Jump to content
eliasgirardi

notícia Supercomputador japonês Fugaku conquista título de mais rápido do mundo

Rate this topic

Recommended Posts

010175200623-supercomputador-fugaku-1.jpg

Photo of the supercomputer Fugaku. [Imagem: RIKEN]

 

Três vezes super

 

O supercomputador Fugaku, que está sendo desenvolvido em conjunto pelo Laboratório RIKEN e pela Fujitsu, alcançou o primeiro lugar na lista Top500, um ranking dos supercomputadores mais rápidos do mundo.

 

O termo Fugaku é um nome alternativo para o icônico Monte Fuji.

 

Ele também conquistou outros rankings de desempenho de supercomputadores, ocupando o primeiro lugar no HPCG, um ranking de supercomputadores executando aplicativos do mundo real, o HPL-AI, que classifica os supercomputadores com base em seus recursos de desempenho para tarefas tipicamente usadas em inteligência artificial e o Graph 500, que classifica os sistemas com base em cargas com uso intenso de dados.

 

Esta é a primeira vez na história que o mesmo supercomputador se torna o número 1 no Top500, HPCG e Graph500 simultaneamente. E é a primeira vez que um supercomputador japonês ocupa o topo do ranking desde junho de 2011, quando o computador K - o antecessor de Fugaku - ficou em primeiro lugar.

 

Primeiro computador em exaescala

 

No Top500, o Fugaku alcançou uma pontuação LINPACK de 415,53 petaflops, uma pontuação largamente superior aos 148,6 petaflops do seu concorrente mais próximo, o Summit, dos Estados Unidos - e ele fez isso usando apenas 152.064 de seus 158.976 nós.

 

No HPCG, ele obteve 13.400 teraflops usando 138.240 nós, e no HPL-AI obteve 1.421 exaflops - a primeira vez que um computador obteve uma classificação exascala em qualquer lista - usando 126.720 nós.

 

Usando 92.160 nós, ele resolveu uma pesquisa de um enorme grafo com 1,1 trilhão de nós e 17,6 trilhões de bordas em aproximadamente 0,25 segundo, obtendo uma pontuação de 70.980 gigaTEPS, mais do que duplicando a pontuação de 31.303 gigaTEPS do computador K e superando em muito o Sunway TaihuLight, da China, atualmente o segundo da lista, com 23.756 gigaTEPS.

 

Sociedade 5.0

 

O supercomputador Fugaku, atualmente sendo instalado no Centro RIKEN de Ciência da Computação, em Kobe, está sendo desenvolvido sob um plano nacional para construir a próxima geração de supercomputadores com o objetivo de executar uma ampla gama de aplicações que abordam alta questões sociais e científicas prioritárias.

 

Ele será usado para rodar aplicativos destinados a alcançar o plano da Sociedade 5.0, executando programas em áreas como a descoberta de medicamentos, medicina personalizada e preventiva, simulações de desastres naturais, previsão do tempo e clima, criação, armazenamento e uso de energia, desenvolvimento de energia limpa, desenvolvimento de novos materiais, novos processos de projeto e produção, e - como um esforço puramente científico - tentar elucidar as leis fundamentais e a evolução do Universo.

 

Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=supercomputador-japones-fugaku-mais-rapido-mundo&id=010175200623#.XvJM9MRKgdU

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Similar Content

    • By eliasgirardi
      A ilustração mostra uma camada monoatômica cristalina de ouro sob grafeno (antracita). A estrutura eletrônica da camada de ouro e o grafeno (verde) é mostrada acima. [Imagem: Stiven Forti]
       
      Metal vira semicondutor
       
      Químicos conseguiram pela primeira vez produzir camadas cristalinas monoatômicas de metais preciosos - similares metálicos do grafeno, da molibdenita e tantos outros materiais 2D.
       
      E como o ouro e a prata estão entre os melhores condutores de eletricidade que se conhece, qual não foi a surpresa dos pesquisadores quando as camadas monoatômicas desses dois metais apresentaram uma identidade inusitada: elas são semicondutoras.
       
      O fato de que camadas monoatômicas de metais se comportem como semicondutores é mais uma demonstração de que os elétrons se comportam de modo diferente em camadas bidimensionais do que costumam fazer no material bruto 3D - as propriedades eletrônicas do grafeno são muito diferentes daquelas do grafite, de onde o material se origina.
       
      E, como ouro e prata estão largamente presentes na indústria microeletrônica, esta descoberta tem potencial para ser explorada em novas aplicações dentro e fora dos chips, além de sensores.
       
      Metais bidimensionais
       
      Embora o grafeno tenha sido retirado do grafite usando uma fita adesiva, fabricar camadas monoatômicas de metais não é fácil.
       
      "Com os métodos clássicos de deposição, os átomos de ouro, por exemplo, se aglomerariam imediatamente em cachos tridimensionais," explicam Philipp Rosenzweig e Ulrich Starke, do Instituto de Pesquisas do Estado Sólido, na Alemanha.
       
      A dupla então trabalhou com um método diferente que eles mesmos criaram, chamado intercalação. O processo começa com uma pastilha de carbeto de silício, sobre a qual é depositada uma camada de grafeno. Quando um vapor de ouro é aplicado sobre essa pastilha em ambiente de vácuo, os átomos de ouro acomodam-se entre as camadas de carbeto de silício e grafeno.
       
      A equipe já repetiu os experimentos com germânio, cobre, gadolínio e prata - e a prata também se torna semicondutora.
       

      Esta é a coisa real, vista por um microscópio de tunelamento. As flutuações de brilho ocorrem porque o ouro e o grafeno interagem, formando uma super-rede, conhecida como rede de Moiré. [Imagem: MPI for Solid State Research]
       
      Aplicações tecnológicas
       
      Como todas as teorias diziam que o ouro continuaria um excelente condutor metálico na forma 2D, a descoberta de seu comportamento semicondutor foi uma surpresa. "Interações entre os átomos de ouro e, ou o carbeto de silício ou o grafeno, obviamente desempenham seu papel aqui. Isso influencia os níveis de energia dos elétrons," arrisca Starke.
       
      A descoberta abre a possibilidade de aplicações tecnológicas porque pequenos ajustes no método de fabricação definem se a camada monoatômica será condutora ou semicondutora: qualquer coisa maior do que uma camada, seja em toda a extensão do material, ou em pontos específicos, faz o ouro voltar a se tornar condutor. Assim, pode-se projetar componentes eletrônicos usando-se alternadamente mono e bi-camadas de ouro, obtendo funcionalidades usando um único material.
       
      Fonte: https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=ouro-prata-viram-semicondutores-escala-atomica&id=010165200701#.XwYoE6FKgdU
    • By JCCandido
      ~Saudações!
      Sou estudante do terceiro período do curso Técnico em Eletrônica do Instituto Federal da Bahia (IFBA) em Vitória da Conquista. cidade onde moro. Também sou eletricista automotivo e trabalho na oficina fundada por meu pai e meu irmão em 1991.
      Minha experiência profissional é em Eletro-Eletrônica automotiva mas tenho interesse em qualquer área relacionada a tecnologia e eletrônica geral.Além disso, tenho familiaridade com microcontroladores, Arduíno, prototipagem, programação e Linux. Atualmente estou focado em Telecomunicações e desenvolvendo protótipos para Sistemas Embarcados usando Linux.
       
      Conheci o site EletrônicaBR a partir de uma postagem no YouTube. Lá havia um link para um livro que gostei bastante e tenho vontade de adquirir. Como este livro está escasso no momento, só consegui encontrá-lo para baixar no site do EletrônicaBR. Muita sorte!
       
      * Em 2011 entrei para cursar Engenharia Elétrica também no IFBA mas por razões diversas tive que trancar o curso.  
       
    • By ze do crato 2014
      esta tv esta ligando normal, tem imagem so que, fica com imagem balançando, tenho as tensoes na vcon, so nao tenho tensao DCC e ACC
      teria algum procedimento em questao de tirar algum capacitor ou alterar algum resistor pra sanar este problema?
    • By danilodapalma
      Olá, eu tenho nível técnico em informatica e superior em analise e desenvolvimento de sistemas, trabalho na áreas de TI ha mais de 10 anos e sou amante de tecnologias e eletrônica.
      Considero meu nível de eletrônica intermediário, tenho conhecimento de reparos em placas de pequena a media complexidade, faço projetos eletrônicos. 
    • By Ryan Eme
      Novidades do Linux Mint 20:
      ''Warpinator
      A estrela do show no Linux Mint 20 é um novo aplicativo chamado Warpinator.
      Há 10 anos, o Linux Mint 6 apresentava uma ferramenta chamada "Giver", que podia compartilhar arquivos pela rede local. Sem nenhum servidor ou configuração, os computadores se veriam automaticamente e você poderia simplesmente arrastar e soltar arquivos de um para o outro. Quando o projeto Giver foi interrompido, ele teve que ser removido do Linux Mint e perdemos essa funcionalidade desde então.
      Warpinator é uma reimplementação do Giver. A configuração do servidor (FTP, NFS, Samba) é um exagero para transferências casuais de arquivos entre dois computadores, e é uma pena usar mídias externas (serviços de Internet, pen drives, HDs externos) apenas para compartilhar arquivos quando houver uma rede local que possa ser executada. só isso.
      Com o Warpinator, o Linux Mint 20 traz de volta o compartilhamento fácil de arquivos na rede local.''

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...