Jump to content

Blogs

Our community blogs

  1. Ainda estes dias eu me incomodei um bocado com um notebook Samsung, NP530U3C-AD2BR, que estava reiniciando no logo da BIOS em loop.
    Consegui resolver pois foi possível entrar no sistema operacional, e desta forma foi possível utilizar o utilitário de atualização da Samsung, mesmo aqui no EletrônicaBR BIOS para o modelo AD2BR não está disponível.

    Os arquivos disponíveis atualmente no fórum são para as versões: P12ABH e P05AAJ, o maldito AD2BR utiliza versão P13ABL que vou upar a seguir neste link.

     

    Fiquei Inconformado com a impossibilidade de efetuar o download do arquivo de atualização da BIOS sem a utilização do aplicativo diretamente no notebook, pois muitas vezes quando se precisa de um arquivo de BIOS é porque o notebook não está mais gerando vídeo.


    Comecei a fazer uma análise para saber como o aplicativo de download oficial da Samsung funciona, mas tendo encontrado alguns obstáculos resolvi pesquisar pelo assunto, e alguém da comunidade LINUX já tinha feito o que eu queria fazer.
    A postagem original do usuário Penalvch pode ser vista aqui, e permite a alguém que esteja utilizando LINUX fazer o download da BIOS, visto que a Samsung somente da suporte para o download através de seu programa oficial no windows.

    Extrapolando o conceito por ele apresentado ficou claro, que tudo que precisamos ter para efetuar o download de um arquivo de atualização de BIOS sem ter o notebook funcionando é a versão da BIOS instalada no notebook, algo que quando for possível extrair o backup do arquivo original diretamente do chip é fácil.

     

    Para BIOS da Samsung com chipset Intel:


    Basta que se busque no backup.bin o termo "SEC" ou "53 45 43" dependendo da forma como for pesquisar e do seu editor hexadecimal favorito, "SEC" vai ter um complemento que pode variar, SEC'WUP' ou SEC'FID' foram os que encontrei analisando uns poucos arquivos, ao término dessa tag veremos ..2. e logo depois a versão completa da BIOS, parece que "RSDS" também é constante e pode ser que valha apena usar esta outra tag para localizar a versão em algum caso onde SEC não retorne resultados satisfatórios, abaixo exemplos de como podem aparecer.


    SECFID..2.13XK.M046.0000.00.00.HKK.530U4B....199....RSDS


    SECWUP..2.P12ABH.035.0000.00.00.hk.530U4C....ABH....RSDS
     

    Para BIOS Samsung com chipset AMD:

     

    Basta buscar no arquivo backup.bin o termo "SamSung@Auto" e rolar um pouco até encontrar algo como isto t.."03QNM002 ........q outro termo que quando buscado retornará a versão da BIOS em outro ponto do arquivo é "$FID" neste caso encontrarás a versão com um formato diferenciado mas ainda apontando para as letras que precisamos para o download.

     

    O que precisamos para efetuar o download é a sequência final de letras da versão da BIOS XK no primeiro exemplo e ABH no segundo.

    Tendo identificado a versão adequada para o modelo desejado basta digitar no navegador da sua preferencia:

     

    http://sbuservice.samsungmobile.com/BUWebServiceProc.asmx/GetContents?platformID=XK&PartNumber=AAAA

    ou

    http://sbuservice.samsungmobile.com/BUWebServiceProc.asmx/GetContents?platformID=ABH&PartNumber=AAAA

    ou

    http://sbuservice.samsungmobile.com/BUWebServiceProc.asmx/GetContents?platformID=QN&PartNumber=AAAA

    E se tudo correr bem vais ver algo como isto na tela...

     

    <?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
    <Content xmlns:xsd="http://www.w3.org/2001/XMLSchema" xmlns:xsi="http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance" xmlns="http://sbuservice.samsungmobile.com/">
      <ID>1079</ID>
      <Version>13XK</Version>
      <Importance>0</Importance>
      <MsgType>0</MsgType>
      <AutoInstall>0</AutoInstall>
      <ExclusiveInstall>0</ExclusiveInstall>
      <FilePathName>ITEM_20130405_1079_WIN_13XK.exe</FilePathName>
      <FileSize>3424280</FileSize>
      <Downloaded>0</Downloaded>
    </Content>

     

    E nesta lista XML acima o item <FilePathName>ITEM_20130405_1079_WIN_13XK.exe</FilePathName> é o que nos interessa.

     

    Tendo encontrado o nome do arquivo basta colar no navegador o endereço:

     

    http://sbuservice.samsungmobile.com/upload/BIOSUpdateItem/ITEM_20130405_1079_WIN_13XK.exe

     

    Feito isso, é só aguardar o download ser concluído, descompactar com 7ZIP ou WINRAR e fazer a edição da BIOS conforme necessário, os arquivos mais antigos da AMD já vem prontos para gravação.


    O Conteúdo destes arquivos varia de um arquivo para outro, encontrei alguns que continham além da BIOS uma cópia não muito bem delimitada da EC BIOS que não fui capaz de adequar sem ter o arquivo antigo em mãos, já as MAIN BIOS vem sem ME, sendo necessário montar um arquivo novo utilizando o de backup como referencia e doador, e ao final do processo é possível utilizar o "ME analizer.exe" para determinar se a edição foi bem sucedida, e na dúvida sobre a funcionalidade do ME este pode ser substituído por um RGN limpo com "FITC.exe" adequado para a versão, tema que já foi abordado amplamente e com muita qualidade pelo @FDONATO neste tópico.

     

    Acho que o procedimento é deveras simples, mas estou a disposição para esclarecer quaisquer dúvidas, boa sorte.
    Abraços. j+

  2. Em 19 de março, a vivo realizou uma conferência de produtos em Sanya e lançou oficialmente seu novo produto – vivo X27. O dispositivo vem com três câmeras traseiras, juntamente com uma câmera frontal pop-up. Além disso, possui uma tela Super AMOLED de 6,39 polegadas com proporção de tela de 19,5: 9.

    Agora é hora de ver o acabamento e a estrutura interna deste atraente smartphone de tela cheia.

     

    Etapa 1 Remova a tampa traseira

    Em primeiro lugar, remova a bandeja do cartão SIM.

    Vivo-X27-Teardown-3.jpg.2aaf880999cfa9b349290f427d575094.jpg

     

    Em seguida, remova o estojo traseiro. Não é fixado ao corpo do telefone por parafusos, mas por cola. Aqueça a tampa traseira com um secador de cabelo de 3 a 5 minutos uniformemente.

    Vivo-X27-Teardown-4.jpg.5b45c25644f377cfa9577983ffd5685d.jpg

     

    Use uma ventosa sucção para separar o estojo traseiro do corpo do telefone.

    Vivo-X27-Teardown-5.jpg.c0ef94e85c0734539d19dd1d7d3fb5ee.jpg

     

    Passo 2 Remova a placa-mãe
    Depois de retirar a tampa traseira, a estrutura interna do telefone pode ser vista. Adota um design clássico de três estágios. Há muitos parafusos na tampa da placa-mãe.

    Vivo-X27-Teardown-6.jpg.a143bdb40a8abc77b42b5b22cda3871b.jpg

     

    Retire 13 parafusos e a tampa de plástico pode ser removida.

    Vivo-X27-Teardown-7.jpg.b909b258a76d72f41d1b00f747700975.jpg

     

    Agora podemos ver a placa-mãe, câmeras traseiras triplas e motor acionado por mola. Remova 4 parafusos com a chave de fenda.

    Vivo-X27-Teardown-8.jpg.e0e393ea472673bd68fd470ec2edeed7.jpg

     

    Para retirar a placa-mãe, precisamos desconectar o cabo primeiro. O vivo X27 tem um design interno complicado. Como resultado, há muitos cabos dentro. Para proteger sua estrutura interna, devemos primeiro desconectar o cabo da bateria antes de retirar o cabo dos dois BTBs.

    Vivo-X27-Teardown-9.jpg.c3522bbc60c332731a8c284887bd1cc3.jpg

     

    Em seguida, desconecte o cabo da camera frontal, da câmera ultra grande angular e da câmera principal.

    Vivo-X27-Teardown-10.jpg.fdd2517ff17a8f374a7736236a2f5e45.jpg

     

    Retire o cabo da câmera de profundidade e flash.

    Vivo-X27-Teardown-11.jpg.525e3107ae5531104e00c58c8a7b8e31.jpg

     

    Agora remova o cabo do fone de ouvido de 3,5 mm. O X27 também possui o fone de ouvido de 3,5 mm.

    Vivo-X27-Teardown-12.jpg.3317ef55da4989aaefc28f2da1e927db.jpg

     

    Antes de retirar a placa-mãe, também precisamos desconectar os três cabos coaxiais preto, branco e azul.

    Vivo-X27-Teardown-13.jpg.d7b37be59b417b87cf79113f5db8abc4.jpg

     

    Vivo-X27-Teardown-14.jpg.aa43ca893dda798d036cd436c3083ef4.jpg

     

    Quanto ao branco, suas duas extremidades precisam ser desconectadas.

    Vivo-X27-Teardown-15.jpg.1b9333585a9fa1f0cfd06d7fd49118bf.jpg

     

    A placa-mãe pode ser removida. O X27 não possui uma placa-mãe de tamanho grande. Para obter um melhor efeito de dissipação de calor, o telefone aplica muita graxa térmica nele.

    Vivo-X27-Teardown-16.jpg.96cfc0d8e7a9a4121dab51e5c8722e69.jpg

     

    Vivo-X27-Teardown-17.jpg.8333bbd6baa55d9c868c3af57ca77ed2.jpg

     

     

     Passo 3 Remova a bateria
    É fácil tirar a bateria. Tudo que você precisa fazer é levantar a alça.

    Vivo-X27-Teardown-18.jpg.a42e41ed3692ab89322d3cc2920257dc.jpg

     

    Embora o processo de desmontagem seja simples, não recomendamos que você remova a bateria por conta própria. Se preferir fazer você mesmo, não use ferramentas afiadas.

    Vivo-X27-Teardown-19.jpg.0d736e6c4968018693f20ce9c12b0745.jpg

     

    Ele tem uma bateria de 4000mAh.

    Vivo-X27-Teardown-20.jpg.2e5562c77b0b8e4bb7c1a8c21d41d570.jpg

     

    Etapa 4 Remova as câmeras
    Remova a câmera traseira tripla. A configuração tem um bom design. Retire a câmera principal e a câmera ultra grande angular.

    Vivo-X27-Teardown-21.jpg.17bfad92caed57f4b425e3a94d36c650.jpg

     

    Remova o flash e a terceira câmera em profundidade.

    Vivo-X27-Teardown-22.jpg.904319b25736ab381b06b7887c50f048.jpg

     

    Entre as três câmeras traseiras, a câmera principal de 48MP é a maior em tamanho. Ela usa um sensor Sony IMX586 cuja abertura física é F/1.79. A segunda é a câmera ultra grande angular de 13MP, e sua abertura é F/2.2. A menor é a câmera de profundidade de 5MP.

    Vivo-X27-Teardown-23.jpg.8a58f16b584ceb8d9e36ede717b1c674.jpg

     

    Agora vamos tirar a misteriosa câmera frontal de elevação parcial. Remova dois parafusos.

    Vivo-X27-Teardown-24.jpg.ee09cc1aca7f95d299387b65c3fc6e66.jpg

     

    Levante a proteção de metal.

    Vivo-X27-Teardown-25.jpg.a4030f70c446d061e77b8ee692ccb64f.jpg

     

    Vivo-X27-Teardown-26.jpg.1d4109abe092c98146693e3e6f75a5b2.jpg

     

    Retire o parafuso com a chave de fenda.

    Vivo-X27-Teardown-27.jpg.474572126db7d6ed5cc0585a9b733b4d.jpg

     

    Remova o parafuso.

    Vivo-X27-Teardown-28.jpg.f3845ae950e1885b876e4370fe2c4f77.jpg

     

    Em seguida, remova o motor da câmera pop up.

    Vivo-X27-Teardown-29.jpg.e4eb38200f0d5ec1ab66ee3ea5a53c07.jpg

     

    O motor é feito pela Nidec do Japão.

    Vivo-X27-Teardown-30.jpg.712d67beeb7be9dbb9b1f98b1b2e5988.jpg

     

    Use uma alavanca para tirar a câmera frontal.

    Vivo-X27-Teardown-31.jpg.2b739ab7f9fa27ed1d6913f08c2f5775.jpg

     

    Possui uma câmera selfie de 16MP. E seu motor pop up é diferente do que o vivo NEX possui. Tecnicamente falando, a câmera de elevação se move mais rápido que os NEX da vivo.

    Vivo-X27-Teardown-32.jpg.fdaf757496fe976cb34d5cbfafc55359.jpg

     

    Etapa 5 Remova o fone de ouvido, o vibrador e a porta de 3,5 mm
    Como o fone de ouvido, o vibrador e a porta de 3,5 mm adotam um design modular, eles podem ser facilmente removidos.

    Vivo-X27-Teardown-33.jpg.e78630afb0804b3804ef50285124b388.jpg

     

    Etapa 6 remova o conector de carga

    Retire 8 parafusos.

    Vivo-X27-Teardown-34.jpg.8a26cbeafa9ab18094fb8862ed206a43.jpg

     

    Remova a tampa de plástico do alto-falante.

    Vivo-X27-Teardown-35.jpg.10ce5baae50990727438d5a480146d2b.jpg

     

    O cabo da tela é projetado no conector de carga. Ele está conectado à placa-mãe acima através do cabo do BTB.

    Desconecte os três cabos BTB, um cabo de leitor de impressão digital de tela e um cabo de tela.

    Vivo-X27-Teardown-36.jpg.acce95105f76dd09bdbf703b386cc9c2.jpg

     

    Retire o cabo coaxial azul na parte de trás do conector de carga.

    Vivo-X27-Teardown-37.jpg.665624494ed28935f97889aa8d1d7e2a.jpg

     

    Remova outro conector de carga pequeno.

    Vivo-X27-Teardown-38.jpg.874f8e60b157b04a11d80695594ac1d7.jpg

     

    Retire o silicone à prova d'água do FPC com tela sensível ao toque.

    Vivo-X27-Teardown-39.jpg.a67ff7bc07bb9911d33cc595359749b6.jpg

     

    Passo 7 Remova a tela
    O vivo X27 vem com uma tela AMOLED de 6,39 polegadas da Samsung. Use um secador de cabelo para aquecer as bordas da tela de cinco a oito minutos. Não recomendamos que o usuário altere a tela por conta própria.

    Vivo-X27-Teardown-40.jpg.1367898c530d56b0ee9c54d96853e1ae.jpg

     

    Separe a tela da estrutura do meio.

    Vivo-X27-Teardown-41.jpg.a82fb721f1af8fe4eace4f67f6ca001f.jpg

     

    Etapa 8 remova o leitor de impressão digital sob a tela
    Depois de remover a tela frontal, retire o scanner de impressão digital sob a tela.

    Vivo-X27-Teardown-42.jpg.0facbdb18b6cc9ad31de8c0ad1b93a31.jpg

     

    Vivo-X27-Teardown-43.jpg.e54a87e5e0474923b334878b9a911541.jpg

     

    Este leitor de impressão digital sob a tela atinge uma velocidade de desbloqueio mais rápida do que o scanner de impressão digital na tela de sexta geração do iQOO.

    Vivo-X27-Teardown-44.jpg.75f47be39b7dc4985801abb224c8c7a6.jpg

     

    Vivo-X27-Teardown-45.jpg.55ecbd49251bcb4ca626e68b97e861ff.jpg

     

    Resumo
    Após o processo de desmontagem, podemos ver que o vivo X27 tem um design interno complicado, sua configuração de câmera traseira tripla e câmera selfie em particular.

     

    é isso pessoal por hj.

    Não esqueça de deixar seu j+ que ajuda muito ^^

    Até a próxima.

     

    fonte: myfixguide.com

  3. Grande parte dos equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos utilizados no cotidiano oferece a opção para ligação de 110 ou 220 volts. Saiba quais são as diferenças entre elas e outras curiosidades

    mapa-tensoes.png.c230da0558894623ea9c5487d1c303a5.png

     

    Na hora de comprar um novo aparelho elétrico, é comum nos depararmos com especificações que mostram diferentes voltagens nos detalhes técnicos do produto em questão. 110V e 220V são as que, atualmente, são adotadas em todo o território nacional. Há ainda os aparelhos bivolt, aqueles que aceitam dois tipos de tensão. Mas o que explica a existência desses três tipos de voltagem? E quais são as principais diferenças entre elas? O Showmetech te conta essas e outras curiosidades nesta matéria.

     

    A origem dos 110V e 220V

    Eventualmente, você já deve ter viajado para outras cidades do Brasil em que as tomadas tinham uma tensão diferente das que você estava habituado a utilizar, ficando dessa forma sem poder usar o secador de cabelo, o barbeador ou até mesmo o carregador da bateria do seu smartphone. Mas por que há essa variação? Para responder essa pergunta, é preciso voltar um pouco no tempo.

    No final do século XIX e início do século XX, período no qual a rede elétrica passou a ser instalada no país, diversas companhias que existiam por aqui passaram a tomar conta de cada região do Brasil. Isso significa que não houve uma convenção sobre a energia elétrica na época, permitindo que cada concessionária seguisse influências do seu país de origem. Por exemplo, nos Estados Unidos, o 110V sobressaía, e as regiões brasileiras que tiveram influências dos americanos, como o Sudeste, optaram por esse tipo de potencial elétrico. Poucos foram os casos de concessionárias que adotaram as duas tensões em uma mesma instalação.

    As escolhas dos métodos que seriam utilizados foram feitas levando em consideração, principalmente, a economia e segurança que um sistema poderia apresentar em relação ao outro. A distribuição de energia elétrica tende a ficar mais barata com transformadores e fiação de postes no 220V. Apesar disso, o 110V é uma opção mais segura, sendo por este motivo a mais utilizada no país. Atualmente, o continente americano inteiro usa mais 110V, enquanto que Europa, África e Ásia optam em sua maioria por 220V.

     

    Há diferença entre as tensões?

    197285-como-instalar-tomada-dupla-simples-e-interruptor-aprenda-aqui_adobespark-1024x572.thumb.jpg.f0b333fc975f256ab8dc7544fed45855.jpg
    Apesar dos diversos mitos existentes, não há diferença técnica entre as duas tensões.

     

    Basicamente, a única diferença entre ambas as tensões está relacionada às instalações elétricas, ou seja, o que difere o uso de 110V e 220V é o dimensionamento dos componentes da instalação elétrica. Uma instalação em 220V permite que os fios que atravessam os cômodos de uma residência sejam mais finos do que os utilizados em instalações de 110V. Isso significa que não há uma diferença técnica entre as duas tensões. O desempenho dos aparelhos será exatamente o mesmo, independentemente se ele estará conectado a uma tomada de 110V ou 220V.

    Muitas pessoas acreditam erroneamente que aparelhos de tensão 220V consomem menos energia — há quem também pense que o gasto será maior — quando comparados aos de menor tensão. O consumo de energia elétrica depende exclusivamente da potência (em Watts) e do tempo de uso do equipamento. Casas e apartamentos que possuam tensão 110V ou 220V têm o mesmo desempenho e consumos idênticos de energia.

     

    Qual delas é a mais segura?

    9b423f7f9f81a13e31c71347afae2764_XL_adobespark-1024x572.thumb.jpg.0ec2e8017b224ddc7cd46a6bbbe31771.jpg

    Novo padrão brasileiro de tomadas diminui o risco de choques elétricos em residências.

     

     

    Segundo especialistas, levar um choque em uma tomada de 220V é duas vezes mais perigoso, simplesmente pelo fato desta tensão ser o dobro da outra. Sendo assim, se você procura por uma maior segurança, a melhor escolha será adotar a tensão de 110V. No entanto, com a implantação do novo padrão de tomadas no Brasil, esse risco diminui significativamente. Os novos plugs tornam praticamente impossível que o consumidor leve um choque ao colocar equipamentos na tomada.

    No entanto, é preciso ficar atento quanto à tensão fornecida pela tomada e à aceita pelo aparelho eletrônico. Se seu aparelho for bivolt automático, não há o que se preocupar, pois existe um circuito eletrônico protetor que detecta e opera na tensão da tomada. Na maioria dos casos, os aparelhos bivolt automáticos funcionam em tensões de 100 a 240 volts.

    O problema é conectar um aparelho em uma tensão acima da suportada por ele. Quando ligamos um aparelho de 110V, por exemplo, em uma tomada de 220V, ele irá queimar por não estar preparado para aquela tensão elétrica. Nesse caso, será necessário utilizar um transformador de tensão. Eles irão converter os 220 volts de tensão da tomada para os 127 volts de tensão aceitos pelo seu aparelho.

    Por outro lado, ligar um aparelho de 220V em uma tomada de 127 volts não ocasionará danos ao aparelho, no entanto, ele não funcionará corretamente, ou seja, com menos força, como é o caso de um ventilador ou chuveiro elétrico, por exemplo. Já em casos que envolvam aparelhos digitais, o mais provável é que eles nem sequer liguem, por não haver “força” suficiente que permita o funcionamento pleno do equipamento.

     

    Mas e o 127V?

    Como você percebeu ao longo da matéria, utilizamos 110V para nos referirmos a uma das tensões existentes no país. No entanto, a tensão nominal de 110V não é mais utilizada há alguns anos, justamente por não ser mais reconhecida pelo governo brasileiro, já que em dezembro de 1999 todas as concessionárias de energia precisaram substituir as redes em 110V para o sistema padrão de 127V ou 220V. Porém, como a linguagem popular compreende 127V como 110V, utilizamos deste termo, afinal, o importante é se fazer entender por todos.

    No entanto, ainda há equipamentos mais antigos que operam na tensão extinta de 110V. Mas, afinal, é seguro utilizá-los numa tensão de 127V? Essa é uma dúvida que gera confusão até mesmo ao realizar rápidas pesquisas no Google, já que respostas bem controversas a respeito do assunto são exibidas no buscador.

    Para esclarecer essa questão de uma vez por todas, o Showmetech conversou com o engenheiro eletricista e professor da UNIFTC, Henrique Correia Santos. Segundo o especialista, o uso de aparelhos projetados para operar em 110V em redes de 127V pode sim diminuir a vida útil dos equipamentos. É ainda preciso ter cuidado, pois o uso contínuo pode comprometer a parte elétrica do imóvel, ocasionando eventuais problemas, como quedas de energia, disjuntores desligando e até mesmo curtos-circuitos.

    A melhor dica para evitar frustrações e até mesmo incidentes é estar sempre atento aos detalhes sobre energia e tensão apresentados pela ficha técnica dos equipamentos. Além disso, manter uma manutenção periódica na rede elétrica da residência ajuda na vida útil dos aparelhos utilizados no imóvel.

     

    A diferença entre tomadas de 10A e 20A

    Informacoes-uteis-sobre-as-Tomadas-Eletricas-Residenciais.jpg.35d659ef3ed2820038aa024773771ebf.jpg

    O uso correto do padrão de tomadas é importante para evitar acidentes e perdas de equipamentos domésticos

     

     

    Como dito anteriormente no texto, em vigor desde 2011, o novo padrão de tomadas do país trouxe algumas mudanças e foi responsável por permitir uma maior segurança no uso de equipamentos elétricos em ambientes residenciais, comerciais e industriais. Entre as novidades estão os dois modelos de tomadas disponíveis por aqui: 10A e 20A.

     

    O padrão 10A é mais fino e possui plugues e tomadas com 4mm de diâmetro. No geral, as tomadas neste padrão são utilizadas para alimentar equipamentos como eletrodomésticos, computadores de baixo e médio desempenho, carregadores e TVs. Neste modelo, a potência máxima permitida em 127V é de 1270 W, e para 220V a potência máxima suportada é de 2200 W.

     

    Já no caso de equipamentos mais potentes, que exigem uma carga reforçada para funcionar, como é o caso de aparelhos de ar-condicionado, secadores de cabelo profissionais e máquinas de lavar roupa, tomadas de 20A se tornam necessárias. Elas possuem plugues e orifícios mais grossos, com 4,8mm de espessura, e uma maior capacidade de transmitir energia com segurança. Nessas tomadas, a potência máxima permitida em 127V é de 2540 W, e para 220V, a potência máxima é de 4400 W.

     

    As diferenças nos tamanhos dos componentes também foram pensadas para evitar possíveis acidentes durante o uso de equipamentos elétricos. Dessa forma, evita-se que se conecte um plugue de 20A em uma tomada de 10A, prevenindo superaquecimento nos fios e riscos de incêndios.

     

    É ainda preciso estar atento com a espessura dos fios condutores da tomada. Caso os cabos sejam muito finos, pode ocorrer um sobreaquecimento nesse cabo. Confira abaixo a espessura ideal para os cabos:

     

    1,5 mm²' ====== 15,5 ampères

    2,5 mm² ====== 21,0 ampères

    4,0 mm² ====== 28,0 ampères

    6,0 mm² ====== 36,0 ampères

    10,0 mm² ====== 50 ampères

     

    É importante que o projeto elétrico do imóvel contemple os dois padrões de tomadas. É possível utilizar equipamentos de 10A em tomadas de 20 A sem maiores problemas. No entanto, o contrário não deve ser feito em hipótese alguma. Portanto, mesmo que haja a necessidade, jamais utilize adaptadores para utilizar equipamentos que necessitam de 20A em tomadas de 10A.

     

    A voltagem nos estados e cidades

    naom_55f07f3600ae2-1024x576.thumb.jpg.9b12a237f511c1757cf7f6f3befd80cd.jpg

    Confira a tabela com as voltagens utilizadas nas principais cidades do país

     

    Como explicamos no início do texto, atualmente existem diferentes tensões entre as cidades brasileiras porque a rede elétrica foi implantada por diferentes empresas sem um padrão no começo do século XX, Isso nunca foi padronizado porque o custo seria muito alto. Abaixo, é possível conferir uma tabela com as voltagens utilizadas em diversos estados e cidades do Brasil.

     

    ESTADO ===== VOLTAGEM NAS PRINCIPAIS CIDADES

    ACRE ===== 127V – Rio Branco, Cruzeiro do Sul e demais cidades

    ALAGOAS ===== 220V – Maceió, Maragogi, São Miguel dos Milagres e demais cidades

     

    AMAPÁ ===== 127V – Macapá e demais cidades

     

    AMAZONAS ===== 127V – Manaus, Parintins, Tabatinga, Tefé e demais cidades

     

    BAHIA ===== 127V – Salvador, Ilhéus, Itacaré e Feira de Santana
    220V – Porto Seguro (Caraíva, Trancoso e Arraial d’Ajuda), Morro de SP e Praia do Forte

     

    CEARÁ ===== 220V – Fortaleza, Jericoacoara, Canoa Quebrada, Aquiraz, Juazeiro do Norte e demais cidades

    DISTRITO FEDERAL =====220V – Brasília e demais cidades

     

    ESPÍRITO SANTO ===== 127V – Vitória, Vila Velha, Guarapari, Conceição da Barra, Colatina, Itaúna e demais cidades

    GOIÁS ===== 220V – Goiânia e demais cidades

     

    MARANHÃO ===== 220V – São Luís, Barreirinhas, Alcântara e demais cidades

     

    MATO GROSSO ===== 127V – Cuiabá, Chapada dos Guimarães, Nobres e a maioria das cidades

     

    MATO GROSSO DO SUL  ===== 127V – Campo Grande, Bonito, Corumbá e demais cidades

     

    MINAS GERAIS ===== 127V – Belo Horizonte, Ouro Preto, Mariana, Tiradentes, Diamantina, Juiz de Fora, Uberaba, Caxambu, São Lourenço, Monte Verde, São João del Rei e a maioria das cidades
    220V – Uberlândia e algumas outras cidades

     

    PARÁ ===== 127V – Belém, Santarém, Marabá, Alter do Chão, Altamira e demais municípios

    PARANÁ ===== 127V – Curitiba, Foz do Iguaçu, Cascavel, Ponta Grossa, Ilha do Mel e a maioria das cidades
    220V – Rio Negro e Guarapuava

     

    PARAÍBA ===== 220V – João Pessoa, Campina Grande e demais cidades

    PERNAMBUCO ===== 220V – Recife, Porto de Galinhas, Olinda, Fernando de Noronha, Tamandaré, Petrolina e demais cidades

    PIAUÍ ===== 220V – Teresina e demais cidades

    RIO DE JANEIRO ===== 127V – Rio de Janeiro, Niterói, Búzios, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Ilha Grande, Angra dos Reis, Paraty, Trindade, Petrópolis, Teresópolis e a maioria das cidades 220V – Nova Friburgo

     

    RIO GRANDE DO NORTE ===== 220V – Natal, Tibau do Sul (Pipa) e demais cidades

    RIO GRANDE DO SUL ===== 110V – Porto Alegre, Rio Grande, Canoas, Torres e alguns outros municípios
    220V – Gramado, Canela, Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Bagé, Pelotas, Uruguaiana e outros municípios

     

    RONDÔNIA ===== 127V – Porto Velho, Vilhena, Guajará-Mirim e demais cidades

    RORAIMA ===== 127V – Boa Vista

    SANTA CATARINA ===== 220V – Florianópolis, Balneário Camboriú, Joinville, Blumenau, Bombinhas e demais cidades

     

    SÃO PAULO ===== 127V – São Paulo, ABCD, Guarulhos, Campinas, Guarujá, São Vicente, Praia Grande, Ilhabela, Ubatuba, Brotas, Ribeirão Preto e a maioria dos municípios
    220V – Santos, Jundiaí, Bertioga, Caraguatatuba, São José dos Campos, Mogi das Cruzes, Vinhedo e algumas outras cidades

     

    SERGIPE ===== 127V – Aracaju e a maioria dos municípios

    TOCANTINS ===== 220V – Palmas e demais regiões, incluindo Jalapão

     

    fonte: showmetech

  4. Viramos programadores !

    Que BIOS isto, que BIOS aquilo, que NAND isto, que NAND aquilo (muitos comecaram a consertar TVs pelo que vejo), infelizmente a maioria do pessoal nao aguentou a barra com os Haswell / Broadwell.

    Sem desmerecer o trabalho dos tecnicos que realizam manutencao em TVs já que é um ramo bem complexo também, mas convenhamos, sabemos que muitos migraram para os TVs para reprogramar NAND e trocar LED de tela.... o pao de cada dia.

     

    Parece que fui jogado em outra dimensao.  Ha uns 7 anos atras eu entrei neste forum e era uma parada MUITO LOUCA, analise aqui, analise ali, técnicas para detectar varias falhas.  Lembro que na epoca eu seguia de perto varios foruns internacionais e mesmo assim tive o orgulho de fazer um topico citando varias tecnicas que o EletronicaBR tinha publicado antes de qualquer outro.
    Aprendi muito aqui e sempre lembro disso com imenso carinho.  Atualmente tive a oportunidade de viajar, participar de eventos e em mais de um evento o logo do EBR estava ali nas minhas apresentacoes, sendo mostrado no telao pra todo mundo ! Eu sinto orgulho de dizer que comecei a aprender eletronica aqui junto com amigos que tenho contato até hoje e outros que nao, mas guardo boas lembrancas de cada momento que compatilhamos no forum ou pessoalmente !

    Se passaram uns 2 anos desde que podemos dizer que parei de participar e voltando por estes lados........ owwww, cade a evolucao ? O pessoal parou vei !
    Menos topicos referentes a conserto de notebook, NENHUM topico referente a estudos, até os clubes, STA, o baguio todo que é mais avancado ta parado !

    E o pior de tudo, os topicos referentes aos consertos de notebooks continuam seguindo a old school ! 

    Ha alguns anos atrás o pessoal tava brincando com o osciloscopio, encontrando técnicas de diagnostico, desenvolvendo projeto de curve tracer e hoje.... voltamos ao multimetro.

    Novas ferramentas apareceram no mercado, novas técnicas surgiram, já temos condicoes de realizar diagnosticos avancados até mesmo sem osciloscopio em muitos casos mas infelizmente se nao abrirmos os olhos vamos terminar sendo o "ReprogramacaoBR"

    Neste momento lembro do nasix (um velho amigo de outro velho amigo, o @Alex) e sinto até nostalgia em lembrar aquele post aonde ele dizia

    "Tenho um Pentium 3 ferrado, alguem pode me ajudar a conserta-lo ?"
     

    Velhos tempos aonde estavamos em constante evolucao técnica.

  5. No blog entries yet

  • Board Life Information

    02/28/2017 10:09 PM
    Date of forum creation
    5 years, 5 months, 15 days, 19 hours and 1 minute
    Forum exists

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...