tenho - 02 +3V_GFX - 300mv - tá errado deveria ter 3.3v - 03 +1.5V_SUS - OK - 04 +5V_RUN - OK - 05 não usa - 06 +1V_GFX - não tenho - 07 ADJ - não tenho - 08 - terra - vimos que não temos o sinal de habilitação +3V_GFX chegando no pino 2 PU6 - verificar de onde vem +3V_GFX - vem do PQ14, esse ckt funciona da mesma forma do de cima "PQ10" - verifiquei que não tenho o sinal DGPU_PWR_EN chegando no gate de PQ13B e de acordo com o funcionamento do ckt, ele não vai liberar +3V_GFX - verificar de onde vem DGPU_PWR_EN - DGPU_PWR_EN vem da PCH U26 - como ligou uma vez, vou fazer ME na PCH (com muito cuidado pra não danificar) - fiz ME e nada - como disse não tenho sequência de start no esquema - então vou verificar alguns sinais importantes que a SIO envia pro setor de "System Power Management" da PCH U26 e alguns que ela recebe pra prosseguir - sinais na SIO U2 IT8518: - 66 HWPG (vem) - variando de 0v à 3.3v - tá errado - 80 RSMRST# (vai) - 3.3v - 81 SIO_PWRBTN# (vai) - 3.3v - 82 EC_PWROK (vai) - 3.3v - 112 AC_PRESENT - 3.3v - 119 IMVP_PWRGD - 0v - tá errado deveria ter 3.3v - notamos que o sinal HWPG tá variando - verificar de onde vem HWPG - HWPG é uma variação de VCCSA_PWRGD que é o sinal PGOOD vindo do pino 16 PU8 - obs.: eu já verifiquei esse sinal lá em cima e tinha 3.3v corretamente - vamos verificar o por que da variação - essa linha VCCSA_PWRGD tem um resistor de pull up R302, que serve pra levantar, jogar 3.3v nessa linha quando ckt tá ok e a tensão +3.3V_SUS tava variando - verificar de onde vem +3.3V_SUS - vem do PQ17, esse ckt funciona da mesma forma do de cima "PQ10" e "PQ14" - verifiquei que o sinal SUS_ON(3.3v) tá chegando no dreno de PQ16B - então vamos verificar as tensões em PQ16 e PQ17 e ver o motivo da variação na linha +3.3V_SUS: - PQ17: - 1,2,5,6 - 3.3v tá correto - 4 - 7v - tá errado, deveria ter uns 13v - 3 - variando - PQ16: - 1 - terra - 2 - 3.3v - correto - 3 - 7v - tá errado, deveria ter uns 13v - 4 - terra - 5 - 0v - correto - 6 - 0v - correto - verificar o motivo dos 7v no lugar dos 13v - esses 13v vem de +15V_ALW através do resistor de pull up PR119 100k - medi o PR119 100k e tava OK - medi a linha +15V_ALW e também tava com 7v, deveria ter uns 13v - medi PQ16 e PQ17 e tava OK - então resolvi retirar PQ16 pra ver se linha +15V_ALW levantava - e a linha +15V_ALW realmente levantou, apareceu os 13v - troquei PQ16 e a placa funcionou perfeitamente - conclusão é que PQ16 tava em fuga, deixando a linha +15V_ALW com 7v, e consequentemente os 7v não era suficiente pra satura PQ17, deixando a linha +3.3V_SUS variando - por que não foi direto nos ckts de transferência, assim não perderia tempo? - poderia, mas a intenção do tópico é mostrar a linha de raciocínio até chegar na solução do problema, assim clarear a mente da galera que tá chegando.
  17. 3 points

    Version 1.0.0

    97 downloads

    Arquivos testados e funcionando perfeitamente, Main e EC com opção legacy, deixe seu comentário se lhe ajudei.
  18. 3 points
    Neste caso especial, a cor depende da direção de onde vem a luz que ilumina o objeto. [Imagem: Eser Metin Akinoglu et al. - 10.1002/adom.202001307] Novo tipo de cor A maioria dos materiais ao nosso redor tem uma determinada cor porque cada um absorve apenas parte do espectro solar. Por exemplo, as folhas de uma árvore nos parecem verdes porque absorvem a luz vermelha e a azul. Alguns objetos, por sua vez, incluindo animais, criam cores de uma maneira diferente, baseando-se não em sua composição química, mas em variações na sua forma - são as chamadas cores estruturais. As cores estruturais geralmente são criadas por difração, que acontece quando os raios de luz interferem uns nos outros conforme refletem nas superfícies. Os arco-íris e as manchas de óleo coloridas sobre a água são exemplos de cores estruturais, e o efeito também é responsável pelos incríveis tons vívidos das penas do pavão e das asas das borboletas. Agora, cientistas australianos descobriram um mecanismo inesperado para gerar cores que ninguém havia percebido antes. Para criar o efeito, Eser Akinoglu e seus colegas juntaram uma película muito fina de nitreto de silício a outra película um pouco maior de alumínio metálico. O campo elétrico - uma força criada pela atração e repulsão das cargas elétricas dos átomos - é muito forte onde os dois materiais se tocam. Quando esse sanduíche inusitado foi iluminado, a interação de diferentes ondas de luz - chamada interferência óptica - na superfície do material criou cores brilhantes que não podem ser explicadas pela química (composição do material) e nem pela física (no sentido da estrutura física do material). Basta mudar as condições de iluminação para que a cor do material mude. Isso amplia nossa compreensão do comportamento e das propriedades da luz e também pode ter aplicações práticas em tecnologias de detecção (sensores) e em dispositivos de segurança, diz a equipe. A cor que você verá (ou não) depende da direção da iluminação, sendo gerada pelas conexões atômicas entre os dois materiais. [Imagem: Jasmine Lynch] Cor direcional Sob luz normal, o material funciona como um espelho, refletindo quase toda a luz visível. Mas quando ele é iluminado por apenas um feixe direcional de luz, o material assume cores vivas e iridescentes. "Se você usar uma lanterna para iluminar a amostra em uma sala escura, o feixe de luz refletido se afastará de você para o outro lado da sala. A luz refletida nunca atinge seus olhos, apenas a luz dispersa pode atingir seus olhos. "Quando a luz da sala está ligada, a luz vem de todos os lugares até a amostra e, portanto, você sempre verá a luz refletida viajando até seus olhos. "O efeito é uma curiosidade completamente desconhecida que resulta em vermos cores. É algo fundamentalmente diferente," disse Akinoglu. Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=descoberta-nova-forma-gerar-cores&id=010160201123#.X7urLZxKgps
  19. 3 points
    Buenas, provavelmente o defeito aí é a própria lâmpada. Você testou com outra? Esse centelhador faz parte do circuito de ignição da lâmpada. Essas lâmpadas funcionam com algumas dezenas de volts, mas precisam de um pulso de alguns KV para acenderem (assim como as lâmpadas de vapor de sódio, de xenônio e fluorescentes). É meio trabalhoso, mas dá pra testar o ballast (reator) usando uma lâmpada fluorescente tubular comum, ligando as duas extremidades dela na saída do ballast (e inibindo o sensor de tampa da lâmpada aberta que tem no projetor).
  20. 3 points
    @mitsant Atualmente eu já investi mais de R$ 5000,00 de forma direta entre componentes, placa tela, resistências, atuadores elétricos... Durante um tempo eu tinha parado o projeto para desenhar e construir minha CNC, com ela eu sou capaz de fazer minhas próprias peças mecânicas. Esse projeto está demorando um pouco porque ele é complexo, demanda muito tempo e dinheiro… Sempre os custos de prototipagem é maior que os custos de produção. porque você escolhe um componente testa seu desempenho vê que não é satisfatório e parte para outro. Todo esse ciclo se repete até você encontrar o certo. Estou desenvolvendo um novo de controle de potência para o acionamento das resistências de aquecimento. Esse controlador minimiza a distorção (luzes piscando) da tensão e corrente na rede elétrica. Não fica preocupado com o valor final para você, porque toda a máquina será de código e hardware aberto e também ela é baseada no Arduino. Futuramente eu irei ensinar tudo sobre a máquina através Youtube, e até como você construir seus próprios equipamentos automatizados. Compartilha ai com quem você conhece, porque toda ajuda é bem vinda. Obrigado ao nosso amigo @herbert.sp por ter enviado 4 prismas para teste do sistema de alinhamento. Aqui em baixo tem uma prévia de como está ficando o controlador do maquina. Ele é totalmente independente do computador e tem capacidade para armazenamento de quantos perfis você quiser de acordo com o tamanho do cartão SD. Aqui é o projeto da minha CNC... uma ajuda muito grande para o projeto!
  21. 3 points
    bom dia amigo de uma conferida nesses kits pois tem muitos componentes falso eu compro de la direto mais tem fornecedor que nao vende material de qualidade por exemplo ja peguei 30j124 que nao chega a 300 volts quando o certo seria pra 700 pelo datashit sempre testo e procuro compra do mesmo fornecedor embora pague mais caro , mais ainda assim mais em conta que aki pois ja aconteceu de colocar e ficar mancado a tela e nao descobria qual problema trocando por outro original sumnia o defeito por isso hoje eu testo eles sempre pelo menos os igbt
  22. 3 points
    Baterias de sódio contra baterias de lítio As baterias de íons de lítio são os sistemas de armazenamento de energia eletroquímica preferidos para uma ampla variedade de aplicações. No entanto, outros tipos de tecnologias emergentes já estão se preparando para oferecer baterias mais baratas e menos danosas ao meio ambiente. Entre elas, as baterias de íons de sódio (Na) têm mostrado grande potencial para representar a próxima geração de solução de armazenamento de energia de baixo custo e ecologicamente correta. Para fazer um balanço da situação, um time de especialistas na área, de pelo menos oito universidades europeias, combinou seu conhecimento e experiência para avaliar o status atual da tecnologia de íons de sódio, avaliando desde os materiais até o desenvolvimento das células, oferecendo uma comparação realista dos indicadores-chave de desempenho para as baterias de lítio e de sódio. Eles afirmam que as baterias à base de sódio oferecem uma combinação de propriedades atraentes. Elas são de baixo custo, usam precursores sustentáveis e têm um abastecimento seguro de matéria-prima. Além disso, elas são promissoras porque podem ser produzidas nas mesmas instalações de fabricação das baterias de íons de lítio já existentes. Tipos de baterias de sódio Assim como as baterias baseados em lítio, as baterias baseadas em sódio vêm em diferentes formas, como íons de sódio, baterias de sódio de estado sólido, baterias sódio-ar e baterias de sódio-enxofre. Embora as duas últimas sejam vistas como tecnologias revolucionárias do futuro, a tecnologia íons de sódio representa uma tecnologia atraente quase pronta para desafiar as baterias de íons de lítio em aplicações específicas. Os especialistas indicam que, com o desenvolvimento recente, os melhores materiais atuais disponíveis para células de íons de sódio devem permitir fabricar baterias com uma densidade de energia muito próxima à da atual geração de células comerciais de íons de lítio. Um dos campos de aplicação mais importantes para os protótipos de baterias de íons de sódio são certamente os sistemas de armazenamento de energia estacionários, onde o custo e o ciclo de vida representam dois parâmetros fundamentais. "Neste campo, as baterias de íons de sódio têm o potencial de dominar o mercado futuro, representando o sistema mais promissor para preencher a lacuna entre a produção e a utilização de energia, garantindo o fornecimento de energia. No entanto, as aplicações de alta potência no campo automotivo eletrificado são um nicho potencial de aplicação para as baterias de íons de sódio," disse a professora Ivana Hasa, da Universidade do Warwick, membro do painel de especialistas. Roteiro tecnológico para baterias de sódio A equipe também aponta o que falta fazer. Por exemplo, melhorias tecnológicas são necessárias para aumentar o desempenho das baterias de sódio, especialmente em termos de densidade de energia. Mas é preciso levar em conta que resultados extremamente encorajadores foram alcançados para a tecnologia de íons de sódio em um tempo mais curto do que o que se obteve com a tecnologia de íons de lítio, quando essas baterias começaram a ser desenvolvidas. Segundo a equipe, o aprimoramento tecnológico será alcançado pela otimização da fabricação e da montagem dos componentes das células, como ocorreu nos últimos trinta anos para a tecnologia de lítio. "Do ponto de vista da pesquisa aplicada, os esforços de pesquisa futuros devem ser dedicados à pesquisa fundamental, descoberta de materiais e compreensão dos processos termodinâmicos e cinéticos que governam a química desses sistemas. Além disso, a investigação de baterias de íons de sódio em larga escala é de importância fundamental para se obter dados realistas para avaliar o progresso da tecnologia, bem como a adoção de uma metodologia comum para relatar os avanços entre a comunidade científica, permitindo uma comparação justa entre os resultados de desempenho," disse Hasa. Bibliografia: Artigo: Challenges of today for Na-based batteries of the future: From materials to cell metrics Autores: Ivana Hasa, Sathiya Mariyappan, Damien Saurel, Philipp Adelhelm, Alexey Y. Koposov, Christian Masquelier, Laurence Croguennec, Montse Casas-Cabanas Revista: Journal of Power Sources Vol.: 482, 228872 DOI: 10.1016/j.jpowsour.2020.228872 Fonte: Site Inovação Tecnológica https://www.inovacaotecnologica.com.br
  23. 3 points
    Memória magnética rápida Uma equipe internacional de pesquisadores e engenheiros criou uma nova técnica para inversão da magnetização - o processo usado para gravar e apagar informações em memórias magnéticas - que é quase 100 vezes mais rápida do que os dispositivos spintrônicos de última geração. O avanço promete viabilizar o desenvolvimento de memórias magnéticas ultrarrápidas para chips de computador - além de gastar pouca energia, elas mantêm os dados mesmo na falta de energia. Componentes spintrônicos são alternativas atraentes às memórias de computador convencionais - a família das RAMs -, mas têm ficado restritos aos discos de backup por suas velocidades relativamente lentas, já que dependem de memórias magnéticas, que demoram mais para serem manipuladas do que as elétricas. Kaushalya Jhuria e seus colegas demonstraram agora uma técnica que usa pulsos elétricos extremamente curtos - 6 picossegundos de duração - para alternar a magnetização de um filme fino em um dispositivo magnético com grande eficiência energética. Um picossegundo equivalente a um trilionésimo de segundo, o que coloca as memórias magnéticas na mesma casa com que é medida a velocidade das memórias RAM atuais. Memória spintrônica Nas memórias convencionais, os 0s e 1s dos dados binários são armazenados como os estados "ligado" ou "desligado" de transistores de silício individuais. Nas memórias magnéticas, essa mesma informação é armazenada como polaridades opostas da magnetização, que geralmente são consideradas como os estados "para cima" ou "para baixo". Componentes spintrônicos de última geração são feitos com componentes que apresentam um efeito conhecido como torque spin-órbita. Nesses componentes, uma pequena área de um filme magnético (um bit magnético) é depositada sobre um fio metálico. Uma corrente fluindo através do fio gera um fluxo de elétrons com um momento magnético, também chamado de spin. Isso, por sua vez, exerce um torque magnético - chamado de torque spin-órbita - no bit magnética. E o torque spin-órbita pode então mudar a polaridade do bit. Componentes de última geração que funcionam com base nesse princípio exigem pulsos de corrente de pelo menos 1 nanossegundo para gravar ou apagar o bit magnético, enquanto os transistores nas memórias RAM de última geração alternam em apenas 1 a 2 picossegundos (1 nanossegundo equivale a 1000 picossegundos). A equipe conseguiu chavear sua memória spintrônica em 6 picossegundos, o que a torna vantajosa para muitas aplicações, considerando que ela consome menos energia e é não-volátil. "A alta eficiência energética deste novo processo de comutação magnética ultrarrápida foi uma grande e muito bem-vinda surpresa," disse o professor Jeffrey Bokor, da Universidade de Berkeley. "Esse dispositivo spintrônico de alta velocidade e baixo consumo de energia pode potencialmente enfrentar as limitações de desempenho dos sistemas de memória de nível de processador atuais e também pode ser usado para aplicações lógicas." Bibliografia: Artigo: Spin-orbit torque switching of a ferromagnet with picosecond electrical pulses Autores: Kaushalya Jhuria, Julius Hohlfeld, Akshay Pattabi, Elodie Martin, Aldo Ygnacio Arriola Córdova, Xinping Shi, Roberto Lo Conte, Sebastien Petit-Watelot, Juan Carlos Rojas-Sanchez, Gregory Malinowski, Stéphane Mangin, Aristide Lemaître, Michel Hehn, Jeffrey Bokor, Richard B. Wilson, Jon Gorchon Revista: Nature Electronics DOI: 10.1038/s41928-020-00488-3 Fonte: Site Inovação Tecnológica https://www.inovacaotecnologica.com.br
  24. 3 points
    Produto: Televisor Marca: Samsung Modelo: PL43F4000AG ou PN43H4000 Placa Y-sus: LJ92-01947A ou LJ41-10321A Defeito: em curto, mata fonte, fica desligando Causa: C5075 e C5078 fagulhou e queimou geral Solução: troque sem medir, Q5000(usa RJP63K2, pode aplicar 30J124 ou 30J127), Q5001(usa RJP63K2, pode aplicar 30J124 ou 30J127), D5057(usa SF10A400HD), Q5014(UsaFGD4536, pode aplicar RJP30H1 ou TGD30N40P), C5075(1N 1KV) e C5078(usa 330PF 1kV).
  25. 3 points
  26. 3 points
    Desde que a Microsoft lançou o Windows 8, lá em 2012, ela tem se esforçado bastante para fazer seu conjunto de apps nativos — e adaptados para telas sensíveis ao toque — vingar entre seus usuários. Veio a atualização 8.1 e, posteriormente, o Windows 10, e nenhum deles teve sucesso em popularizar o Configurações, aplicativo que surgiu para substituir o bom e velho Painel de Controle. O motivo é simples: para muitos, o Configurações nem de longe traz a mesma liberdade para você “fuçar” em atributos mais técnicos da máquina consagrada pelo antigo Painel de Controle. A Gigante de Redmond tem se empenhado nos últimos meses a mudar esse cenário, tornando o app nativo cada vez mais robusto e cheio de recursos. Agora, pelo jeito, ela começou a forçar a transição na marra. Segundo o SlashGear, diversos membros do programa Insider (que têm acesso às builds Beta do SO) afirmam que, nas mais recentes compilações instáveis do Windows, a Microsoft removeu completamente qualquer forma de acessar alguns recursos cruciais do Painel de Controle, como os setores “Sistema e Segurança” (usado para obter informações técnicas da máquina) e “Programas” (útil para desinstalar softwares). Não temos como dizer que se trata de uma notícia inesperada — mais cedo ou mais tarde tal alteração teria que ser forçada, especialmente com a companhia investindo cada vez mais no aplicativo Configurações. Ainda assim, não sabemos como será a reação do público final caso tais alterações realmente sejam aplicadas nas compilações estáveis do sistema operacional. Fonte: https://canaltech.com.br/windows/windows-10-comeca-a-matar-de-vez-o-bom-e-velho-painel-de-controle-174023/
  27. 3 points

    Version 1.0.0

    161 downloads

    bios 100% funcionando pra legacy e uefi processador celeron 2.13 Acer E1 510 2606 Z5WE3 LA-A621P REV-1.0 19137.bin
  28. 3 points
    A principio o Layout da transmissão ficaria esse... A qualidade não está boa, eu sei, mas só irei fazer upgrade com o tempo. Lembrando que não é curso nem aula nem nada, é Bate Papo heheheheh... Farei um teste hj a noite... Abraços... OffTopic: Vou marcar uns amigos @byte @Jack O'Neo, e oooo, éeeeee, aqueleeeeee, caramba, acabo de perceber que não tenho muitos kkkkk
  29. 3 points
    Processador revolucionário reúne cálculo e memória no mesmo chip Redação do Site Inovação Tecnológica - 06/11/2020 Lógica sobre memória Um engenheiro brasileiro, atualmente trabalhando na Suíça, liderou uma equipe que desenvolveu um processador de computador que combina duas funções - operações lógicas e armazenamento de dados - em uma única arquitetura. É um grande avanço para a eletrônica e para a informática, uma vez que a união de computação e armazenamento no mesmo chip - também conhecida como "arquitetura lógica-sobre-memória" - dispensa a troca de dados entre processador e memória, tornando os computadores mais rápidos e com menor consumo de eletricidade. Essa junção também era longamente esperada por seu potencial impacto no processamento de algoritmos de inteligência artificial. O avanço histórico foi liderado por Guilherme Migliato Marega, engenheiro eletricista formado pela USP (Universidade de São Paulo), que atualmente trabalha na Escola Politécnica Federal de Lausanne. Molibdenita Para quem duvidava que o grafeno estava sendo deixado para trás na corrida rumo a uma era pós-silício, o novo chip é feito de um outro material monocristalino (2D), a molibdenita (MoS2). A molibdenita, um material que consiste em uma única camada com três átomos de espessura, é um excelente semicondutor e já é o componente mais pesquisado no campo da fotônica (processadores que funcionam com luz em vez de eletricidade) e da spintrônica (uma espécie de meio caminho entre a eletrônica e a computação quântica). Processador e memória juntos O novo processador lógica-sobre-memória é feito com transistores de efeito de campo (FET) de portas flutuantes (FGFETs). A vantagem desses transistores é que eles podem reter cargas elétricas por longos períodos - é por isso que eles são usados em memórias flash para câmeras, celulares e computadores. E as propriedades elétricas exclusivas da molibdenita tornam este semicondutor particularmente sensível a cargas armazenadas em FGFETs, o que permitiu a criação de circuitos que funcionam tanto como células de armazenamento de memória quanto como transistores programáveis. Ao usar a molibdenita, a equipe conseguiu incorporar várias funções de processamento em um único circuito com memória e alterar ambos conforme desejado. "Essa capacidade dos circuitos de realizar duas funções é semelhante à forma como o cérebro humano funciona, onde os neurônios estão envolvidos tanto no armazenamento de memórias quanto na realização de cálculos mentais," comparou o professor Andras Kis, coordenador da equipe. "O projeto do nosso circuito tem várias vantagens: Ele pode reduzir a perda de energia associada à transferência de dados entre unidades de memória e processadores, diminuir a quantidade de tempo necessária para operações de computação e diminuir a quantidade de espaço necessária. Isso abre as portas para dispositivos menores, mais potentes e com maior eficiência energética," acrescentou Kis. Embora ainda seja um protótipo, a equipe está entusiasmada com a capacidade de levar a nova arquitetura rumo aos aparelhos eletrônicos e computadores vendidos no mercado: "Fizemos nosso primeiro chip há dez anos à mão. Mas, desde então, desenvolvemos um processo de fabricação avançado que nos permite fazer 80 ou mais chips em uma única rodada, com propriedades bem controladas," disse Kis. Foto 1: A junção de memória e processamento no mesmo chip imita a forma como o cérebro humano funciona. [Imagem: EPFL/LANES] Foto 2: O processador com memória coloca a molibdenita quilômetros à frente do grafeno. [Imagem: EPFL/LANES] Bibliografia: Artigo: Logic-in-memory based on an atomically thin semiconductor Autores: Guilherme Migliato Marega, Yanfei Zhao, Ahmet Avsar, Zhenyu Wang, Mukesh Tripathi, Aleksandra Radenovic, Andras Kis Revista: Nature Vol.: 587, pages 72-77 DOI: 10.1038/s41586-020-2861-0 Fonte: Inovação Tecnológica https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=processador-com-memoria&id=010150201106#.X6lDTMJKhph
  30. 3 points
    inflismente a evolução neste caso nem sempre se pode considerar uma melhoria, cada vez mais o utilizador tem menos acessos a base do windows, painel de controlo e propriedades uteis para quem trabalha e configura pcs , e eu uso muito, e la que tem tudo o que precisamos. cada vez mais o windows se parece com o sistema android. tentam fazer com que tudo seja mais fácil para todos o tipos de usuários e principalmente para a partilha entre todos os aparelhos quase automática mesmo sem querer-mos, e as funcoes principais deixamos de ter acesso. notou se bem a remoção do atalho f8 para muitas funcionalidades mesmo sem o sistema operativo funcionar, agora e preciso forcar o windows desligar a bruta para se ter acesso ao painel de recuperação. meu rico windows XP 😂😂
  31. 3 points
    Olá @LuisStegel , sei q o LM19 é um sensor de temperatura, e posso te falar q nem sempre vou pela lógica, pq já peguei casos em q ele estava ruim e causava mal funcionamento em outro componente, como já aconteceu comigo de dar problema em defeito q troquei tudo oq poderia ser e nada, acabei trocando ele sabendo q se fosse pela lógica não seria, e por fim deu certo. Acho q se o defeito está difícil de achar, não custa tentar. Já o LE50 não mencionei para q ele trocasse, e sim falei p ele q era LE50 e não LM50 como ele descreveu no post dele. Agradeço pela observação amigo.
  32. 3 points

    Version 1.0.0

    255 downloads

    DUMP Feita com gravador de eproom- 100% Funcionando Funciona nos Modelos: NP-270E4E NP-300E5V PLACA MAE BA41-02206A VERSAO - P02RBE Me ajudou em um notebook que o cliente excluiu a particão de recovery e o notebook não dava opção para entrar na bios
  33. 3 points
    Visualizar Arquivo Emdoor EM H8316 v 3.0 Esquema + boardview pdf. Esquema raro, portanto seja grato e deixe seu Uploader FDONATO Enviado 18-09-2020 Categoria Positivo  
  34. 3 points
    Excelente Curso CTA ( Contém 12 módulos). Apesar de ser um curso antigo é muito útil para aprender eletrônica por análise de circuito.
  35. 3 points
    Olá amigos do fórum boa tarde, gostaria de compartilhar com vocês este tutorial que gravei de como, fazer um Reballing no Chip do Processador SR16z do Dell Inspiron 5547, quem gostar não esquece de retribuir com o joinha e se possível de se inscrever lá no meu canal.
  36. 3 points
    Meus Amigos vejo que alguns colegas ainda tem dúvidas quanto a equivalência do CI de Bios pelo o tamanho, Segue uma tabela de referência para tamanho de BIOS. Serigrafia 16 = 2 mb exemplo: 25X16BVSIG Serigrafia 32 = 4 mb exemplo: 25X32BVSIG Serigrafia 40 = 512kb exemplo: 25X40BVSIG Serigrafia 64 = 8mb exemplo: 25X64BVSIG Serigrafia 80 = 1mb exemplo: 25X80BVSIG Deu p entender? Voce pode substituir por CI de frabricantes diferentes EXEMPLO: Um CI Macronix MX25L3205 pode ser substituído por um CFeon F32 Você tambem pode subistituir por CI Maior que não terá problemas, mas nunca o inverso. EXEMPLO: Um CI Macronix MX25L3205 pode ser substituído por um CFeon F64
  37. 3 points
    @Daniel olá tudo bom tenho uma dubida vc fala que joinhas vendran se agente ajuda nos topicos, beleza ate aqui otimo, mais quando me deram joinhas pela minha colaboracao , nao percebei acrescento algum do nivel de saldo para download, entao eu queria saber qual o motivo de nao acrescentar meu saldo pelo meu ganho de joinhas.
  38. 3 points
    Com certeza todas informações será bem compreendidas com uma boa elaboração do conteúdo para ser analisados por todos.
  39. 3 points
    É importante enfatizar que ao criar tópicos de tutoriais/dicas o mesmo deve ser bem elaborado com o máximo de explicação possível de como chegou à essa conclusão, assim aumenta mais ainda a chance de receber joinhas.
  40. 3 points

    Version 1.0.0

    762 downloads

    Curso de Eletrônica em 32 Volumes. Fundamentos de Eletroeletrônica.
  41. 2 points

    Version 2.0.0

    1,118 downloads

    Resumo Conserto de Placa Mae 10958.pdf
  42. 2 points
    @Participativo EBR @Técnico Cooperador Estou refazendo alguns vídeos, então caso não esteja disponível aguarde que em breve postarei. Minha conta foi hackeada, então perdi todas as postagens. novo canal https://www.youtube.com/channel/UCiAtbQnSVZXm9bqIhB9y5dA?sub_confirmation=1 Neste único tópico irei reunir todos os vídeos postados sobre análise de circuitos usando o Proteus, bem como outras dicas relacionadas à eletrônica. Vou deixar esse como exemplo para quem quiser dar uma olhada. Neste vídeo é analisado os sinais ACIN e PACIN da placa 9061P - PWM de charger BQ24727 Os outros vídeos irei organizando aqui neste novo tópico. https://eletronicabr.com/forums/topic/77165-acer-5551-compal-la-5912p-não-liga-com-a-fonte-simulação-no-proteus https://eletronicabr.com/forums/topic/77051-como-calcular-resistência-em-circuitos-em-série-e-em-paralelo-proteus https://eletronicabr.com/forums/topic/97911-lenovo-g400s-la-9902p-proteção-armada-com-19v-nos-gates https://eletronicabr.com/forums/topic/76285-hp-probook-4520s-liberação-das-entrips-pwm-de-3-e-5v-simulação-no-proteus https://eletronicabr.com/forums/topic/75930-notebook-positivo-placa-mãe-6-71-m74s0-d06a-simulação-no-proteus https://eletronicabr.com/forums/topic/74478-lg-s43-mb-daolg2mb6do-pq3-não-conduz-análise-com-proteus https://eletronicabr.com/forums/topic/73211-vídeo-acin-e-pacin-bq24727-sinais-importantes-simulação-no-proteus-la-9061 https://eletronicabr.com/forums/topic/73210-acer-la-6901p-placa-não-liga-dica-com-vídeo https://eletronicabr.com/forums/topic/70057-vídeo-análise-da-placa-la-4117p-mosfet-npn-e-pnp-simulação-no-proteus https://eletronicabr.com/forums/topic/44361-onda-quadrada-de-pwm-e-teste-de-cristal-oscilador-osciloscópio https://eletronicabr.com/forums/topic/77998-encontrar-curto-na-linha-de-vcore-pwm-ou-soquete-do-processador https://eletronicabr.com/forums/topic/79322-troca-de-um-mosfet-mosfet-equivalente https://eletronicabr.com/forums/topic/79561-ligar-placa-de-notebook-sem-botão-power-para-efeito-de-testes https://eletronicabr.com/forums/topic/79621-recuperando-partição-perdida-ou-deletada-paragon-hard-disk-manager https://eletronicabr.com/forums/topic/80262-liberação-das-tensões-de-3-e-5v-vme40-pm_slp_s3-ativação https://eletronicabr.com/forums/topic/81012-identificando-um-canal-de-um-mosfet-sem-esquema-e-sem-datasheet-e-testando-o https://eletronicabr.com/forums/topic/81668-placa-liga-mas-não-dá-vídeo-sinal-lcdvcc-faltando-pch https://eletronicabr.com/forums/topic/84322-testando-capacitor-e-transistor-com-um-esr-meter https://eletronicabr.com/forums/topic/85863-como-saber-se-o-defeito-é-cabo-flat-ou-a-tela-do-notebook-teste-telas-de-led https://eletronicabr.com/forums/topic/86822-corrente-do-carregador-e-consumo-de-corrente-numa-placa-em-curto https://eletronicabr.com/forums/topic/90235-como-saber-a-tensão-de-um-diodo-zener-fora-do-circuito https://eletronicabr.com/forums/topic/92617-identificar-canal-de-mosfet-sem-datasheet-testar-chaveamento https://eletronicabr.com/forums/topic/92961-usando-o-adobe-para-procurar-componentes-nas-sucatas https://eletronicabr.com/forums/topic/92962-circuito-rtc-bateria-de-3v https://eletronicabr.com/forums/topic/79322-troca-de-um-mosfet-mosfet-equivalente https://eletronicabr.com/forums/topic/79561-ligar-placa-de-notebook-sem-botão-power-para-efeito-de-testes https://eletronicabr.com/forums/topic/97911-lenovo-g400s-la-9902p-proteção-armada-com-19v-nos-gates https://eletronicabr.com/forums/topic/100030-único-teste-confiável-de-capacitor-eletrolítico-é-medindo-a-esr-capa-check https://eletronicabr.com/forums/topic/142848-vrt-dvd-2009-mosfet-equivalente-outra-alternativa/ https://eletronicabr.com/forums/topic/155611-placas-de-desktop-com-duas-bios-qual-gravar/ https://eletronicabr.com/forums/topic/155612-duas-bios-em-placas-de-notebook-qual-gravar-se-a-placa-não-dá-vídeo-e-qual-gravar-quando-não-liga/ https://eletronicabr.com/forums/topic/157214-super-io-gravável-quando-devo-gravá-lo/ https://eletronicabr.com/forums/topic/191050-tv-lg-32lg30r-desliga-e-liga-teste-de-esr-de-capacitor-com-produto-nacional/?tab=comments#comment-902930 https://eletronicabr.com/forums/topic/161483-testar-curtos-em-reguladores-pwm-e-sio/ https://eletronicabr.com/forums/topic/169868-uso-da-placa-post-no-diagnóstico-de-placas-desktop/ https://eletronicabr.com/forums/topic/184343-análise-de-placa-de-notebook-através-do-consumo-de-corrente/ https://eletronicabr.com/forums/topic/185977-teste-de-teclado-e-gravação-bios-de-tela-de-notebook/ https://eletronicabr.com/forums/topic/211423-puresync-sincronização-e-backup-de-arquivos-precaver-se-quanto-a-vírus-ou-mesmo-dano-ao-hd/ https://eletronicabr.com/forums/topic/211743-tensões-na-memória-ram-de-notebooks-como-saber-se-a-memória-está-funcionando/ https://eletronicabr.com/forums/topic/215471-teste-memória-ram-e-pch-de-uma-só-vez-tensões-e-sinais-como-clock-e-data-sem-abrir-o-notebook/? tab=comments#comment-978057 https://eletronicabr.com/forums/topic/217271-notebook-não-carrega-a-bateria-mesmo-depois-de-trocada/ https://eletronicabr.com/forums/topic/241644-não-sobe-o-sistema-e-aparece-o-erro-falta-bootmgr/
  43. 2 points

    60 downloads

    Dell Inspiron 3580/3588 BIOS LA-G721P, Dell Inspiron 3480/3580/3583/3780 and Dell Vostro 3480/3580/3583 System BIOS. Dell Inspiron 15 3580 VFMW4 0VFMW4 LA-G712P faça backup antes de regravar.
  44. 2 points
    @Formação Grátis amigo, eu não deixaria com o jamper. Mesmo a resistência próxima a zero.
  45. 2 points
    É o mesmo CI retirado de outra placa. O cliente não quis esperar mais e veio retirar o equipamento agoriha. Obrigado a todos pelo auxilio.
  46. 2 points
    Amigo o 51n25 nao precisa mais o 63f3 tem que colocar original me diz aí vc comprou o 30f124 ou 30j124 pois assim se vc tiver o 30j124 pode colocar no lugar do 63f3 esse defeito que está apresentando está neles mais naonpode confundir com o 30f124 e estão explorando vcs aí em onde já se viu 40 pilas eh um assalto a mao armada se vc substituir elas vai resolver Mesmo defeito da minha essa sua está
  47. 2 points
    @Brunokijiloko folha de dados RT8239A/B/C o seu (B).
  48. 2 points
    No NHS os fusíveis, também, funcionam como um shunt para medição da corrente DC, inclusive o fabricante recomenda usar componentes originais de fabrica. Tente diminuir a carga e verifique se ele funciona
  49. 2 points
    Faz muito sentido dica do amigo @LuisStegel, porem , acredito que o esquema seja este. é preciso verificar toda esta etapa, e também os resistores r43 e r45, se for possível, verifique com osciloscópio se a tensão VIN se altera junto com as batidas dos reles, tente verificar também se não existe condutividade na placa na parte isolante, causada por pontos de umidade, liquido que possa ter evaporado das baterias ou até mesmo algum produto utilizado na limpeza da placa. vou tomar a liberdade de usar o caso do amigo @leandro santos magrine como exemplo, onde ele trocou os reles e resolveu, e com muito respeito digo que acho que esteja enganado, pois o fato do rele estar batendo dificilmente vai ser culpa do rele e sim do circuito que esta mandando ele comutar. o que eu penso que aconteceu foi: na troca dos reles, o calor da soldagem fez evaporar alguma humidade que havia na placa. peço que o amigo não me leve a mal!😅
  50. 2 points

    6 downloads

    esquema asrock a55m-hvs
This leaderboard is set to Sao Paulo/GMT-03:00

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...