Jump to content

Halysson

Members
  • Content Count

    86
  • Avg. Content Per Day

    0.05
  • Joined

  • Last visited

  • Credit

    166
  • Country

    Brazil

Community Reputation

38 Level 7

About Halysson

  • Rank
    Membro Aspirante II
  • Birthday 11/11/1990

Personal Information

  • Sexo
    Masculino / Male
  • Location
    Erechim - RS

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. @Rodrigo Kmiecik Disponha. Só um detalhe: Com um diodo a tensão ficaria limitada a por volta de 14,3 a 14,4 volts. Esse nível de tensão não é aconselhável para manter a bateria por longos períodos, como no caso do alarme em que suponho que vai ficar ligado todo o tempo em que tiver rede presente. Não vai causar danos a curto prazo, mas pode diminuir bastante a vida útil dela. Uma forma mais segura seria utilizar um LM317 montado em um dissipador de tamanho apropriado e com um diodo e um resistor de baixo valor (OR22 5W por exemplo) em série na saída, ajustando para 13,8 volts no catodo do diodo (por volta de 14,5 na saída do 317). Vai precisar de mais tensão na entrada, cerca de 18 volts pra garantir, e mesmo indo apenas até a flutuação, esse circuito funciona, muitos nobreaks utilizam. Não é a minha primeira escolha, mas é simples, funciona e é melhor do que apenas um resistor com um diodo. Só não esqueça do dissipador, ou vai fritar o LM317.
  2. @Rodrigo Kmiecik Vai limitar a tensão de 15 volts pra um valor mais seguro. Vai depender da queda que o diodo vai dar, em geral um diodo comum dá cerca de 0,7 volts. Aí entra outro problema, como eu disse acima: não existe nenhum controle de carga nesse carregador, então quanto mais a tensão da bateria sobe, menor é a corrente que a fonte vai fornecer através do resistor. A tensão vai subir cada vez mais lenta pois a bateria vai absorver carga cada vez mais devagar. Somente com o resistor já demoraria bastante pra chegar aos 14,5 volts se a bateria estiver muito descarregada, mas com o diodo ajudaria a manter em um nível seguro sem monitoramento. No caso de um carregador próprio, a corrente é mantida em um valor estável até chegar na tensão limite, então é reduzida a tensão pra 13,8 volts e a corrente cai aos poucos conforme a bateria continua absorvendo carga. São dois estágios, corrente fixa com a tensão subindo aos poucos e depois tensão fixa com a corrente baixando aos poucos.
  3. Bom dia, Com esse circuito você teria basicamente uma "carga burra" sem controle nenhum, sem parar no ponto certo (cerca de 14,5 volts, ponto em que as placas "fervem") e sem flutuação. Um carregador próprio de bateria é mais complexo do que o circuito que você está propondo, pelo menos os carregadores que realmente prestam (tem cada porcaria por aí...). Basicamente, pra uma carga rápida, sem deixar a bateria sozinha, teu circuito funcionaria... eu não confiaria em mais do que isso. A questão carga lenta não tem muito a ver com o tempo e sim com a corrente. Seria um carregador com 10% da corrente da bateria, nesse caso você precisaria de 700mAh. Carga rápida, no máximo 25% sem danos a bateria. O tempo então vai depender de quanta carga tem na bateria no momento em que o carregador é conectado. Aí novamente, um carregador próprio desligaria a carga e entraria em flutuação no momento que a bateria chegasse ao ponto certo. Em flutuação (13,8 volts) você pode deixar a bateria conectada o ano todo que não vai acontecer nada. Quanto a danificar, pode sim. Como expliquei acima, quando passa dos 14,5 volts a bateria ferve, podendo entortar placas, vazar, estufar, etc. Com esse resistor, vai demorar pra chegar nesse ponto, mas de qualquer forma, se for utilizar esse circuito mesmo, não deixe a bateria sozinha e monitore a tensão nela.
  4. Opa, Pra não largar saída em rede e não soar nenhum alarme, provavelmente o PIC acha que está chaveando a saída normalmente. Como ficam os LEDs do painel frontal? Pode ter vários problemas aí: - Quanto ao carregador, verifica se não tem algum resistor de valor baixo aberto; Identifica quem é o transistor responsável pela carga, vê se tá Ok; - Naquela região com marca de aquecimento, verifica os resistores e verifica se não estourou alguma trilha; - Identifica o relé de saída e verifica o BC337 dele. Acha o pino do micro que chaveia ele e vê se aparece 5 volts em qualquer situação, rede ou bateria; - Tensão do PIC está Ok em 5 volts? - Em último caso, não dá pra descartar o próprio PIC com problema;
  5. Opa, Tem algumas fontes que só largam tensão certa quando detectam consumo, verifica se não é o teu caso. Essa fonte tendo PFC mostra que eficiência energética foi levada em consideração, então a fonte fica baixa enquanto não há consumo. Talvez o conector no cabo ou o jack no equipamento estão com problema. Quanto ao capacitor demorar pra descarregar, significa que não existe consumo na saída (curto). Esses 295 volts em funcionamento normal deveriam estar por volta de 380, o que mostra que a fonte pode sim estar entrando em um "modo econômico" mesmo. Uma forma fácil de saber seria ter outra fonte pra testar se o note carrega, ou se em aberto fica baixa também. Infelizmente não tenho nenhuma aqui pra te ajudar com esse teste.
  6. Opa, faz o seguinte teste: com a fonte fora do PC, poe uma carga na linha de 5Vsb, algo que chegue próximo da corrente máxima dela, veja se segura ligado. Não precisa ligar a fonte aterrando o verde, é só pra testar o 5Vsb. Se segurar os 5V, já eliminou uma parte, a fonte de stand-by. Se desligar, teu defeito tá nessa área. Detalhe: peguei uma fonte Dell faz alguns dias, com defeito parecido, que o problema era solda fria. Dá uma conferida nisso também. Levando em consideração que já foi trocada meia fonte, é uma possibilidade.
  7. No lado primário, uma bobina só é o primário, a outra é auxiliar pra alimentar o CI PWM. Em alguns casos a auxiliar é utilizada pra regular a fonte também, mas é raro, essa tua não utiliza essa forma. É normal medir continuidade sim, valores baixos tanto no primário quando secundário, trafo de fonte chaveada tem pouquíssimas espirras. Também é difícil esses trafos entrarem em curto, mas não dá pra anular a hipótese, talvez as espirras vibrando acabaram fechando curto e com algumas batidinhas elas separam, pode acontecer em trafos mal montados. Faz o seguinte, tenta ligar ela aberta. Com uma ponteira de plástico, vai cutucando os componentes um a um ao mesmo tempo que mantém o multímetro na saída dela. Vê se ao bater em algum deles, ela liga ou desliga. Novamente, dado o defeito, acho bem difícil ser componente com falha, mas nada é impossível.
  8. O esquema postado acima não corresponde ao da tua placa, mas dá pra ter uma ideia. Medir a tensão dessa forma, no primário, também não te ajuda muito, já que o FET tá chaveando em frequência alta, além de que se a tua rede é 220 volts deveria ter perto de 310 volts DC no trafo (se o PWM está chaveando o FET, dá pra medir algo próximo). Se for 110 volts, cerca de 155 volts DC. O PC817 faz parte do feedback, da regulagem da fonte. Esse FET de 4 pinos é o teu PWM, os dois estão no mesmo encapsulamento. Qualquer desses componentes citados anteriormente podem fazer a fonte parar de funcionar, mas nenhum cria mau contato interno, apenas nas soldas. Pela descrição inicial, de bater na caixa e ela funcionar, deve ser mau contato mesmo, se não nas soldas, alguma trilha rompida próximo a solda, difícil de ver. Não me parece ser defeito de componente, a não ser o transformador que pode ter mau contato interno, nas conexões com os terminais entre enrolamento e carretel, talvez.
  9. É o do seletor mesmo? Já peguei desses relés grandes oscilando, modelo parecido, que a culpa era do próprio relé, contatos danificados. Troquei, resolveu. Se é o do seletor, ele não deveria chavear se a tua rede é 220 volts, já que desarmado ele está fechando os contatos para essa tensão. Quando atraca, a rede é 110 volts. Funciona como uma chave seletora de tensão comum, só que acionada pelo micro. Pode ser por esse motivo que o varistor queimou, jogando 220 volts no enrolamento de 110 volts a tensão nos taps sobe também. Como essa tensão subiu e os relés estavam sendo forçados a fechar, o nobreak não desligou a saída (ou não conseguiu a tempo) e o varistor queimou. Talvez o nobreak tá com problemas pra ler a rede corretamente, entrada ou saída. Tenta trocar o LM324 responsável por isso, não lembro se tem um só ou dois nesse modelo teu. Se tem dois, tenta identificar o certo. (Ou troca os dois) Verifica também a rede de resistores/capacitores desses dois pontos de leitura. Outra coisa, mais acima tu disse que apagou sem querer as marcações que fez na placa pra saber onde conectar o trafo. Se observar na placa, a SMS costuma marcar as cores na serigrafia, no lado dos componentes, não precisa marcar nada.
  10. @DIMITRIDOURADO rapaz, geralmente DS é dissipador. Não tenho esquema dessa placa, mas acredito que tu pegou a posição errada do componente.
  11. Opa! O que poderia estar dando consumo na lâmpada era o carregador do nobreak, ou algum tap fechado errado, provavelmente do seletor de tensão. Como o transformador é grande, não queimaria de cara, mas geralmente dá pra ouvir ele vibrar. O que reforça a teoria do tap é o que foi dito no começo do tópico, esse zener que tu falou, não serve pra habilitar o relé, serve para proteger o transistor chaveador. Não deixa a tensão reversa, que aparece quando se desliga o relé (ou qualquer bobina), passar de um ponto seguro. Antigamente só se usava um diodo comum, até que descobriram que dava pra usar essa tensão reversa (a back EMF) pra inverter o campo da bobina e ajudar desatracar o relé, que as vezes ficava colado. Confere os chaveadores dos relés se estão todos Ok, o do zener que queimou pode estar baleado.
  12. Opa! Muito estranho ter mudado o defeito assim. Os relés que foram instalados, são novos? Mesma tensão de bobina? Alguns SMS tem isolador de rede com bobina 5 volts, mas deste não tenho esquema pra te dar certeza. Dá uma conferida também se não tem soldas quebradas ou trilhas rompidas na placa. Certeza de que os BC337 chaveadores dos relés estão todos Ok? Quanto a leitura de rede estar errada, ele tem comunicação USB? Se tem, tenta conectar no PC e verificar pelo software da SMS o que o micro está lendo. Se não tiver como, tenta substituir o LM324, a leitura de rede tanto entrada quanto saída passa por ele.
  13. Acredito que você viu a minha resposta antes de corrigir. Eu tinha escrito por engano "Se bate relés apenas em bateria". Já corrigi. Troca os relés que te falei e testa.
  14. Olá, Se bate relés apenas em rede, teu defeito possivelmente está no bloco estabilizador. (O estabilizador não é utilizado em inversor) Pode ser contatos dos relés com problema, tem alguma resistência e após algum tempo aquece e falha. No esquema que tenho são RE3 e RE4, substitui eles e testa.
  15. Tá esgotando as alternativas... tinha oxidação aí, será que não ficou alguma coisa por baixo dos pontos de solda na PCB? Olhando por cima parece que está Ok, mas por baixo, entre o ponto e a trilha, pode estar isolado. Foi ressoldado? Pode ter ficado oxidação por baixo do slot também, pode ter alguma resistência formada por ali atrapalhando o micro. Foi tirado o slot pra limpar? Também existem dois capacitores de valor bem baixo junto com o cristal, troca eles. Deve ser algo na casa de alguns pF, 22, 33 algo assim, olhando na foto deve ser aqueles dois abaixo do cristal.

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×
×
  • Create New...